domingo, 3 de dezembro de 2017

Domingos Abrantes, comunista fossilizado



 O jornal i deste fim de semana entrevista Domingos Abrantes, um dos sobreviventes do comunismo desaparecido algures no início da década de 90 do século passado e que se mantém firme na doutrina fossilizada de há cem anos atrás.

A Revolução Russa? "Foram conquistas colossais". Escusado dizer-lhe que foram milhões de mortos pela fome, o Holodomor, os Gulags, o Terror estalinista. Tudo releva em nome das conquistas " dos de baixo" em relação aos " de cima", ou seja a sempiterna luta de classes movida a inveja pura que aliás não admite. Tem duas casas...diz, como prova.  Quais as tais "conquistas"? "Introduziu as oito horas de trabalho, a igualdade entre homens e mulheres ( no Soviete Supremo e nos desfiles na Praça Vermelha, na Tribuna, eram às dezenas as mulheres...não eram? Ou afinal nem uma sequer?! ), era um país de analfabetos e foi o primeiro a erradicar o analfabetismo" ( para poderem ler a cartilha do partido e pouco mais...).
São estas as "conquistas" e como é sabido foram exclusivo do comunismo soviético e por isso é que o Ocidente só alcançou tais conquistas muitas décadas depois ou nunca, como diz o sibilante Abrantes.  Não fosse o comunismo e ainda hoje os povos viveriam na opressão mais negra e feroz do analfabetismo e exploração. Como vivem, garante o Abrantes.

Sobre os crimes de Estaline? Ah, pois sim. E os crimes do capitalismo que continua a matar milhões? Este capitalismo assassino, para o sibilante Abrantes, também teria os gulags, as execuções em massa e sem processo. Como? O fascismo e o nazismo são o capitalismo e a guerra, voilà!
A Igreja não matou centenas de milhares de pessoas? Não queimou pessoas vivas? Voilà!

Com estes argumentos sibilantes e estafados o entrevistador não lhe pergunta porque razão não foram suficientes para convencerem os milhões de habitantes dos países de Leste que se desembaraçaram do comunismo em 1989.

Diz este Abrantes sibilante que a Revolução de Outubro não foram só desvios e violações. Pois não. Nem o nazismo ou o fascismo o foram...e no entanto desapareceram na época.
"A guerra não é o resultado do capitalismo? Estas bombas que caem no Iraque, no Afeganistão ou na Síria..." e Abrantes esquece de acrescentar ao brilhante raciocínio sibilante,  a coda: e na Crimeia, na Ucrânia, no Afeganistão dos anos oitenta, para não falar nas invasões da Hungria em 1956 e da Checoslováquia em 1968?  Tudo obra do capitalismo que este fóssil não faz por menos. E poderia acrescentar o panorama actual da Coreia do Norte ou da Venezuela, na mesma, obra do capitalismo.

Enfim, Domingos Abrantes é personagem de uma ficção que em Portugal teve o seu começo público e visível neste momento registado pelo fotógrafo Alfredo Cunha no aeroporto da Portela, em Abril de 1974, poucos dias depois do golpe. Abrantes, tal como Cunhal,  estava refugiado algures e vinha do frio.

Domingos Abrantes, acompanhado da imponente mulher, aparece atrás da sombra de Álvaro Cunhal numa foto rara e muito pouco divulgada,  então publicada no Século Ilustrado.

No recinto exterior nem uma bandeira do PCP, ainda clandestino e à cautela. Foi esse o erro principal do regime de então: esconder as caras, nomes e tristes figuras da ideologia fossilizada que o comunismo já era nessa altura.

Os basbaques e invejosos de todos os quilates agradeceram e impuseram o sibilante Abrantes, até hoje, a perorar sobre estas ideias mortas de tanta tragédia acumulada e nunca reconhecida.


E por falar em casas, o Tal&Qual de 7 de Dezembro de 1984 publicou esta pequena reportagem sobre este assunto tabu:


Esta notícia do Tal&Qual merece destaque pelo que revela da desfaçatez do PCP, da pouca-vergonha e da hipocrisia.

