Páginas

sábado, 22 de julho de 2017

O grande pecado de Ricardo Salgado



Entrevista de Ricardo Salgado ao DN de hoje:

A questão fundamental: quem liquidou o BES foi o BdP? Foi, segundo Salgado. Em meados de Julho de 2014 um investidor de Londres- Daniel Loeb, da Third Point LLC- foi ao BdP dizer que queria recapitalizar o BES e o BdP nem o ouviu.
Foi assim? E tal salvaria o BES da bancarrota iminente e evitaria a corrida aos depósitos? É preciso ouvir o Governador do Bdp mas não é crível que seja assim tão simples.

Outra questão: Salgado nunca se meteu em política, segundo diz, mas parece-lhe que outro governo que não o de Passos teria evitado a queda do BES.
Sobre meter-se em política ou não é preciso ouvir outras vozes, como a do primo Ricciardi que já disse ter visto o antigo PM, Sócrates, em conciliábulos privados e secretos com Salgado. O que combinavam? 
Sócrates já disse que foi um erro a resolução do BES…portanto, se estivesse no Governo, em 2014 teria evitado a queda do BES. Com que custo para o erário público? Basta recordar o que se passou com o BPN para adivinhar e multiplicar o custo, numa altura de crise e austeridade.
De resto o enquadramento geral é mais esclarecedor: quem levou o país à bancarrota? Quem ajudou no negócio da PT que destruiu o valor da empresa e provocou o que agora está a suceder com a Altice ( a empresa tem mais do dobro dos trabalhadores necessários…quem é que os contratou e porquê?)
Quem ou como se aliaram Ricardo Salgado e certos interesses para evitarem a opa da Sonae? Quem são os pivots desta tramóia em que "estavam todos feitos"?  
Quem é que incentivou o assalto ao bcp e o abuso dos dinheiros públicos da CGD para investir num banco que perdeu o valor que tinha em pouco tempo? Quantos milhares de milhões custaram ao país tais ideias e actuações? Quem as pensou e executou em modo determinante? Foi só o pindérico Sócrates?
Quem é que esteve sempre no meio dessas embrulhadas criminosas? Ricardo Salgado, voilà! E ainda falta falar nas “luvas” que permitiu fossem distribuídas a certos políticos. E não foi só a José Sócrates, como Hélder Bataglia sabe muito bem.E isso que para Salgado serão "peanuts" é o que conta agora para o julgamento em processo criminal, o que Salgado parece não compreender. 

E isso é imperdoável, a Ricardo Salgado. Porque além de ser um crime de corrupção que deverá ser punido severamente, atenta a dimensão da ilicitude (e não tanto da culpa, por causa da anomia vigente) foi a razão da nossa bancarrota de 2011. 
Fosse Passos Coelho a governar o país desde 2005 e Portugal não tinha passado por esta bancarrota, esta austeridade que ainda pagamos e estas dificuldades. E o BES ainda existiria, se calhar…
Ricardo Salgado sabe muito bem que assim é. O pecado que cometeu foi tão grande que nem o Papa lho pode perdoar. Só Deus Nosso Senhor. Se houver arrependimento e confissão, claro.

Pode dizer o que quiser, Salgado.  Claro que se o BdP não decidisse a resolução do BES o mesmo não teria falido do mesmo modo, sem falência declarada mas com extinção pura e simples do nome, o que juridicamente ainda dará muito que falar.Será que sobreviveria? É incerto e insegura, tal asserção.
Claro que se o governo de Passos Coelho lhe tivesse dado a mão, como o fez o governo de Sócrates ao BPN, o banco ficaria nas mãos do Estado que pagaria depois todas as contas. 

Claro quese não tivesse existido crise internacional em 2008 tudo teria corrido bem. Mas...correu bem para outros que resolveram os problemas de outro modo. Porque não correu bem para Salgado? 

Por uma razão simples: tal como o Inenarrável e pindérico Sócrates, nunca acreditou que lhe acontecesse o que acabou por acontecer.  Soberba, portanto. 
O tempo mudou e ela não voltou. A sorte, claro. Mas há quem lhe chame outra coisa. 

