quinta-feira, 31 de março de 2011

Um círculo bem redondinho

Na Quadratura do Círculo de hoje, o animador convidou o adjunto Silva Pereira, que ajuda o primeiro-ministro nos assuntos de Estado.
A conversa roda à volta da crise que atravessamos e o tema é arredondado em jargão político de circunstância com todos a desejarem que a campanha que se avizinha seja civilizada, sem dureza e portanto mole.

Estes indivíduos da Quadratura estão arranjados na vidinha que têm. Lobo Xavier consulta em várias empresas e advoga por aí. Vive bem e a crise não o atingirá quase nada. Pacheco Pereira é uma espécie de sociólogo-historiador da contemporaneidade e cronista de jornal que vive bem, também. O animador do programa é o elo mais fraco mas mantém a postura cordata de suavidade interventiva.
As conversas que dali saem sobre os diversos assuntos contribuem para a mistificação ambiente. Os verdadeiros problemas são escamoteados e a linguagem usada para ocultar a tragédia que nos assola.

O programa Quadratura do Círculo estiolou. Não é de agora, mas agora é mais visível. Não adianta nada; pouco ou nada se aprende e devia acabar.

6 comentários:

joserui disse...

Concordo. Hoje não vi. Já há umas semanas que não vejo. Era a única coisa que via regularmente na TV.
E nem sabia que ia lá o clone ou o clonado (ainda não percebi). O Costa que lá andava, chegava e sobrava para aborrecer.
Mas de facto, fala-se aqui em negligência, crime, contumácia, dolo e sei lá que mais deste desgoverno inacreditável... quem no seu perfeito juízo e que não esteja feito com o sistema, convida um personagem destes para a converseta neste momento?
O Dr. Pacheco Pereira nos últimos tempos não acerta uma. É pena, porque até costumava gostar do que diz. -- JRF

osátiro disse...

Há uma questão muito pertinente (passe a imodéstia...).pq tem que estar sempre uma alta figura institucional do PS no programa???
Foi o Costa -nº2, agora o Pereira-nº2...
até parece que a SIC é de um fundador do PS.
Ou então, FPB é o traidor nº1 do PSD

fernando disse...

O Administrador dos CTT Marcos Baptista, ex-sócio do secretário de Estado Paulo Campos e por este nomeado, adulterou o currículo, afirmando ser licenciado pelo ISEG, como consta no despacho de nomeação publicado em Diário da República. O curso não foi concluído, não tendo Marcos Baptista completado as cadeiras suficientes para concluir uma licenciatura pós Bolonha, caso o curso tivesse sido realizado após a entrada em vigor deste acordo comunitário.
Na sequência da investigação, o i procurou esclarecer o assunto junto do Administrador durante o dia de ontem, sem sucesso. Hoje, Marcos Baptista suspendeu o mandato na administração da empresa pública, alegando “razões pessoais” e mostrando-se “surpreendido por dúvidas” sobre a sua formação académica. “Devo referir que sempre estive convencido que o meu percurso académico com 8 anos de frequência universitária e elevado número de cadeiras concluídas, em mais do que um plano de estudos curriculares, correspondesse a um curso superior à luz das equivalências automáticas do Processo de Bolonha".

Recorde-se que o secretário de Estado Paulo Campos, que tem a tutela dos CTT, nomeou no ano em que assumiu o cargo no ministério (2005) Marcos Baptista como Administrador dos CTT. Marcos Baptista tinha sido sócio de Paulo Campos na empresa Puro Prazer. Já em 2009, Paulo Campos leva para o grupo Luís Manuel Pinheiro Piteira, outro dos sócios da empresa. O secretário de Estado justificou na altura que as escolhas “basearam-se no escrupuloso cumprimento da lei e recaíram na escolha de pessoas com perfil adequado para cada cargo”. Hoje o i noticia que Marcos Baptista não completou a licenciatura em economia, tendo falsificado o currículo publicado em Diário da República.

Estamos a falar de alguêm que ganha por mês quase 12.000 euros, além disso no ano passado o Conselho de Administração dos CTT decidiu atribuir a cada um dos 5 Administradores um prémio de gestão de 40.000 euros e o aluguer de cada uma das viaturas atribuidas aos Administradores custa por ano 10.000 euros. Enquanto isso nas Universidades há cativação de verbas.

JC disse...

Fernando:

Em que País da américa latina se passou esse caso do administrador dos correios com o CV falsificado, que nem em 8 anos conseguiu acabar a licenciatura em economia que tinha a duração de 5 anos?

Floribundus disse...

até a paneleirada já começa a divorciar-se

Ljubljana disse...

A essa mesma hora prefiro ver o contas à vida no tvi24. Bem mais útil e interessante, com o Braga de Macedo e o Pina Moura. Aqui há umas semanas atrás, foi interessante ver duas convidadas pontuais nesse programa, duas deputadas, engenheiras, uma do psd outra do ps, que tiveram prestações verdadeiramente paupérrimas, e mostram bem a baixíssima qualidade que o nosso depauperado parlamento tem nos seus eleitos. Foi verdadeiramente confrangedor ver o lamentável desempenho das senhoras, comparado com o dos dois convidados habituais. Quanto à quadratura, para mim era bom quando era radiofónico e passava na TSF com o nome "Flash Back".