É inacreditável que uma casa comprovadamente usada pelos comunistas e que servia de pousio ao seu secretário-geral, Álvaro Cunhal, uma casa com estas características aristocráticas tenha sido usada em modo quase clandestino e escondido do povo português, comprada, alugada ou usada sabe-se lá com que meios e modos e tal tenha sido alvo de censura até agora.

O PCP goza de um pacto de silêncio mafioso, nos media em Portugal porque quem manda nos mesmos teve rabos de palha com esta canalha, é a única explicação.

Quem é que sabe disto em Portugal? Quem é que se interessa, aliás?

Este PCP é e sempre foi uma ignomínia e um embuste!

Foi nesta casinha que Cunhal se acoitou durante o tempo que em 1983 e 1984 era o de grande crise, com fome em Setúbal e gente com grandes dificuldades económicas devido à bancarrota de então, fomentada precisamente pela política e sistema económico comunista e socialista, o das nacionalizações da estrutura produtiva do país.

Em segredo, sempre escondido dos cidadãos e do povo trabalhador, dos operários e camponeses que jurava defender, Cunhal e amigos do partido vinham para a mansão, desfrutar o que criticavam aos "burgueses",  latifundiários e capitalistas.

A casinha já foi objecto de transacção no passado e as imagens não serão totalmente reveladoras do que então era. Mas ainda assim... foi propriedade do PCP que a vendeu a particulares. Alguém saberá mais desse negócio? E já agora como chegou à propriedade desse partido tido como impoluto e isento de corrupção?

Até o sibilante Abrantes diz agora que um comunista deve ter uma conduta de vida. E que conduta!

Quem não os conhecer que os compre...

Salazar, o ditador fassista na boca suja desta canalha, nunca teve em momento algum da sua vida pública ou particular uma casa com estas características, sua, emprestada ou do "governo". e poderia se o quisesse. Nem Salazar nem Marcello Caetano ou algum dos fassistas do seu governo.

A ética de Salazar, porém,  era de tal modo que esta canalha devia dobrar a língua quando se conhecem estas realidades.

Esta canalha, no entanto julga-se acima de qualquer ética, como se comprova. 


58 comentários:

Floribundus disse...

É P'ra Amanhã
António Variações

É p'ra amanhã
Bem podias fazer hoje
Porque amanhã sei que voltas a adiar
E tu bem sabes como o tempo foge
Mas nada fazes para o agarrar

aguerreiro disse...

O maduro do Cartaxo conserva bem estes fósseis. Alimpa-lhes as ideias de tentações mundanas e foca-lhes o olho nas grandes conquista que fizeram e hão-de fazer, sempre com muita luta e muitos copos de três mais as sandes de coiratos para promover a aterosclerose e inibir o cansaço. Tanta luta, tantos anos e sem cansar.... Só pode ser devido ao Alzheimer. A Zita Seabra e o Vital Moreira ainda se esforçaram, quais náufragos, para arribarem arrombados, depenados e de crista caída ás praias da democracia.

João disse...

É típico da seita. Já quando foi o lançamento do Livro Negro do Comunismo replicaram com o Livro Negro do Capitalismo- se não me engano até tem prefácio deste sujeito. A ética destes gajos é simples e límpida: posso matar porque o meu vizinho também já o fez. Convenientemente esquecem os pormenores,como o facto de a revolução francesa ter levado a um número de mortos, só na Vendeia, superior a 300 anos de Inquisição. Ou o facto de os tribunais inquisitoriais darem muito mais garantias aos acusados do que qualquer tribunal popular nos paraísos vermelhos. Etc, etc. Mas pedir honestidade intelectual a esta gente é capaz de ser excessivo.

joserui disse...

Este abrantes é matéria saída directamente de pesadelos… era mesmo necessário publicar uma fotografia? Aliás, esta entrevista era mesmo necessária? O jornalismo pujante da nação, sempre em busca do fóssil das ideias novas… há um que este pascácio podia entrevistar a seguir — o Lourinhanosaurus, um outro réptil.

Lura do Grilo disse...

Não tem emenda: só a morte natural recicla estes cérebros.

zazie disse...

Que engraçado. A casa dos comunistas está à venda

zazie disse...

