quarta-feira, 16 de março de 2011

Mais agravos e despautérios

João Correia, advogado, ex-Secretário de Estado da Justiça, já se pronunciou sobre o assunto do seu despacho.
Segundo o i, citado aqui, vai accionar "criminalmente" quem deu as notícias. Quer atingir os mensageiros das más novas. Não se percebe porquê.
É um facto ou não que o seu despacho que autorizou governamentalmente a atribuição do suplemento remuneratório de acumulação de serviço a magistrado do MºPº é contrário ao do seu antecessor? É.
É um facto ou não que esse seu despacho tem fundamentação pouca para contrariar aquele? É.
É um facto ou não que o seu despacho contraria os pareceres da PGR sobre o assunto, sem os desmontar juridicamente? É.
É um facto ou não que objectivamente esse seu despacho favoreceu a mulher do ministro da Justiça que lhe deu o poder delegado de despachar tal expediente? É.

Então qual a razão da indignação? Também pensa que os jornalistas insinuaram conluio com o ministro da Justiça? Se pensa deve estar muito enganado porque todos os jornalistas sabem que não se dava pessoalmente com o ministro da dita Justiça e fez questão de o dizer publicamente em tom de acrimónia acrisolada, quando se demitiu.

Não se percebe por isso a razão do despautério.

2 comentários:

Floribundus disse...

dizia o Senhor Alfredo da Silva
«quem tem CUF, tem medo»

cfr disse...

cá está outro daqueles que o pgr fala a tentar resolver problemas políticos através de processos judiciais, não?