A tragédia que atingiu Salgado é shakespereana ou grega ou clássica, se quiser. Que medite nas causas. Algumas serão as que  acabei de enunciar.  E não, a culpa não é dos governos de Passos ou do BdP. É sua e só sua.

19 comentários:

José Domingos disse...

Nem mais, também tenho a minha quota-parte nisto tudo. Se este fulano tivesse um pingo de vergonha nem aparecia. Se Portugal fosse um estado de direito, estava preso.
Acho que a coisa está a virar, tenhamos esperança, que é o que resta.

Floribundus disse...

Angelo De Gubernatis: mythologie

un des
noms védiques du diable est kâmarûpa ou viçvarûpa, c’est-à-dire, celui
qui change de forme à volonté, ou celui qui prend toutes les formes

Ricciardi disse...

Evidentemente, qualquer outro governo teria evitado o colapso do Bes.

A justiça ainda não chegou lá, mas vai chegar, acerca das motivações políticas que levaram um governo a deixar cair o maior banco privado português e com isso prejudicar gravemente a economia do país e dos clientes do banco.
.
Qualquer pessoa com dois dedos de testa não pode considerar coisa diversa.
.
Um governo que lava as mãos e deixa cair o grupo inteiro tem muito que explicar e não vai poder refugiar-se eternamente na justificação infantil de que foram opções políticas.
.
Podiam ter copiado o que fez a Espanha e a Irlanda e até a Inglaterra. Mas não, deliberadamente deixaram cair um banco que tinha todas as condições para ser apoiado.
.
Eu creio que houve objectivos particulares nesta estória, mas também não rejeito a hipótese de servir de cobaia a mando de estrangeiros.
.
Rb

Lura do Grilo disse...

Um deslavado e envinagrado ... este Salgado

hajapachorra disse...

Este bandalho é mil vezes pior que o pinto de sousa. Não se pode comparar o autor moral, o mandante, com o delinquente que contrata.

osátiro disse...

Uma listagem bem conseguida dos NEGÓCIOS MAFIOSOS E CORRUPTOS XUXIALISTAS...
que, note-se bem....NÃO SÃO EXCLUSIVO DE SÓCRATES.

A utilização da CGD pela maçonaria para """comprar"" ( ou seja, destruir)o BCP/MILLENIUM começou no governo Guterres..
Todos nos lembramos do joe berardo ir quase todos os dias às TVs (em especial RTP) bater em JGonçalves,...como se o bandido joe chegasse aos calcanhares de jardim.
E como a CGD "emprestou" milhões aos pontas de lança para comprarem o bcp......e outros negócios ( por ex...ao JOliveira/ Olivedesportos/DN/JN/TSF)...tudo com juros altamente favoráveis..ou sem juros...

A maçonaria/esquerda destruiu os 2 maiores bancos portugueses: CGD ...BCP..

E continuou com o GES.....

MILHARES DE MILHÕES DE EUROS QUE A ESCUMALHA DE ESQUERDA OBRIGOU A ROUBAR AO POVO PORTUGUÊS COM ESTES NEGÓCIOS MAFIOSOS.......culminados com o maior dos corruptos JOSÉ SÓCRATES.

Sobre o GES, nunca é demais recordar a frase de MÁRIOS SOARES:

RICARDO SALGADO ESTÁ CALADO E FAZ MUITO BEM..

Silêncio para proteger quem?

obviamente, ESQUERDA E MAÇONARIA

Maria disse...


O José sabe muito mais destas coisas do que eu, como é natural, deixe contudo que lhe dê uma opinião muito pessoal sobre este assunto mais que não seja por ter conhecido, como já disse anteriormente, algumas pessoas desta famíla por quem tive a maior consideração e respeito além de terem sido do mais correcto e íntegro que já conheci. O próprio Dr. Salazar tinha relações d'amizade com o presidente do Banco e isto dizia tudo sobre a consideração e confiança que aquele e o própria instituição BES lhe mereciam.