E era a Quinta do Cunhal, propriedade dos comunistas e eles venderam-na a particular

ehehehe

josé disse...

Não me ocorreu ir ver mas isto é um achado que demonstra bem a categoria hipócrita destes comunistas.

O Cunhal tinha direito a mansão que um Caetano nunca teve. Ou Salazar...

Vou divulgar, claro.

zazie disse...

Esta malta de esquerda é sempre assim. Só os palermas acreditam no contrário.

Terry Malloy disse...

Pormenor interessante o da mini-entrevista ao funcionário do Gabinete de Comunicação do PC, em Dezembro de 1984, que 13 anos depois era ministro das Finanças e da Economia dum governo PS, laborando com o Grande Capital.

josé disse...

O "sr. Pina Moura" com o dinheiro é assim como um porco por landes...

Floribundus disse...

net

« o ano de 1961 foi o ano de eclosão das tensões criadas por um processo aberto por
Humberto Delgado »

tanto quanto se soube nem sempre dormia no palácio, apesar dos inúmeros guarda-costas com armas fabricadas na urss

deslocava-se em carro a condizer com o palácio
entre 2 'acompanhantes' fortemente armados

nunca apareceu a um velho amigo com quem conviveu na clandestinidade

neste país de bufos muita gente sabia

Unknown disse...


Esta malta, José, a sua malta que por aqui se pavoneia vai sufocar no próprio veneno. Cúmplices de torcionários e cultores da mentira, da desvergonha, não entenderam que o seu mundo de exploração e opressão, de centenas de milhões de mortos, de biliões de vítimas chegará mais cedo do que tarde ao fim. Percorram a história de todos os países e verão a monstruosidade dos crimes do capitalismo de que sois cúmplices
Disse biliões de vítimas e disse bem !!! Vós sois apoiantes dos 1% dos mais ricos e está tudo dito. O espectro do comunismo volta a pairar sobre a Europa e não só. Ficareis borrados de medo quando um novo Outubro voltar e com ele todos os pesadelos. Não mereceis morrer em paz.

~João Pedro

Floribundus disse...

sou um capitalista porque vivo na capital

recebo a esmola social-fascista de 1200€ até ver

adoro sonhadores do passado séc xix que jaz morto e enterrado

na Europa quase desapareceu o 'sociolismo'

há bons oftalmologistas privados

Adelino Ferreira disse...

http://nsi-pt.blogspot.pt/2017/12/entre-o-fim-e-o-comeco.html?m=1

joserui disse...

Continue José, este é mais um para a posteridade. Já fez mais este blogue pela história das últimas décadas deste pobre país, do que centenas de livros, todos os jornais, rádios e tvs juntos.
Sobre esta propriedade… das duas uma, ou seria da desgraçada família de um desses facínoras que a tomou de assalto, ou foi roubada a uma desgraçada família no 25A e os gatunos por lá ficaram. Devem ter-se tornado proprietários por usucapião…
É bom sinal o camarada João Pedro já começar parecer um verdadeiro comuna… às tantas é o próprio abrantes a sibiliar para o teclado. Estes indivíduos não suportam a verdade, aliás têm um problema com ela.

joserui disse...

À venda por 7.500.000, nada mau para casa de um comuna… quanto valerá a de Salazar a preços actuais?

Adelino Ferreira disse...

Com a transferência aquilo acaba brevemente...

https://3.bp.blogspot.com/-1p_WPHsA7fs/WiFc6DBrOwI/AAAAAAAAsvs/C1_vruyL2dckxWUeatcYQgZMySpWypzqQCLcBGAs/s1600/atitulo.jpg

Maria disse...

