quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Outro caso de ética raríssima: uma Ordem que se respeita.

Tudo legal, pelos vistos. Aposto que vão dizer que a Ordem não depende do Estado ( mas recebe subsídios, pela certa).
Tudo legal, portanto, mas errado, muito errado. A ética é sempre uma batata, nestas pessoas que se habituaram a viver com carro e motorista quando antes tinham que pagar portagens, combustível. oficina e era tudo.

Rui Rio recebe 1.500 euros brutos mensais, pelo menos desde 2013, como vice-presidente da Assembleia Geral da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC). O candidato a presidente do PSD, que no primeiro discurso aos militantes disse que a política precisava de “um banho de ética”, recebeu 21 mil euros ilíquidos por ano (14 meses), para estar presente na condução de três reuniões realizadas em 2016 e duas em 2017. A título de exemplo o presidente da Mesa da Galp recebe três mil euros anuais.
O presidente da Mesa da Assembleia da Ordem dos Contabilistas é o socialista e eurodeputado Manuel dos Santos, que ganha dois mil euros mensais ilíquidos (28 mil por ano). Mas essa remuneração chegou a ultrapassar os cinco mil euros por mês numa fase em que este foi compensado pela própria ordem (com mais três mil euros mensais) por ter perdido o direito à pensão vitalícia como ex-deputado. Os salários elevados dos membros dos corpos sociais da OCC estão a causar controvérsia nas eleições para aquela ordem profissional que têm lugar para a semana: o bastonário ganhava 10 mil euros, um vice-presidente ganha 6.100 euros, e os cinco vogais recebem cinco mil euros cada um.



11 comentários:

lusitânea disse...

Somos um país muito "organizado".Falta uma organização séria da defesa das mulheres adúlteras...

Carlos disse...

Querem perceber o sentido de ética destes sujeitos (Rio, Costa, Santana, Cavaco,etc.)?...acompanhem as eleições no PSD e a traficância/compra de votos para a eleição do maior padrinho!
Recomendo a leitura de "Os Predadores" de Vitor Matos.

Carlos disse...

Título do Expresso online: "Manuel Delgado admite processar a TVI".
Não seria mais proveitoso para o próprio, vender os direitos da sua história para próxima telenovela/lixo daquela estação?


Carlos disse...

Voltei à fase dos porquês!

"Ministro manda auditar contas que ele próprio aprovou"

Não seria mais objectivo solicitar um exame ao seu estado de saúde mental?

Carlos disse...



Penso eu de que!...Costa aguarda pedido de demissão do ministro Vieira, para regressar a Portugal já com a situação consumada.

josé disse...

A demissão do Vieira da Silva só se for por um motivo de escândalo maior.

Não bastam uns meros "corninhos" como foi o caso do Pinho dos tamancos.

Vieira da Silva é um dos artífices deste PS...

Maria disse...

Vieira da Silva foi trazido para o PS pelo excelso, honorabilíssimo e pedófilo compulsivo Ferro Rodrigues e passou a exercer sempre altos cargos em todos dos governos daquele partido.

Repete-se, V.S. foi levado para o PS por aquele energúmeno e passou a integrar todos os governos subsequentes do mesmo, podendo daqui extrapolar-se o quão competente e honesto ele não deveria ser na altura e pelo que se tem visto ao longo dos anos e sobretudo desde há poucos dias..., continua a ser.

Nada mais há a acrescentar sobre as qualidades pessoais e políticas destes dois vermes. Sem esquecer os restantes d'igual extracto que se acoitam no mesmo partido.

lusitânea disse...

Enfim alguém da esquerda tem que tornar a bater no Salazar porque isto anda mal...

fernando disse...

Mais uma pérola " Ex-presidente da Raríssimas só sai da Casa dos Marcos se a despedirem"
http://leitor.expresso.pt/#library/expressodiario/14-12-2017/caderno-1/temas-principais/ex-presidente-da-rarissimas-so-sai-da-casa-dos-marcos-se-for-despedida-1
Este senhora anda a brincar com o Estado Português. Agora até pessoas sem curso podem ser Directoras e ter direito a indemnização. Mas que merda de país é este ?

A Mim Me Parece disse...

Pois é, Fernando, vamos ter de lhe pagar. Penso eu de que.

Lura do Grilo disse...

É tanto escândalo que as pessoas já só encolhem os ombros. Não há energia sobrante para a ação.