terça-feira, 10 de dezembro de 2013

São rosas... senhores juizes!

 Sol:

José Penedos, ex-presidente da REN e arguido no processo Face Oculta, entregou ao Tribunal de Aveiro duas prendas que lhe foram oferecidas pelo industrial Manuel Godinho, para demonstrar o seu valor irrisório e que não houve corrupção.
Em atitude inédita, José Penedos, ex-secretário de Estado da Energia e da Defesa, entregou ontem as duas prendas que, segundo se apurou no inquérito, lhe foram entregues nas épocas de Natal pelas empresas de Godinho: um cantil Dom João II (da Vista Alegre) e um centro de mesa (Atlantis). No requerimento ao Tribunal, o seu advogado, Rui Patrício, salienta: “Talvez ver os presentes possa ajudar a compreender melhor o absurdo e o ridículo das imputações a José Penedos”.
O juiz-presidente do colectivo que está a julgar o processo Face Oculta, Raul Cordeiro, aceitou o requerimento e ordenou que ambas as peças sejam “guardadas num local conveniente” do cofre do Palácio da Justiça de Ovar.
No requerimento, o advogado Rui Patrício sustenta que “deve ser admitida a junção aos autos de objectos que constituem prova de que o crime [alegada corrupção passiva de José Penedos] não foi cometido, como é o caso”. E acrescenta: “É ridículo, é absurdo e viola as mais elementares regras do bom senso e da experiência comum partir-se do princípio de que um presidente de uma empresa como a REN, que ganha centenas de milhares de euros por ano, se deixaria corromper por presentes de Natal”.
Para Rui Patrício, “seja uma peça de cristal, seja um centro de mesa, seja uma peça Vista Alegre, seja o que for, mesmo que o presente tenha o valor de mil e tal euros, ou de dois mil e tal euros, ou 500, ou 300, ou 50”, não faz sentido tais ofertas levarem à alegada corrupção passiva por parte de Penedos ou de outra pessoa. “É pura e simplesmente desprovido de todo o sentido, pura e simplesmente inverosímil, que a oferta destes presentes tenha sido feita com o intuito de corromper José Penedos e, acime de tudo, que José Penedos se tenha deixado corromper pela oferta dos mesmos”.
José Penedos deixou a presidência da REN na sequência do caso Face Oculta, em Novembro de 2009. O filho, o advogado Paulo Penedos, também está a ser julgado no mesmo processo, que tem hoje a sua última sessão antes das férias judiciais de Natal. As alegações finais deverão realizar-se em princípios do próximo ano.

Tal como na lenda do milagre das rosas,  o advogado do "crime das elites", Rui Patrício, achou por bem apostar numa estratégia para convencer os juízes do colectivo de Aveiro acerca da acusação mal fundada contra os seus clientes. Em vez de corrupção passiva imputada ao presidente de uma empresa pública, enquanto chefe máximo da sua estrutura executiva, apenas  "presentes de valor irrisório", "prendas de Natal", atenções, miminhos de circunstância que o arguido lhe enviou para agradecer as simpatias e tão só pelos seus lindos olhos benevolentes para com a empresa carenciada dos seus favores.
Corrupção nisto? Honni soit qui mal y pense! Ridículo! Só um tolo acreditaria numa coisa destas...
O processo Face Oculta concentra alguns dos advogados do crime das elites do país e o assunto é a famigerada corrupção que parece não haver ninguém que a tenha visto algum dia a minar seja o que for.  Provavelmente será bicho mitológico, como os dragões ou os unicórnios ou então invisível aos olhos dos mortais como verdadeiro fantasma destas óperas-bufas.
Apesar disso, cheira como doninhas e por isso estes advogados do crime lançam este botafumeiro para afugentar o ar nauseabundo que exalam os factos em discussão.

Vou lembrar aqui o que disse publicamente, ao jornal i de 19 de Novembrio de 2009,  Rodrigo Santiago, de Coimbra e quando era  advogado do principal arguido, Godinho :

 "Rodrigo Santiago, advogado de Manuel Godinho, considera que o empresário de Aveiro "é apenas a ponta de um iceberg" de um complexo processo que pode "envolver figuras da hierarquia do Estado".
Referindo-se ao caso Face Oculta, que visa uma alegada rede tentacular de tráfico de influência, corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal, Rodrigo Santiago diz que um sinal desse envolvimento é a suspeita que recai sobre o presidente da Rede Eléctrica Nacional(REN), José Penedos: "Manuel Godinho é a face visível", diz o advogado."

É por isso natural que o botafumeiro agora lançado procure algum efeito deletério... e acabe tudo num mar de rosas.






5 comentários:

Carlos disse...



Neste "campeonato", que não lhe doa os dedos.

Carlos disse...

José,

Coisas a sério, do nosso penoso dia-a-dia, não motiva comentários. Como vê, o que interessa, é folclore da esquerda vs. direita. "Bote" aí!...

Karocha disse...

Pus no meu mural do face, José e lá teve muitos comentários, nem imagina!!!

josé disse...

O seu blog é muito mais popular que o meu! Ahahaha!

Karocha disse...

KKKKKKKK não é o meu blog, José o que pus no meu mural foi este post seu KKKK

A viagem da Apolo 11 nos media