O Dr. Ricardo Salgado foi infelizmente muito ingénuo quando aceitou a pretensa amizade do falso Soares - depois deste velhaco o ter expulsado e à família de Portugal e mais tarde, com o oportunismo e a visão maquiavélica (a curto, a médio e a longo prazo) que sempre o caracterizou, o vir a tramar, como de facto veio a acontecer - e com ele e a seu traiçoeiro conselho, aceitar fazer parte dos negócios secretos e muito duvidosos em que Sócrates, seu homem de mão no desvio de biliões para proveito de ambos, andava metido e nos quais, a bem ou a mal, incluiu neles, com o seu inacreditável agrément, o bem intencionado e nada desconfiado, mas talvez demasiado ambicioso, Salgado.

Este, grato por Soares lhe ter permitido regressar do exílio e retomar a presidência do Banco, sobre tudo o que aquele lhe propunha para recuperar os seus negócios a breve prazo e com tudo ele concordou sem perceber que estava a cair que nem um patinho numa armadilha ou teia venenosa tecida havia muito por aquele trapaceiro e glutão por milhões que os via a cair no seu colo daí a não muito tempo. Salgado, que até aí havia tido confiança absoluta nos políticos - como não havia de ter se durante o Estado Novo todos os seus parentes e antecessores no mesmo negócio a haviam tido, já que aquelas eram pessoas honestas e íntegras e incapazes de cometer fraudes ou de traír a palavra dada - acreditou piamente nos (falsos) projectos sugeridos por Soares para revitalizar/recapitalizar o Banco e na sua (falsa) palavra. Além de que não só estava agradecido a Soares mas também não via outra hipotese senão aceitá-los pelo facto de Soares, ele sim, ser na altura (e depois e sempre) pràticamente o dono do país e a uma pessoa como ele, com todo o poder político nas mãos, simplesmente não se dizia "não". E mais do que a Salgado, como afirmou Battaglia, este devia ter trocado os nomes e dito com muito mais propriedade "a Soares não se diz que não".

"Eu creio que houve objectivos particulares nesta estória, mas também não rejeito a hipótese de servir de cobaia a mando de estrangeiros." (Ricciardi)

Há muita coisa que Ricciardi escreve com que discordo totalmente, designadamente a defesa intransigente que faz de Sócrates que em todo este drama também tem culpas no cartório, embora ele tenha sido uma peça menor neste jogo de xadrez inominável, mas com esta sua opinião concordo em absoluto.
(cont.)

Maria disse...

Sabe-se como a maçonaria-sionista/mundialista quis, a partir de 2008, levar propositadamente à falência uma série de grandes Bancos nos E.U. e também na Europa e conseguiu em ambos os Continentes. Por que razão não faria o mesmo no pequenino Portugal mas com um grande BES e com outros igualmente importantes, bem como e mais recentemente, com a CGD? Tudo o que eles querem destruir para mais tarde re-erguer das cinzas em seu próprio proveito e benefício, conseguem. É dos livros. "Primeiro criar o caos e depois arranjar-lhe a solução" (David Icke)

Se Passos teve culpa no colapso do BES ao não ter acedido então ao pedido de Salgado? Talvez tenha alguma, mas será que ele tomou essa atitude de moto proprio ou teve ordens superiores e exteriores para o fazer? É que nas democracias os governantes não mandam nada, seguem apenas ordens vindas de fora. Pode ser que se venha a saber um dia toda a verdade. Não obstante, a decisão macabra que precede o colapso deste Banco centenário e prestigiado, assim como posteriormente os de outros com excelente cotação no mercado, foi tomada dezenas de anos antes por um bando de portugueses vendidos ao mundialismo, os quais, como bons maçons e respeitando à letra as ordens dos seus donos, uma vez chegados ao poder puderam manejar os cordelinhos nas ante-câmaras do poder, cabendo a missão primeira e por inteiro a Mário Soares e a Cunhal e a mais grupo restrito de paus-para-toda-a-obra que com aqueles dois se mancomunaram para os ajudarem a atingir esse satânico fim. Demorou o seu tempo mas o destino daquele e doutros bancos prestigiados estava traçada desde há muito. É disso e para isso que este género de gente descaracterizada, na verdade autênticos párias, vive em todas as democracias do mundo.
(cont.)

Maria disse...

