Páginas

sábado, 7 de novembro de 2015

José Sócrates, um político suicidado

José Sócrates em Vila Real, hoje:

O antigo primeiro-ministro disse que assistiu na última semana a "pessoas distintas defenderem que a liberdade deve ser também a liberdade para cometer crimes”.

“O que mais me impressiona é o cinismo dos argumentos”, frisou.

Sócrates considerou que a liberdade de expressão está ao serviço do público, mas “verdadeiramente aquilo que se está falar não é nenhuma liberdade de expressão de um ponto de vista” mas “de campanhas organizadas de denegrimento”.

“Não estamos a falar de nenhum interesse público, é do interesse venal, comercial, porque o que se pretende quando se fazem essas notícias, além de se cometerem crimes, é vasculhar-se a vida das pessoas com o intuito de ter mais audiência e vender mais jornais e, portanto, ter mais lucro. Esse é o verdadeiro interesse, não outro”, salientou
.


Repare-se:

Este indivíduo indiciado por crimes graves e que passou quase um ano preso por causa deles, com todos os factos que se conhecem, com todas as decisões de tribunais superiores que já foram proferidas, ainda tem a distinta lata de se apresentar em público, em conferências a dar lições de liberdade de expressão quando é certo e sabido que procurou sempre condicionar órgãos de informação, chegando ao ponto de  calar uma jornalista da TVI quando era primeiro ministro. Isso são factos e nem sequer sujeitos a discussão. Pois bem. Este indivíduo não sente um mínimo de vergonha e ninguém lhe recorda que esta desfaçatez tem limites que já foram ultrapassados há muito.

O que José Sócrates define como "liberdade para cometer crimes" são putativas violações de segredo de justiça que ele é o primeiro a cometer confessada e reiteradamente através dos seus advogados que assim publicamente o afirmaram.


O que ele define como "campanhas organizadas de denegrimento" são factos assinalados no processo crime que dizem respeito a procedimentos daquele enquanto titular de cargos públicos e que denotam comportamentos pessoais cuja natureza faria corar o mais desavergonhado dos ministros que jamais passaram em governos das últimas décadas.

Porém, nada disso o demove de se apresentar como vítima e assumir um ar de político lutador como se estivesse em campanha eleitoral.
José Sócrates ainda não percebeu que morreu politicamente. O que se conhece publicamente com os factos a surgirem em catadupa estas últimas semanas em consequência da sua luta em abrir o processo, eliminando o segredo de justiça, é suficiente para que qualquer cidadão com um mínimo de entendimento cívico o rejeite politicamente.
Esse suicídio político aconteceu em directo e não precisou de qualquer campanha de denegrimento. Ele mesmo, José Sócrates, se encarregou disso mesmo.


Recorte do Sapo.

17 comentários:

Floribundus disse...

o ps parece ser um fabricante de mitos como o da Fénix

onde todos renascem das próprias cinzas

casos recentes:
tou-me cagando, 44/33. monhé ...

importa servir-se de todos os que beneficiaram da sua politica e cobrar a dívida

'quem se mete com o ps leva'

zazie disse...

É demente. Isto não tem explicação política; só clínica.

João José Horta Nobre disse...

Se a arrogância do técnico de engenharia Sócrates fosse merda, ele já há muito que se teria afogado no próprio esterco...

JC disse...

Sócrates não vai perceber nunca que morreu politicamente enquanto tiver a aplaudi-lo dezenas ou centenas de pessoas e as três televisões a cobrirem em directo todas as suas aparições públicas.
Aliás,eu próprio tenho sérias dúvidas que tenha mesmo morrido politicamente.
E se morreu, penso que, ao que se tem visto nas últimas semanas, é bem capaz de ressuscitar.

Bic Laranja disse...

É demente. Há muito que é notório.
Cumpts.

Anjo disse...

"...qualquer cidadão com um mínimo de entendimento cívico". Escasseiam, José, e muito!

Há as clientelas de um lado e os "infradotados" de compreensão de outro. São muitos anos a trabalharem para isso...

Não nos safamos desta, raios os partam! Vão destruir os sacrifícios destes 4 anos e dar cabo da Justiça e do resto. Nunca mais saímos disto!

josé disse...

Vale e Azevedo II.

Apache disse...