Grande tema, José, parabéns. Destes é que são precisos para desmascarar os 'grandes libertadores dos povos, que derrubam regimes não comunistas para, uma vez em posse do poder, assaltar os postos de trabalho dos seus legítimos e honrados trabalhadores leais aos seus respeitados patrões, as direcções e administrações das grandes empresas e bancos, para deitarem abaixo as respectivas economias e no entretanto roubarem aquelas e escandalosamente o erário público desses mesmos regimes enquanto tal lhes for permitido e locupletarem-se com tudo o que há de melhor e mais luxuoso, pertença daqueles que eles vilipendiavam enquanto não os tiraram do poder, para, uma vez com este nas mãos, ocuparem com violência os grandes palácios, palacetes e moradias luxuosas com todo o seu interior valiosíssimo, isto nunca falta, tudo fruto de uma inveja doentia que a esquerda comunista e socialista, com raras excepções (que as há - Cunhal e Soares, por exemplo - mas nestas é a inveja e a maldade intrínseca que imperam) paupérrima e mesmo miserável d'origem, sempre devotou aos ricos e poderosos e aos seus bens, estatuto e posições de relevo nas sociedades.

Este Palácio inacreditàvelmente gradioso e nobre, recheado de mobiliário preciosíssimo, tinha que ser invejado pelos 'amigos dos pobrezinhos', como o Cunhal e o Soares e respectiva comandita, pois claro, que estes não íam por menos e logo para residência daquele que tinha fama de ter 'lutado toda a vida' para um dia vir libertar os portugueses da 'opresão salazarista'!!! É preciso muita lata!
Se tanta falsidade, hipocrisia e cinismo, virtudes desta malta comunista e socialista, não fosse para quase chorar lágrimas de sangue, dava para rir a bandeiras despregadas.

E quantos mais Palácios fabulosos e palacetes igualmente nobres terão ido parar às mãos assassinas desta maltosa desprezível através de ocupações violentas cujos donos ou porque fugiram para o Brasil no PREC ou porque se exilaram por os comunas lhes terem destruído a vida profissional, uma vez regressados, perante as suas residências ocupadas pela comunagem extremista e sob forte ameaça, não tiveram outro remédio senão entregar-lhes as respectivas chaves, abandonando as suas propriedades - vide Quintas enormes pelo país fora e Herdades alentejanas ricas em terra e produtivas. Palácios e palacetes, moradias enormes, prédios inteiros e belíssimos andares em edifícios antigos muitos dos quais ficaram todas estas décadas na posse destes energúmenos sem que os portugueses tenham tido conhecimento (e continuem sem o ter) exactamente a que mãos de que gatunos foram parar?
(cont.)

Maria disse...

O Palácio no Rato que Soares usurpou para fazer dele a sede do seu partido, nem ele o fazia por menos, é outro que nunca lhe devia ter ido parar aos gadanhos. Mas este é só mais um dos milhentos palácios e casas nobres com que estes sem escrúpulos, verdadeiros parasitas da sociedade, se locupletaram.

Os mesmos que levaram a vida a arrotar postas de pescada em defesa dos pobrezinhos e que Salazar os punha a viver miseràvelmente e em barracas e sem trabalho (e agora não, mas pouco!..., além da maior parte do que diziam ser mentira, agora é que tudo isso é verdade, mas a quadruplicar) veio Abril e passadas quatro décadas dos libertadores do povo terem vindo 'tirá-lo da miséria do fascismo',

vêmo-lo a viver debaixo das pontes e em vãos de escada e à porta de prédios onde comem e dormem e se tapam com cartões e os restantes vão comer "à sopa dos pobres" (nesta excelsa democracia voltou-se ao que acontecia na, pelos malditos extremistas endeusada, primeira república., é linda a democracia, não é?),

estes é que são verdadeiros vagabundos - que pràticamente inexistiam no regime anterior - e a que a nova linguagem introduzida na fala corrente pelos 'democratas' apelida de os 'sem-abrigo', é uma expressão mais 'democrática'..., todo o léxico - e tudo o resto - que cheire a Estado Novo, queima que se farta, é para deitar fora),

mas que leva uma vida de luxo e reside em palácios usurpados aos donos genuínos e tem levado outro tanto a viver como nababos com grande parte das mais de oitocentas toneladas de ouro e divisas pelos próprios desviadas do B.de Portugal. Tesouro este, é bom nunca esquecer, que Salazar deixou como seu legado de forma expressa ao País e aos portugueses.