Por que razão Soares jurou a determinada altura, já com Sócrates preso e após tê-lo visitado, ser este "uma pessoa exemplar"(então não era?!?), isto depois do mesmo ter levado o país à primeira bancarrota e de se ter entretanto locupletado com dezenas de milhões à custa de fraudes monumentais e de corrupções monstras seguramente com o beneplácito de Soares uma vez que ele dizia ser Sócrates uma pessoa exemplar?... Nisto, como em muitas outras circunstâncias igualmente graves, Soares foi omisso e nem outra coisa seria de esperar. Já se viu a lata inaudita que este pulha teve toda a sua vida?

E por que motivo Soares ameaçou alto e bom para quem o quis ouvir, referindo-se a Salgado e após este ter sido detido para interrogatório judicial, que "ele vai falar" e reafirmando, como que ameaçando tudo e todos "ai vai, vai"! Toda esta trama política e gigantesca sábia e maquiavèlicamente montada por quem se dizia democrata dos quatro costados, não vos diz nada? Será isso possível? E nada vos diz também ter sido Soares e os seus apaniguados, depois de todos eles terem comido as papas na cabeça dos ingénuos e políticamente ignorantes FMA's (que maravilha e que bem lhes calhou eles terem-no sido, dando assim aos falsos democratas a oportunidade óptima para derrubarem um regime que era honesto, íntegro e patriota para o substituírem por uma oligarquia feita de ladrões, corruptos e criminosos) terem provocado intencionalmente a hecatombe nas nossas Províncias Ultramarinas e a sua entrega aos dois internacionalismos e logo de seguida levando à perda do Portugal europeu como Nação Soberana e Independente com a sua (dele) adesão à CEE feita nas costas do povo, levando à perda da nossa Soberania e Independência, sem que o povo nada tivesse podido ou possa fazer para anular o maldito processo por estar disso impedido (e será que o está realmente?) pelos estatutos assinados por ambas as partes? E quem foi senão Soares (com o Cunhal sempre na retaguarda) o principal impulsionador e o primeiro outorgante a assinar esse pacto envenenado com o único e exclusivo objectivo de levar Portugal a ter que se sujeitar às medidas políticas rígidas e a maioria delas ultrajante para os portugueses (menos para ele e para os seus, já que, o espertalhaço e sabidão, enquanto permanecesse debaixo do chapéu da União Europeia estaria sempre protegido política, financeira e fìsicamente, como sabemos que isso aconteceu) emanadas de quem dita as ordens na U.E., sem poder levantar um dedo para as contraditar? Pois. De facto só o maior traidor à Pátria e aos portugueses que Portugal já viu nascer no seu solo, teria sido capaz de um acto tão vil quão criminoso. E ele foi-o.

Maria disse...

Esperemos que o Dr. Ricardo Salgado resolva um dia falar e revelar tudo o que sabe sobre esta cambada de traidores, corruptos e ladrões. E ele sabe muito. Esperemos. E uma vez que é crente, peça a ajuda a Deus.

Ricciardi disse...

Maria, não faço defesa do Sócrates. Defendo, isso sim, que a prisão preventiva foi injustificada, principalmente pelo tempo que durou.
.
O José afirmou aqui, corroborando a tese da acusação, que havia perigo de fuga. Um non sense. Não havia perigo algum, como de resto podémos constatar quando o soltaram. Não fugiu. Não havia alarme social e possibilidade de tumultos. Outro falso argumento. Por fim o único que é verdadeiro. A investigacao precisava de algum tempo para que o indiciado não atrapalhasse as mesmas. Seria um tempo necessário para fazer buscas que impedisse o incidado de retirar provas. Algo que pode ser feito numa semana ou duas. Mas mantiverem-no 9 meses na choldra.
.
A partir destes erros que para mim foram cometidos deliberadamente para humilhar e castigar antecipadamente, por influência política e também por questões de vaidade, e não para fins judiciais, dizia, a partir do momento que prendem e, afinal, vão tendo dificuldade em consolidar uma prova coerente com os indícios que o levaram à prisão, avançaram desesperadamente para inúmeras suspeitas adicionais.
.
Repare que, se houvesse tantos fundamentos para justificar tê-lo prendido com aquele alarido todo, há muito tempo que o tinham acusado. Não o fizeram porque foram descobrindo que as razões que o levar à prisão são manifestamente insuficientes.