Tendo a fazer coro com a Zazie e o Bic Laranja, não porque ache que o Sócrates está efectivamente doente, antes, porque me parece notório que passa por aí a sua estratégia de defesa. Diria mais, um pobre demente defendido por advogados dementes em busca de uma inimputabilidade não declarada mas implicitamente assumida. Sócrates parece apostar tudo numa pena cuja duração lhe permita não voltar à cadeia para continuar com estas tentativas esconder o filho da puta debaixo de várias camadas de verniz de coitadinho.

P.S. Estratégia que, diga-se, não me parece, na essência, significativamente diferente da que usa António Costa para tentar chegar ao poder.

Ricciardi disse...

Sócrates tentou, de facto, controlar a comunicação social. E fê-lo de várias formas. Uma delas, a que me parece mais importante, foi a de elaborar estratégias para colocar accionistas amigaveis no capital dalguns jornais.
.
A ideia é simples e basilar. Um jornal é aquilo que o accionista quer que seja.
.
A ideia de controlo da comunicação social não é, porém, coisa nova. No Estado Novo o controlo era absoluto. A bem da nação.
.
A tentação pelo controlo dos jornais é, pois, desiderato comum a quem se quer manter no poder. Seja o poder de direita ou de esquerda.
.
.
A palestra de Sócrates de ontem revelou um homem extremamente competente na arte da oratória e demagogia (no sentido clássico). Deve de facto preocupar quem o odeia porque capacidade não lhe falta. Podia dizer o mesmo do Hitler, mas não é ele que está em questao. Estou até convencido que, mesmo com um processo judicial (tosco) à perna, o homem se se candidatasse a PR teria mais votos do que alguns julgam.
.
A conclusão que tiro da palestra de ontem é o oposto que o José tirou. O homem não está nada morto politicamente. Pelo contrário. Está vivíssimo.
.
Rb

zazie disse...

É demente,Apache.

É um mentiroso compulsivo. Aquilo é patologia. Deve acreditar nas próprias mentiras.

BELIAL disse...

Pode ser presidente, sim senhor.

No júlio de matos, impor-lhe-ão faixa e jura.

Aos sábados pode ser luís XIV.

Aos Domingos, Napoleão.

Deus, em dias santos e de guarda.

Floribundus disse...

Casablanca com Bogart e a futura Rosselini

tema musical 'as time goes by'

This day and age we're living in
Gives cause for apprehension
With speed and new invention
And things like fourth dimension
Yet we get a trifle weary
With Mr. Einstein's theory,
So we must get down to earth at times
Relax relieve the tension
And no matter what the progress
Or what may yet be proved
The simple facts of life are such
They cannot be removed
You must remember this
A kiss is just a kiss
A sigh is just a sigh
The fundamental things apply
As time goes by

josé disse...

Perante o panorama pessoal de José Sócrates impõe-se uma pergunta pessoal ao mesmo e que deveria ser feita ou indagado por quem de direito:

o indivíduo droga-se com alquma coisa?

É que parece.

zazie disse...

eheheh

(No MEC nem se notava)

Mas acho que não porque os efeitos da droga notam-se fisicamente. Nele só se nota a megalomania da bruta panca que tem.

zazie disse...

Deve ser um prozac natural de animal selvagem

AHAHHAHAHAHAH

E os fãs, como é?
Eu acho que também são dementes. Ninguém normal idolatra uma coisinha destas.

Estas mulheres agarradas ao cravo e a ele, são o quê? Que explicação pode haver para isto?
Não sei

zazie disse...

No Aspirina B há disto e de ambos os sexos. E com o pior de todos oriundo de família que nem se imagina...

ehehehe

Ricciardi disse...

A ser assim, não compreendo como é que um 'demente' ou um 'drogado' é tema principal e recorrente de gente dita normal.
.
Não. O moço nem é demente nem drogado. É altamente persuasivo.
.
Coisa diversa é perceber se essa persuasão é realizada recorrendo a técnicas da demagogia ou se é apenas um instinto de defesa e/ou sublimacao.
.
O homem repete uma coisa simples de compreender. Ao fim de dois anos e meio de investigação, ao fim dum ano preso, ao fim de meses a esmiuçar a vida dele, façam lá o favor de acusar. Ele pede para que o acusem. Nesta perspectiva é um bocado demente. Ninguém normal pede para ser acusado. Aqui pode entrar a demagogia. Mas eu acho que a verdadeira demência está em considerar anormal que se peça uma Acusação num tempo razoável. A demência está em prender preventivamente e depois ser obrigado a soltar quando dizem ter a prova consolidada.
.
Rb