quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O governo do ISCTE e da Maçonaria

O novo governo de José S. :

Ministro da Presidência: Pedro da Silva Pereira- ?

Ministro dos Assuntos Parlamentares (novo): Jorge Lacão- Maçonaria.

Ministro dos Negócios Estrangeiros: Luís Amado- Maçonaria.

Ministro do Estado e das Finanças: Teixeira dos Santos-?

Ministro da Defesa (novo): Augusto Santos Silva- Maçonaria

Ministro da Administração Interna: Rui Pereira- Maçonaria

Ministro da Justiça (novo): Alberto Martins-Maçonaria

Ministro da Economia (novo): José Vieira da Silva-ISCTE

Ministro da Agricultura e Pescas (novo): António Manuel Serrano-ISCTE

Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações (novo): António Augusto Mendonça -ISEG...

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior: Mariano Gago-?

Ministro do Ambiente (novo): Dulce Fidalgo Pássaro- ISCTE

Ministro do Trabalho e Solidariedade Social (novo): Maria Helena Santos André-ISCTE

Ministro da Educação (novo): Isabel Alçada ( elogios à política de Educação do governo anterior...do ISCTE)

Ministro da Saúde: Ana Jorge.-?

Ministro da Cultura (novo): Maria Ferreira Canavilhas-ISCTE


57 comentários:

lusitânea disse...

Cá por mim se a governação falhar deveriam ser extintas e ilegalizadas tais agremiações que são a base do nosso descontentamento e a razão do afundanço de Portugal.As políticas africanas do ISCTE já nada podem resolver porque já nos atolartam...
Agora é só esperar pela hora da verdade e esperar que justiça seja feita(não aquela do distanciamento da Palma, mas sim aquela que brota de rompante da alma popular...)

zazie disse...

eheheh

C'um caraças, vão ter de andar em fila no beija-cu

":O)))))

Mani Pulite disse...

Gago tem fortes ligações ao ISCTE através da mulher.

Mani Pulite disse...

O ISEG é outra fonte de recrutamento importante e o ISCTE é controlado pela Maçonaria.

Wegie disse...

José:

Sem pretender contradizer o sentido do teu post, pois penso que o ISCTE é um lobby influente gostaria de fazer algumas precisões:

A Canavilhas é professora dum Conservatório de Música.

A Pássaro é do IRAR (um organismo particularmente afecto a Socrates)

O Serrano é da Universidade de Évora

O Teixeira dos Santos e O Santos Silva da FEP

O Gago do IST

josé disse...

Todas as pessoas que apontei têm ligações ao ISCTE, directa ou indirectamente. Através de docências, mestrados, conferências, júris, etc.

É nesse sentido que fazem parte do património ISCTE que a meu ver, devia encerrar as portas e dispersar son fonds de commerce por outros lados. Talvez lá fora, nos USA de Obama.

josé disse...

O ISCTE é a principal fonte da nossa decadência, em vários níveis.

O Carvalho da Silva é agora, orgulhosamente como reparei há dias numa entrevista na tv, sociólogo do ISCTE.

Balha-nos santa Engrácia.

josé disse...

Todo o post modernismo nas políticas sociais, educativas etc, vêm desse antro da actual intelligentsia.

Tónicas fundamentais: jacobinismo, post-modernismo, sociologia de algibeira, psicologia de marginal.

hajapachorra disse...

Não percebi foi aquele frete policarpiano. Roma deve nomear quanto antes novo bispo de Lisboa. De preferência um que não se arme em chefe de uma coisa que não existe, a 'igreja portuguesa'.

josé disse...

Todos os comentários das tv´s afinam pelo mesmo diapasão: conformismo.

Os comentadores nem tocam nos aspectos essenciais e falam nas coisas banais da imagem tipo fotomaton.

É de uma indigência atroz e de uma banalidade indulgente que agonia.

josé disse...

O Policarpo acreditará em Deus?

É uma pergunta por via da dúvida que me assalta sempre que o vejo.

Não acredito que acredite.

josé disse...