Afinal Salazar, ele próprio, que tão difamado foi (e continua a ser) por estes valdevinos esquerdalhos e que, contràriamente a estes pulhas, exceptuando a sua residência oficial em São Bento onde vivia por tal lhe estar destinado como Governante máximo do País, apenas possuía de seu e que deixou quando faleceu, cem contos no Banco, uma casa modesta e de dimensões mínimas e um pequeno terreno na sua Vila Natal onde passava sempre as suas curtas e modestas férias. Luxos que possuísse? Nem um.

Ele não se passeava por Resorts fabulosos nem se alojava em Hotéis de seis estrelas nas Ilhas Gregas ou nas Caraíbas nem fazia Zafaris por terras africanas, onde estes miseráveis esquerdalhos que não têm onde cair mortos passam as deles várias vezes ao ano e sempre com os milhões que continuam a roubar aos portugueses.

Poderá existir alguma comparação, por mínima que seja, entre as enormes qualidades do Estadista, como pessoa e como Governante, e as destes farsantes sem eira nem beira que fingiram que vieram libertar-nos do regime 'fascista' que nos 'oprimia' e que continuam até hoje a fingir que nos governam? Nenhuma, claro está.

O nosso país foi invadido por um bando de vendilhões de pátrias e de gatunos, que não satisfeitos com a destruição de uma Nação quase milenar, deram-nos cabo da alegria de viver, da felicidade que se sentia no dia-a-dia, da segurança total em que se vivia, em poucas palavras: tiram-nos o gosto pela vida. E porventura era isso mesmo que eles maquiavèlicamente sempre haviam tido em mente e lograram satânicamente concretizar após a tomada do poder em 25/4.

Se fosse possível recuar ao séc. dezoito ou mesmo dezanove, o destino adequado para estes desalmados e sem escrúpulos que nos arrebataram o País para o retalhar em pedacinhos, era serem pendurados no Rossio para, enquanto lhes restasse um sôpro de vida, pensarem no tremendo sofrimento por que fizeram (e continuam a fazer) passar um povo bom e humilde que só queria viver em paz, mal que não merecia. Esse mal foi única e exclusivamente fruto de uma inveja desmedida e de uma maldade demoníaca de que estes desnaturados foram e são possuídos.

Maria disse...

"Estes indivíduos não suportam a verdade, aliás têm um problema com ela."

joserui, nem mais. É mesmo isso, sem tirar nem pôr.

Maria disse...

Esse belíssimo Palácio de São Sebastião, se calhar foi comprado pelo Costa. Ele é comunista, sempre foi, e tem vindo a locupletar-se com milhões desde que tem ocupado cargos governativos (aprendeu as manhas todas com o Sócrates de quem foi braço direito ou vice-versa) e portanto tem massa suficiente e sobra-lhe para dar sete milhõezitos pelo mesmo. Para os comunas travestidos de xuxas como ele, sete milhões e meio não passam de peanuts.

Só o que se diz que ele tem lucrado em milhões com as aldrabices que tem feito tanto no anterior cargo governativo como neste que agora detém, com as múltiplas trocas e baldrocas dentre elas a anulação do contrato/compra do Syresp para meses depois voltar a adquirir o mesmo! Só esta manigância da sua parte, já dá para imaginar o resto.

Ele, Costa, foi negociar secretamente com os espanhóis, italianos e franceses para estes darem o seu aval à eleição de Centeno para presidir à Comissão Europeia. E alguns candidatos já desistiram... E no entanto ele tem vindo a dizer, primeiro que essa hipótese não se punha, já mais recentemente que "não se pensou nisso", depois "que ainda há que ver como as coisas se irão passar"... e mais não sei quantas patranhas. Agora o Centeno já se candidatou ao cargo...
Aldrabão de primeira é o que este Costa é. Mais um. Daquela banda também não admira.

Floribundus disse...


Com quantos tolos se faz uma república?
Padre Correia de Almeida

não posso gastar dinheiro na compra do livro

mas basta-me olhar para o desgoverno do be pessimamente dirigido por um palerma mentiroso

acendeu-se uma luzinha em belém

a mariana em vez de referir as celuloses do Tejo
devia espreitar a merda dos madrilenos em Talavera de la rep

zazie disse...