Lula já foi acusado e já foi condenado, sem precisar de ser preso preventivamente. Em Portugal prendeu-se para investigar e depois concluiram oops fizemos asneira, agora temos de arranjar alguma coisa para justificar a precipitação.
.
Eu não ponho a mão no fogo por ninguém. Isto é válido para o socas, MP e juiz.
.
Houve demasiado chinfrim mediático que me leva a crer que neste processo há marosca da grande.
.
.
Quanto ao Soares. É falso que tenha sido ele a expulsar os Espírito Santos. Conheço muito bem a estória para afirmar que isso não é verdade.
.
Os es foram ajudados quando foram expulsos e nacionalizados os negócios. Velhas amizades na França e na Suiça. Crédito Agricole por exemplo. E tenho a certeza que Ricardo salgado voltará a ser ajudado. Há pessoas que tem uma qualidade e seriedade profissional tão grande que não faltam pessoas a pretender investir nelas. Ricardo é um deles. Um empresário com uma supremissima capacidade.
.
Rb

joserui disse...

Maria, o conceito de um Ricardo Salgado ingénuo, é insuportável. Um indivíduo que esteve em todas as negociatas desde o 25A. Não foi só o Borra botas Sócrates. Não há figurinha deste regime que não tenha o cordão umbilical para o Salgado e o seu tigrezito de papel. Não há ppp ou parque de estacionamento que não tenha o dedo deste indivíduo ingénuo. A democracia que temos deve-lhe muito.

joserui disse...

Comparar as relações de família com o antigo regime e este, tirar conclusões de causa e efeito, não tem cabimento. Não só o antigo regime não é comparável a este nas relações com o poder económico (para não dizer em nada), como este indivíduo tem muito pouco nível para o berço que ostenta. Aliás, tem muito pouco nível, basta olhar para as amizades que cultivou. Mais um ser nocivo para Portugal.

joserui disse...

E não dê força ao rei salomão dos nossos comentários… bastou falar nele e já está de papo cheio.

josé disse...

Ricardo Salgado demonstra ter muito pouco nível.

Muito pouco mesmo. É ver como rodeias as questões políticas da geringonça e do PCP.

É simplesmente asqueroso, mas condizente com uma postura ao longo dos anos.

Salgado é um "cigano".

zazie disse...

Um ciganão, como se costuma dizer.

Maria disse...

joserui, não posso concordar consigo embora compreenda a sua análise. Certamente que o joserui não, mas eu, como já disse e repito, conheci vários membros desta família e tive enorme consideração e respeito por todos eles. O José sabe a quem me refiro. Como é que uma família dona de um Banco centenário, globalmente considerados e internacionalmente respeitados mormente pelas entidades bancárias norte-americanas que como se sabe são ossos difíceis de roer e por governos dos diversos países com os quais teria mantido negócios dentro do ramo e sempre com a máxima lisura, chegou ao ponto em que hoje se encontra? Como é que eu não posso sentir uma pena imensa e até um sentimento de enorme injustiça, com razão ou sem ela, por aquilo a que foi sujeito Ricardo Salgado tanto pelo Estado como pelo Banco de Portugal, se ele pertence a essa mesma família que sempre se portou impecàvelmente na sua área de negócios desde o tempo em o Banco foi fundado até às décadas em que Salazar governou? E olhe que Salazar não era nada parvo e nunca confiaria nesta família nem no seu Banco ou nos seus negócios, caso não sentisse estar perante banqueiros pessoal e profissionalmente honestos e íntegros.

Continuo a pensar que Ricardo Salgado não tem metade da culpa que lhe atribuem nesta matéria. Terá porventura alguma, ele próprio o afirma, mas não toda. E Salgado, como disse e repito, sabe muito mais do que tem deixado transpirar através da imprensa falada e escrita (e sabemos que a comunicação social está toda vendida ao poder político e as notícias que deita cá para fora - meias verdades misturadas com mentiras clamorosas - tem uma influência desmedida no que é absorvido pela opinião pública, que está completamente intoxicada, sendo que tudo quanto lhe chega através das notícias é aceite e tido como verdades inquestionáveis) sobre esta trama diabólica e inacreditável em que ele se viu metido e de certeza com a mãozinha maçónica. E não é preciso pensar muito para se saber a quem pertenceu essa mãozinha, sem esquecer que ela continua aí.