O que pensará o Policarpo da Casa Pia?

joserui disse...

Balha-nos santa Engrácia.
Hehe... Estou verdadeiramente entusiasmado com este governo. Desta vez é que vai ser. Vai mesmo! -- JRF

joserui disse...

José, não tenho tido oportunidade de comentar muito... Desculpe lá fora do tópico...
Já tenho dito que entendo o que diz sobre a justiça e concordo. Mas, hoje mais uma que demonstra que o que vai dizendo, embora certo fica bem curto.
Um amigo meu, divorciado, classicamente em litígio por causa da filha, pretende que a ex cumpra o acordo. Uma coisa simples, às centenas todos os dias. Fez queixa e hoje foi convocado para juntamente com a ex explicar o caso ao juiz do ministério público. E lá foi.
Entrou, da ex, nem sinal. Conclusão do juiz — "esqueceram-se de a convocar".
Isto é brincar com as pessoas. De uma falta de respeito atroz. É o grau zero de tudo. O fim do Mundo. A justiça, funciona mal do porteiro ao juiz, ou melhor ao ministro! E têm que ser apertados. E apertados a sério. Não é a brincar. E sem vontade para isso, não vão ser leis bem feitas que vão resolver nada. Não se pode descer mais baixo! ... Se bem que me surpreendem negativamente numa base regular...
Num caso destes, "esquecem-se" e andamos a discutir casos complexos como a Casa Pia? O historial do processo deve ser de rir. Esquecem-se até de fazer justiça. -- JRF

Wegie disse...

José:

Sorry! Retiro o que disse e subscrevo a tua resposta.

Wegie disse...

Já agora acrescento: A esposa do Mariano Gago é docente do ISCTE.

josé disse...

José Rui:

Pode exolicar melhor um pouco o que se passou?

Como o caso não tem a ver directamente consigo e pode ser suficientemente relatado em abstracto para poder ser analisado em concreto, diga-me:

Era um processo crime ou cível?

O tal "juiz do Mp", não pode ser designado como tal, porque o MP não tem juizes, tem apenas procuradores. Portanto, presumo que seja um processo ou de inquérito ou administrativo.
Se fosse um processo de regulação de responsabilidades parentais ( agora chamam-se assim, depois da intervenção dos finórios do ISCTE- é verdade, até nisto metem o bedelho!) era o juiz quem mandava no processo e o Mp ficava como parte que representa os menores.

Portanto, presumindo que seja um processo administrativo, a convocação das pessoas pode fazer-se de vários modos. O seu amigo sabe dizer-lhe como foi?

Depois de saber isso, digo-lhe o que acho que deve ser dito para defesa da honra de conventos alheios se preciso for.

Karocha disse...

José
Adoro aventalada!!!

joserui disse...

Hmmm... Bem, não era crime deve ser cível. um processo de regulação de responsabilidades parentais -- deve ser isso mesmo. São as visitas, os telefonemas, as idas ao médico... essas coisas, que no meio da civilização já se esperava que estivessem garantidas.
Foi convocado por carta... Mas posso confirmar. -- JRF

joserui disse...

Outra coisa... A menor não é chamada para o processo. Não há nenhum problema. O problema é que a mãe não cumpre o acordo a que chegou com o pai. Nem a parte básica. -- JRF

Wegie disse...

Essa dos finórios do ISCTE foi excelente!
Conheço uma pessoa que ficou classificada em 1º lugar num concurso público para uma vaga de docência no ISCTE. Depois de 1 ano a dar aulas na tasca a recibos-verdes arranjaram forma de a substituir, sem concurso, pela pessoa que tinha ficado em 4º lugar, porque era politicamete mais afim.

Karocha disse...

E também gosto da Opus dei !

josé disse...

José Rui:

Mas era assunto de processo cível já classificado ou seria administrativo?

Sem essa informação, não posso esclarecer muito mais.

Porém, as convocatórias para os actos processuais, são da responsabilidade das secretarias.

O problema que costuma haver com isso, são as horas.