«Já fez mais este blogue pela história das últimas décadas deste pobre país, do que centenas de livros, todos os jornais, rádios e tvs juntos.»

Grande verdade.

Zephyrus disse...

Quando tinha 14/15 anos houve uma especie de renascimento dos Xutos. A banda era altamente promovida na Antena 3 e entao o vocalista lancou album a solo e fizeram "tour" pelo pais. Eu nao conhecia nada de Xutos, pois em casa na tinha discos da banda. O meu pai nesses tempos ouvira outra coisas, Pink Floyd, Dire Straits, Genesis. Fui ve-los numa tour intitulada "Nesta Ciddeade", algures em 2002 ou 2003, no centro cultural da terrinha. Parte do concerto foi propaganda politica, com o vocalista a falar da "campanha e luta" contra o cavaquismo, e a luta que havia pela frente contra a Direita: estava entao no poder Durao Barroso...

Vi-os ao vivo mais vezes, pois eram ponto alto nas noites da Queima da Fitas. Outro ponto alto? Quim Barreiros...

Com o tempo percebi que eram banais, "overrated". O Veloso, tal como foi dito aqui, esta degraus acima. O Reininho tambem. Acho mais interessantes os Setima Legiao, Taxi, Jafumega, Ornatos Violeta ou o Quarteto 111. Do ponto de vista criativo somos pobres e se quisermos alguma riqueza no que concerne a musica ligeira teremos de olhar para o Brasil.

Os Xutos? Simpatizam com o PCP e o BE, e nos concertos faziam comentarios... contra a Direita. Grandes lutadores da liberdade contra o "fassismo". Esta tudo dito.

Zephyrus disse...

Temos ainda outro fenomeno a ter em conta...

A Esquerda dita "intelectual" sempre apontou o dedo aos "canconetistas" de entao. Quem eram? Havia um Calvario, uma Simone ou um Marco Paulo, que teria depois o seu auge nos anos 80 com adaptacoes de cancoes de outros. E agora? Temos um Tony Carreira... que ao longo dos ultimos dez anos acumulou uma fortuna com o circuito dos concertos "promovidos" pelas autarquias. Este Tony e outros da musica dita "pimba" que a "elite" abomina nunca ganharam tanto dinheiro como nos ultimos anos. Sempre assim foi?

Nos anos 80 havia na minha regiao varios saloes de bailes e de festas onde actuaram as Doce, Dino Meira, Marco Paulo, Trio Odemira e outros artistas populares da epoca. Tudo organizado por "privados". E pagava-se bilhete pela entrada. Os ditos "artistas" nao cobravam os cachets milionarios que agora exigem. Mais tarde, quando as autarquias comecam a organizar as festarolas locais, e a pagar aos "artistas", os cachets sobem. E a RTP, nos programas da tarde e da manha, da farto tempo de antena aos "pimbas" e a familia Carreira. E o servico publico a "cultura".

Zephyrus disse...

Sem a RTP e sem o circuito dos concertos pagos pelas autarquias, como seria a vida do Carreira e companhia? Fica a reflexao.

Zephyrus disse...

Ja agora, e se os Xutos, em vez de simpatizantes do PCP e do BE, fossem de Direita? Que se recorde o tratamento dado aos Herois do Mar...

josé disse...

"Disse biliões de vítimas e disse bem !!! Vós sois apoiantes dos 1% dos mais ricos e está tudo dito. "

Sempre a inveja. O Brejhnev e comparsas do comité central eram pobres?

E as datchas da antiga URSS eram para quem?

Havia para todos?

Havia mais pobreza nos países de Leste do que no Ocidente capitalista em que os tais 1% tinham a riqueza.


josé disse...

Agora quanto ao facto de o PCP ter usufruído dos privilégios dos ricos, isso, nada, niente, rien, nicht.

É tabu.

lusitânea disse...

O D.Sebastião dos comunistas é o Estaline.O que dava ordens aos marinheiros para zarparem com os seus barquinhos para apoiar a república espanhola.E O Tenreiro o seu maior terror...que os fez parar a tiro e causou a sua ida para o Tarrafal.De que nunca mais deixaram de se queixar...
E as 2 manas jeitosinhos que o partido enviou para Moscovo para aquecerem o Cunhal?E com quem ele casou uma a seguir à outra mas de certeza que dormiam todos na mesma caminha...à "moderna"

josé disse...