Continuo a ter consideração por Ricardo Salgado e não suporto os ataques vís por pura inveja e malvadez, que certos jornalistas e muitos comentadores lançam sobre a sua pessoa sem nada saberem de concreto sobre o que realmente se passou. Consideração ainda, mais que não seja por ele pertencer à família que eu conheci. Sobre esta família é bom lembrar que, pudessemos nós recuar no tempo e por hipótese estarmos a viver ainda no regime anterior, nada disto lhe teria acontecido nem a ele nem ao seu Banco nem à sua família. Isto é garantido.

Só espero, como disse, que Ricardo Salgado ganhe coragem e diga o que sabe sobre este terramoto que se abateu sobre o seu Banco e sobre a sua pessoa. Ainda não o fez - parece estar a fazê-lo por escrito - e calculo o motivo que só pode ser um, medo do que a maçonaria lhe possa fazer ou à família se ele falar demais. Sabe-se que a maçonaria abate sem misericórdia todo aquele que puser o pé em ramo verde. Mesmo aqueles que não pertençam à seita nem tenham feito qualquer juramento de fidelidade à dita.
(cont.)

Maria disse...

Não creio que Ricardo Salgado seja maçon. Porém ele cometeu num erro crasso, aceitou a amizade envenenada da maçonaria-sionista. Não tendo (ao que se sabe) participado em nenhuma reunião dos Bilderberg, não obstante permitiu que a sua mulher, Maria João, o tivesse feito e não exactamente a uma reunião mas a uma festa, na verdade ambas estão interligadas. E sabe-se porque ela apareceu numa foto nessa tal festa, já vão bastantes anos, disfarçada com uma cabeça de um bicho enfiado na cabeça (como é a norma naquelas festas esquisitas, para dizer o mínimo) reconhecendo-se perfeitamente ser ela a pessoa por detrás da máscara, pelo vestido e pelo aspecto físico por ter aparecido também sem estar mascarada.

O que resta saber é se Salgado terá sido convidado para estas reuniões por Soares ou por Balsemão? Ambos, um era, outro é, velhacos e ambos devotados maçons, pelo que não admira que até tenha sido convidado pelos dois em diferentes ocasiões, os dois concluiados com o intuito (a mando superior) de o tramar a médio prazo. Who knows? Tanto um como o outro eram capazes disso e de muito mais. Lembremo-nos da traição de Balsemão a Sá Carneiro (com a conivência de Soares, outro capaz de mandar matar quem lhe travasse os projectos políticos malditos, como aliás o fez por diversas vezes) só para dar um exemplo. Estas suposições não são teorias da conspiração, são a realidade pura. Quem sabe se algum negócio secreto inter-bancos lhe fôra proposto e ele terá recusado e sabe-se que àquela gente não se pode dizer "não". A tragédia que aconteceu a Ricardo Salgado e ao seu Banco pode ter tido origem nessa e porventura noutras recusas. Não sabemos, mas é muito capaz. O que se sabe de ciência certa é que a maçonaria não dá ponto sem nó.

Maria disse...

José, desculpe mas não concordo nada com isso de dizer que "Salgado ter pouco nível" e de ser "um cigano". Nadinha.
Ele faz-me lembrar, no porte e na palavra, alguns seus antecessores que eu conheci, com alguns dos quais até fìsicamenete é/era parecido e aqueles não tinham nem falta de nível nem ar de ciganos, tanto nos negócios como na maneira de ser característica destes. Não sei por que diz isso. Se se refere aos amigos da geringonça, bem aí já a coisa chia mais fino e tenderei a concordar consigo, mas não da parte dele e sim da parte desses outros, políticos e governantes, com quem ele teve a desgraça de aceitar manter relações d'amizade e de ter tido o enorme azar de com eles ter negociado.