O horário de funcionamento dos tribunais é das 9 ás 12.30. E das 13.30 ás 16 para o público e até às 17.30 para os funcionários ( é como os bancos e seguros).

Portanto, a convocação em cível faz-se por carta, telefonema e de modo simplificado. Se as pessoas não aparecem, paciência...é preciso esperar ou voltar a convocar.

Se a mãe não apareceu e não cumpre o definido no processo ( por isso presumo que seja um processo da responsabilidade do juiz, mas pode ser do MP se a questão derivou de queixa do pai ao Mp e este organizou processo administrativo para ver o que se passava), há instrumentos legais para isso.
Mas são pouco eficazes. Há multas, mas para que adiantam as multas se o melhor será o cumprimento do acordado ou definido?

zazie disse...

JRF,

Essas tretas costumam passar por muitas mãos e quem convoca são os serviços de secretaria.

Que eu saiba as assistentes sociais também o podem fazer.

E tanto poderá ser ouvido pela procuradora do MP (digo no feminino porque é tudo mulheres) ou pelo juiz, ou pela assistente.

Acho que é mais ou menos isto nos processos de regulação dessa coisa que agora chamam de "parentais".

ehehehe

Mas pode haver trafulhice e, num caso que presenciei a trafulhice foi deliberada e cometida pela assistente social.

Isso é passível de denúncia e dantes nem era preciso advogado para a fazer (assim como não era preciso para todo o processo- o MP existe e pode substitui-los. Nestas tretas de família os advogados contam muito pouco).

zazie disse...

eehhe

O José explicou e eu não disse errado.

zazie disse...

Pode não comparecer deliberadamente e é sempre multado, julgo eu.

Mas é um facto que há casos de trafulhice das assistentes sociais porque elas também chegam a enviar os avisos e convocatórias, sem passarem pela secretaria.

A trafulhice que presenciei foi assim e não se tramou totalmente mas o foi caçada e o juiz posto ao corrente.

zazie disse...

No último julgamento a que fui e que nada tinha de família. A outra parte baldou-se e eles nem esperaram muito. Foi multada e eu ganhei a causa na mesma. Nem atrasou a falta de comparência.

zazie disse...

Ah, o José estava a falar em multas por incumprimento de acordo entre o pai e a mãe.

Isso não vale a pena. Se não resolverem entre eles não há juiz nem multa nem tribunal que o faça.

A menos que seja falta de pagamento ou fuga com o menor.

Tirando isso não há burocracia que resolva afectos e revanches.

joserui disse...

O juiz (ele chamou-lhe juiz) disse que a secretária se esqueceu de a convocar... Portanto não faltou.
É aí que quero chegar. Que adiantam boas leis com estes funcionários? Eu não os queria a trabalhar para mim. De borla eram caros. Isto só vai lá com a barbárie. E fazer de novo. Está irremediável. E é geral.
Uma coisa é certa. Esse trabalha numa empresa alemã. E parece que gostam pouco de manhãs perdidas em ministérios públicos da brincadeira. -- JRF

zazie disse...

JRF,

Mas isso então nada tem a ver com "males da justiça" mas de funcionamento de burocracia que podia ser igual ou mil vezes pior se fosse das Finanças ou de qualquer outra treta.

E eu não penso que estas pequenas tretas sejam mais que isso mesmo e nada exclusivas de Portugal.

zazie disse...

Mas não estou a ver juízes do Tribunal de Família com secretária própria a não ser a mesa dos papéis.

Há-de ter sido secretaria, sem acento.

";O)

joserui disse...

Mas isso então nada tem a ver com "males da justiça" mas de funcionamento de burocracia que podia ser igual ou mil vezes pior se fosse das Finanças ou de qualquer outra treta.
Então concorda que não serão melhores leis que trarão melhor justiça. Fala-se muito dos prazos... Sem tempo útil nunca haverá justiça. Vai ser com estes funcionários... E juízes. Nunca vi nenhum a chegar à hora. À hora que ele próprio marca.
Não é importante isto? Para mim é. Gosto de chegar antes da hora. Seja com juízes, seja com trolhas. É o respeito que eu tenho pelos outros. -- JRF

zazie disse...

ah, nesse aspecto sim, mas o problema não se pode dizer que é da justiça.