Da vida amorosa de Salazar há livros e historietas em revistas como a Visão e outros cóios cripto-comunistas.

Sobre a vida amorosa ou sem o ser de Álvaro Cunha, rien. Nicles, nicht.

Nem isso os faz pensar...

fernando disse...

Como diz o José Milhazes, o capitalismo é a exploração do homem pelo homem e o comunismo é o inverso

zazie disse...

Até marinham pelas paredes.

ehehehe

Ficaram biursos com a casinha escondida.

E porque é que nenhum jornalista se lembrou de pesquisar?
Eu dei com ela numa rápida pesquisa no google.

zazie disse...

Eles são anti-capitalistas porque preferem o feudalismo
ehehe Por isso é que ocupam palácios em vez de meras casas burguesas

":OP

joserui disse...

O Zephyrus acaba por falar no aspecto do costume… personagens maiores da cultura neste país, só de esquerda desde pequeninos.
No entanto, uma discordância: O Reininho não canta nada de nada… nadinha, zero. Os GNR são mais uma banda medíocre, derivativa, para não dizer plagiadora em certas instâncias. Como disse um amigo meu numa ocasião, para quê ouvir as cópias quando podemos ouvir os originais?

zazie disse...

O Zé Pedro não era nada. Não era sequer político. Ele conta até qeu o pai como militar nunca transmitiu qualquer juízo de valor negativo acerca do regime. E viveu em Timor e sempre disse que os timorenses adoravam ser portugueses.

Há entrevistas onde se pode confirmar.
Esta escardalhada é que tem de fabricar mentiras para inventarem sempre começos que nunca podem ter acontecido antes do 25 de Abril.

zazie disse...

Lá no grupo dos Olivais, sim. Foi atrás da corrente. Mas não era sequer jacobino. Se o fosse não tinha ido para os Jerónimos com missa.

No mínimo ia para a basílica da Estrela.

zazie disse...

O zephyrus enganou-se no post

zazie disse...

Agora essa cena da luta contra a Direita e não sei quantos em concertos, não faço a menor ideia.

È que sempre achei aquilo uma nulidade de tal ordem que nunca na vida me passou pela cabeça ir assistir a um concerto.

Mas fui à estreia dos Heróis do Mar, Rock Rendez Vous, na rua da Beneficiência.

Aníbal Duarte Corrécio disse...

Seria muito interessante um estudo que analisasse do ponto de vista económico qual a natureza da estrutura de funcionamento do PCP, que mui provavelmente obedecerá ao modelo típico do capitalismo.

Depois também seria deveras interessante saber que tipo de imobiliário e o seu número, pertencente à CGTP/PCP.

Na prática, temos uma seita que precisa de dinheiro e fiéis para sobreviver.

E, a sua essência, do ponto de vista estrutural, desconfio eu, não deve diferir muito de uma empresa capitalista, posicionada no mercado das ideologias, cuja principal função é proporcionar às suas clientelas poder de compra a troco de voto/ influência sindical.

Teremos assim uma Seita - Sindicato, disfarçada de Partido.

josé disse...

O Zé Pedro dos Xutos era sobrinho de A. Ruella Ramos, o antigo director do Diário de Lisboa e Sempre Fixe que se tornou mais comunista que os comunistas, em 1974.

josé disse...

Isso segundo o artigo do Público da autoria de João Lopes, aliás muito bem escrito porque genuíno e não copiado da internet.

O Zé Pedro terá mesmo feito uma crítica musical ao disco Horses, de Patti Smith que saiu em 1976, por cá, salvo o erro.

E por falar nisso tive uma ideia...

Adelino Ferreira disse...