Quanto a atrasos também já os apanhei.

Mas não sei se está assim generalizado.

Das poucas coisas que sei que está uma anormalidade é a informatização de serviços da Câmara e coisas assim.

Porque em havendo erro, aquilo continua errado pois ninguém toca no sistema informático.

Já tive esse problema e foi macacada que demorou mais de um ano até que regularizassem pois tinham trocado a fracção de minha casa pela do vizinho do lado.

e andava tudo a pagar as coisas do outro. Com valores bem diferentes.

E fui recebida por uma besta que disse logo que não ia alterar nada, porque não era nada com ele.

joserui disse...

Mas, coisa mais interessante... Já viu isto (agora sim, não o rudimento que visitou!)?
Coisa fina. Até tem ISSN... Agora só tenho de escrever... Hehe. Ainda tem uns bugs e não me refiro à larva... Se fosse o Cayatte cobrava a mim mesmo 99.990€... E se fosse a república aceitava!
E já viu o trailer de um documentário sobre a Linha do Tua? Com um bronco a dizer que só falta ali cimento... Isto continua entregue à bicharada. -- JRF

zazie disse...

Agora quanto a atrasos é isso- já apanhei com eles e ultimamente antes pelo contrário.

Tamanha pontualidade que o medo era ser multada por segundos, se não estivesse logo ali à porta, quando fazem a chamada.

joserui disse...

Das poucas coisas que sei que está uma anormalidade é a informatização de serviços da Câmara e coisas assim.
Hehe. A minha mãe trabalhava na CMP... Na contabilidade... O que para lá viu... Mas adiante...
Na sala dela há muitos anos, instalaram mais 20.000 contos de computadores. Nunca funcionaram. Passados uns anitos, mais 20.000 (contos). A república é rica. -- JRF

zazie disse...

Ai o caraças- "agora só falta aqui é cimento".


Ui que coisa mailinda! um espanto. E um espanto de larvinha.

Apanhou-a assim, em instantàneo?

zazie disse...

ehehe

Alguém os vendeu bem, aos computadores.

Vou xonar e no fim-de-semana tenho mais jardinagem.

Dê-me uma ideia para trepadeira sem ser glicínia branca ou flor da cera (que demora séculos a crescer).

Não quero mais buganvíleas e só pode ser em azul ou branco.

Inté.

zazie disse...

Mas é para ficar ao lado de glicínia branca que tenho mesmo de encontrar pois tenho uma e são ainda mais bonitas que as azuis.

joserui disse...

Glicinia sinensis ou Glicinia floribunda? Esta última é a que dá cachos maiores de flores, é japonesa... Eu colocava uma ao lado da branca...
Não gosto muito de misturar radicalmente... Por outro lado... e uvas de mesa? Agrada-me produzir alguma coisa comestível e é bonita também. No Outono muito mesmo.
A larva é de Junho... Publiquei para testar. Este ano, ao fim de uns 2-3 anos sem químicos apareceram as joaninhas aos montes. -- JRF

joserui disse...

Tem também a Solanum jasminoides (Aqui no meu modesto sítio)... Mas cresce como se não houvesse amanhã... A Glicínia ainda é pior... Quer dizer, ando em luta constante com as trepadeiras.
E a Madressilva (Wiki)? Cheira bem que se desunha... Mas deve faltar pouco para ser uma daninha... Tem de andar com a tesoura no bolso. Tem mesmo. -- JRF

josé disse...

José Rui:

Uma vez que há a referência a um juiz, devo entender que o processo é de natureza cível e que decorre num juizo cível que é da responsabilidade de um juiz.

O MP nesses casos limita-se a estar presente e participar nas conferências que estes processos dão lugar, com a presença dos pais a fim de se procurar um entendimento, uma conciliação, como se chama.

A convocatória para estas conferências é designada pelo juiz que escreve no processo a data e hora da realização. Mas o processo sai do gabinete do juiz ( agora por via electrónica) e aterra na secretaria ( os juizes e mp´s, não têm secretaria privativa, uma vez que os funcionários são públicos e até dependem de outras entidades como sejam o ministério da justiça e o conselho superior de oficiais de justiça. Um juiz não manda no funcionário como se fosse secretário ou secretária...). Assim, o papel desses funcionários é cumprir os despachos do juiz, o que fazem nas secretarias do tribunal como se faz nas câmaras ou Finanças. Tal e qual.

A convocatória para actos processuais como esse pode fazer-se de vários modos, até por telefone e em cima da hora, pelo que essa desculpa de o "juiz do mp" se ter esquecido ou algum funcionário se ter esquecido de convocar a pessoa precisa de melhor esclarecimento e não deve servir para desfazer no sistema sem mais.

Ainda assim, devo dizer que a convocatória para esses actos, às vezes é feita pelo juiz, segundo a sua agenda mas com meses de antecedência, por causa da dificuldade em arranjar dia disponível. E por vezes ainda acontece coisa pior: no dia disponível o juiz, julgando que poderia resolver essas questões em meia-hora, marca para a mesma altura ( às vezes a mesma hora, por causa dessa antecedência e a contar com alguém que falte) várias diligências do género ou outras.
Ora o que é que acontece fatalmente? Para essas diligências não há tempo definido. Podem demorar um quarto de hora como podem demorar duas horas e não se sabe à partida que assim vai ser.
Portanto, já está a ver o resultado. Se a primeira demora mais que o previsto, a seguinte começa com atraso...sem culpa de quem quer que seja.
Poderá sempre dizer que é um problema de má gestão e é verdade. Se o juiz não marcasse mais nada não havia disso.
Pois assim é, mas se o juiz não marcasse mais nada em vez de fazer essas coisas em dois ou três meses, demoraria seis ou mais.

Sérá que isto é perceptível pelas pessoas em geral?

Mais: o horário das secretarias não é necessariamente o horário dos magistrados que não tem que obedecer rigidamente a horários porque não picam pontos. Mas trabalham fora de horas se necessário. E é muitas vezes necessaário, principalmente com juizes se quiserem ter o trabalho minimamente em dia.

Por mim e como excepção à regra e esperando que ninguém leia isto, tenho absolutamente tudo em dia. Por aí ninguém me pode xingar, como às vezes acontece...

Isso significa que não tenha nada em cima da mesa quando vou embora. E para escrever isto, já despachei o mais importante para hoje e agora vou ouvir um preso que mandei mesmo prender...por furto qulificado e perigo de continuação.

Por isso, até logo.

( esta é a primeira vez que escrevo destas coisas, mas inseridas no contexto do comentário)

zazie disse...

JRF,

Mas que boa ideia essa do solanum jasminóide. Eu tenho um solanum mas sem ser trepador. E a minha glicínia é ninja, claro.

Vou ver isso. Obrigada.

E vou-me pirar que isto é um abuso no estaminé do José.

Se fosse no do joãzinho já tínhamos sido corridos com pau de marmeleiro-«xôO- como disse o Céline às ténias- seus anónimos labregos", a sujarem-me o postal! »

ahahahahahah

zazie disse...

Mas, apesar de ser bonito, o Doutor Engenheiro Campónio dá lá o alerta do que eu temo- são uns brutamontes bastardos.

Eu que o diga que tenho tudo invadido de raízes de jasmim comum- o branquinho.

Vou pensar melhor. Quero mesmo coisa delicada, ainda que corra o risco de já cá não estar quando ela estiver no seu esplendor marinhante

ehehe

joserui disse...