O diabo acabou, os incêndios e os mortos e a legionella idem.
Derrubado o pantomineiro que não se demitia fossem quais fossem os resultados das eleições, o país voltou à normalidade democrática que os portugueses escolheram em eleições. Ao maior responsável pelos problemas económicos e financeiros do país foi-lhe oferecida vivência num "convento" e aí passou à irrelevância com carro e motorista.
A zazi descobriu o palácio do Cunhal...não tem combustível para acender um cigarro
Amanhã o CSM deve comunicar o resultado do inquérito ao juiz que para não agravar a pena a 2 energumenos, utilizou preceitos religiosos.
Enquanto ia escrevendo estas,acabo de saber que o Centeno será presidente do Eurogrupo. Lendo o que li e vendo o que vi sobre o ministro das finanças, há políticos e comentadores que deveriam ter vergonha de continuar no activo.

Luis Filipe disse...

Consegui arranjar no Alfarrabista o famoso livro do "chico da CUF". um grande comunista "arrependido. Está lá tudo!!!! eu que até ando á anos a estudar esta questão paro por aqui, pois estou esclarecido finalmente.
Após ler o Arquipélago Gulag e contos de Kolimá.
Só lido, este arrependido,contado não se acredita!

josé disse...

"Amanhã o CSM deve comunicar o resultado do inquérito ao juiz que para não agravar a pena a 2 energumenos, utilizou preceitos religiosos."

Já se disse e redisse que não foi assim, mas continua a chover no molhado.

O juiz em causa não agravou a pena porque entender que a suspensão da pena tinha sido bem decidida pela primeira instância.

Essa dos preceitos religiosos não serviu para fundamentar tal decisão. Foi um acrescento desnecessário e que os jacobinos e feministas pegaram para malhar no juiz em causa. Descobriram tarde que tinha sido comunista...

josé disse...

Quanto à ideia sobre o Zé Pedro dos xutos é impraticável: o DL não está todo digitalizado na Fundação Mário Soares, paga por todos nós. Os suplementos não tiveram direito a tal...logo o escrito de Zé Pedro sobre o Horses, de Patti Smith que o articulista do Público garante ter sido o primeiro escrito em Portugal sobre o disco, não pode ser consultado.

zazie disse...

Não fazia ideia que era sobrinho do Ruella Ramos.

Assim estão explicadas mais coisas...

zazie disse...

A irmã mais velha, a que anda com a biogradia, é um tanto tolinha e foi das primeiras a fazer por cá uma treta de tese em "questões de género". Acerca da Virginia Woolf a quem tratava por "a Virgínia".

Adelino Ferreira disse...

O entrevista ao jornal I foi para comemorar os 56 anos da fuga do Domingos e restantes companheiros (incluindo o morador no palacete...) de Caxias.

zazie disse...

Ora aí está um motivo altamente isento para uma entrevista- "uma entrevista para comemorar a fuga".

zazie disse...

Podia chamar-se um panegírico porpagandístico para comemorar um grande feito nacional. Sempre soava melhor que uma "entrevista comemorativa".

josé disse...

Este tipo de entrevistas como o i fez ao Domingos Abrantes é do género das que sempre fizeram aos próceres do PCP. Mesmo a do Miguel Esteves Cardoso, num Independente qualquer nos anos noventa não saiu do registo. Nem sequer a da Maria João Avillez.

Desse género de entrevistas gostam eles...

josé disse...

Confrontar os bichos com a peçonha é que nunca o fazem. Se calhar têm medo que lhes neguem a entrevista...

Lura do Grilo disse...

Este comunas, assassinos em série pela fome, pela guerra, pela doença, pelos campos de concentração, por falta de cuidados de saúde não são capazes de ver a doença de que padecem

josé disse...

Pois eles nunca vêem mas quem os entrevista nunca os confronta com tais realidades.

Porquê?

A resposta a essa questão é a mesma que busco aqui no blog: como é que os comunistas apareceram debaixo das pedras nas semanas a seguir ao 25 de Abril.

Até agora só encontrei uma resposta coerente e lógica que resiste a todos os argumentos: inveja. Só inveja generalizada. A mediocridade e a incompetência não suporta o seu oposto e como é maioritária configura-se como o Mal que nos assola desde há 43 anos.

Pedro disse...

A bancarrota dos anos 80.

A do PSD :)

Pedro disse...

É verdade, mas também se aplica ao capitalismo.