José, tenho de desancar, porque independentemente da razão, numa palavra, não funciona. E o pai lá tem que aguentar mais não sei quantos meses em que a filha não é autorizada a atender o telefone sequer. E a audiência foi marcada, podia estar resolvido (essa parte pelo menos, que de resto tenho poucas ilusões infelizmente, as pessoas separam-se e não se entendem de facto).
E sim, estavam não sei quantas marcadas para a mesma hora. Por atacado. -- JRF

joserui disse...

e esperando que ninguém leia isto
Hehe. Ninguém lê! Foi-se tudo embora com a horticultura... Desculpe a horticultura e o resto.
Se fosse eu, corria-me... E à Zazie.
A glicínia é Wisteria sinensis a chinesa e Wisteria floribunda a japonesa. Ontem enganei-me.
O Jasmim será o Jasmim-dos-poetas? Tem aqui foto e mais esta.

zazie disse...

O jasmim é esse. O branco que cobre tudo como se fosse neve. E o meu floresce duas vezes por ano.

O problema é que é predador. Uma coisa louca aquelas raízes. Tenho sempre de andar a defender a desgraçada da Hoya carnosa dos avanços poéticos.

ehehe

Na volta ainda me dá para uma loucura e encomendo por catálogo uma hoya mais rara.

São uma coisa linda.

Quanto ao juiz e ao telefonema que nem se pode atender, diga ao seu amigo que essas coisas não se resolvem em tribunal.

Dantes quem as resolvia era um bom padre.

zazie disse...

Há quem diga que esta nova lei do divórcio onde deixa de haver culpa ainda vai agravar mais essas revanches com os filhos.

Não sei. Mas é bem provável. Ainda que seja coisa que desconheça.

zazie disse...

Mas está-me a dar vontade de rir só de imaginar as cenas de faca e alguidar que vão aparecer em tribunal quando os gays forem para o choco de papel passado.

eheheh

Desgraçados dos rebentos e dos juízes que aquilo ainda é mais retorcido.

e-ko disse...

José,

é Gabriela Canavilhas e não Maria Ferreira Canavilhas... é pianista e cravista e nunca esteve ligada ao ISCTE.

deixe de alimentar, até à exaustão paranoias maçónicas... são também de temer as redes opus dei!...

Karocha disse...

e-Ko

Eu não gosto da Aventalada!

Mas o opus dei, conheço bem, pois a família do meu ex-marido é opus dei (ele não).
São do pior que há!
Capazes de ver uma pessoa com fome e olham para o lado e, mais não digo...

joserui disse...

Eu já sei que não se resolve... E mesmo que se resolvesse, não era com a justiça desmantelada que temos. Tenho observado a decadência de relações de casais que conheço, do idílio até ao presente... e nem sei que diga...

quando os gays forem para o choco de papel passado.
Haha!

são também de temer as redes opus dei!...
Onde estão esses no governo? Só se for o José S.! -- JRF

Karocha disse...

Vaticano?
António Guterres?

josé disse...

e-ko:

Tem razão. A Maria Gabriela De Silveira Ferreira Canavilhas não tem ligações evidentes ao ISCTE.

Enganei-me. Provavelmente não será a única, mas vou verificar.

Mas o Santos Silva tem. E à Maçonaria presumo, evidentemente.

e-ko disse...

http://www.musicatlantico.com/html/gabriela/gabriela.htm

MILHAFRE disse...

Maria Gabriela Silveira Ferreira Canavilhas nasceu na antiga Sá da Bandeira, Angola, filha de pais açorianos das Ilhas das Flores e de S.Miguel, tem o Curso Superior de Piano do Conservatório Nacional de Lisboa, é licenciada em Ciências Musicais pela Faculdade de Cîências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, foi directora artística do Festival Musicatlântico, autora de programas na RTP2 e Antena2 e últimamente exercia o cargo de Directora Regional da Cultura do Governo dos Açores.

Possui um vasto curriculum artístico e pedagógico.

É católica tradicional como são a grande maioria dos açorianos.

Mais informações poderão ser obtidas directamente no site do Governo dos Açores, cujo link deixo aqui para o ilustre auditório:

http://www.azores.gov.pt/Portal/pt/entidades/pgra-drcultura/defaud.html

Paulo Lopes disse...

E o saramago, sobre este governo, não podia dizer: "e a puta sou eu?"