segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Já há barbas de molho

Sol:

Um antigo banqueiro suíço entregou ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, dois discos rígidos com os dados das contas de cerca de 2 mil pessoas que depositaram dinheiro em contas offshore

A entrega da informação teve lugar hoje de manhã numa conferência de imprensa onde Julian Assange recebeu em mãos dois discos rígidos.

Os dois discos foram entregues por Rudolf Elmer, um antigo responsável do banco suíço Julius Baer no paraíso fiscal das Ilhas Caimão, cargo que ocupou até ser despedido em 2002.

O ex-banqueiro esteve precisamente na mira das notícias ao longo dos últimos dias, pois irá a julgamento na próxima quarta-feira por violação de segredos bancários, precisamente por ter enviado documentos ao WikiLeaks.

De acordo com a agência Reuters, os dois discos rígidos contém informação sobre as contas bancárias de cerca de 2 mil pessoas que depositaram dinheiro em offshore.

Com alguma sorte pode ser que...

37 comentários:

joserui disse...

A ver se é desta que sai algum interesse público da Wikileaks. Até ver está extremamente curto, para tanto barulho. -- JRF

zazie disse...

Era a sorte grande, José.

zazie disse...

O interesse público da wikileaks é a sua possibilidade.

E essa, altera de tal modo as relações de Poder que eu acho é que ainda nem se pensou nisso.

A wikileaks é a consequência da rede. Se uma é a descoberta do século, a outra não há-de ficar muito atrás perante o poder informativo fora do controle tradicional.

zazie disse...

No Natal o meu pimpolho, que anda interessado no estudo das duas grandes guerras, também se saiu com essa- hoje em dia, com a wikileaks grande parte disto não tinha sucedido.

E estávamos a ver filmagens incríveis que foram feitas na primeira.

Mas a difusão é tudo. E os jornais prolongam aquilo que é trabalho de sapa dos sopradores.

joserui disse...

Grande parte das duas guerras não tinham acontecido com a Wikileaks? Se é isso, tenho dificuldade em imaginar. E é difícil...
De qualquer modo, cada vez considero mais difícil distinguir informação do que não é. A Wikileaks existe e no entanto a manipulação nunca foi tão fácil e acessível. A Wikileaks pode ser mais um veículo. Por exemplo, nesta série (Boardwalk Empire) a ver: http://vimeo.com/18275127
É credível. Se fazem isto (e há muito tempo), falsificar soundbytes e papelada deve ser — e é —, a toda a hora. -- JRF

josé disse...

Não tinha acontecido o genocídio dos judeus. E isso parece-me indiscutível.
Ou o dos balkans se houvesse wikileaks nessa altura.

joserui disse...

Muito discutível... a mentalidade era complemente diferente. Aconteceu muita coisa, designadamente a destruição da Alemanha já em estado desesperado, que se podia ter poupado e não foi por falta de informação. Idem no Japão. E existir Wikileaks é uma coisa, que a informação lá vá parar é outra. -- JRF

Carlos Alberto disse...

Desde já aviso que se estiver lá alguma conta com o nome de Pinto de Sousa só pode ser daquele gajo da arbitragem ou isso... nada de JS, heim!!!!

josé disse...

O genocídio judaico só aconteceu porque a informação não era conhecida da maioria das nações de então. Mesmo que houvesse rumores,algumas não acreditavam porque havia guerra e a primeira vítima disso é a verdade.

Portanto, se houvesse wikileaks, perante um assunto tão grave, não seria possível hoje em dia encobrir o facto.

joserui disse...

Hoje não me parece que fosse necessário Wikileaks para um facto tão grave. Mas parece que a Wikileaks vai salvar o Mundo, que salve. Cá estarei eu para ver.
Da Wikileaks, ainda não vi praticamente nada. Tem piada a Rotweiller e tal. Mas não me parece que justifique publicação. -- JRF

zazie disse...

"Mas não me parece que justifique a publicação"

A publicação nada tem a ver com a weikilpeaks. Isso é a lógica às avessas. Publicar, sempre publicaram os jornais.

A novidade é a possibilidade da informação que é soprada poder vir para a net. Os jornais é que escolhem o que entendem publicar.

Vamos agora a ver com este disco rígido. É que nem se põe em causa que seja fraude. O próprio que soprou já tem processo em cima.

joserui disse...

Eu já sei disso... e já entendi. O meu problema é que a lógica às direitas para mim não tem lógica. Mas já discutimos isso! :) -- JRF

hajapachorra disse...

Lamento, mas as fugas wiki dão-se depois, só depois, muito depois dos acontecimentos a que se referem. Não evitam porra nenhuma. Mas ainda tenho esperança, como o engenheiral monte de trampa anda no negócio há uns 15 anos, quem sabe, pode ser que lhe saia a terminação.

zazie disse...

Bem, se são sopradas por serem factos, só podem ser depois.

Mas, a verdade é que existe advertência e muitos desses casos não só não se repetiram como fortemente punidos.

Recordo o caso de Abu Grahib.

hajapachorra disse...

Bem, as 'revelações' dos 'cables' não dizem respeito a acontecimentos, mas a previsões de acontecimentos, afinal é sobretudo para isso que existem serviços de 'inteligência' e embaixadas. A piada estaria aí, em publicar antes, para impedir que acontecesse; depois todos viemos a saber do holocausto, interessava era saber antes, quando se preparavam os campos e as deportações. Que este assanje não é um anjo e está a ser manipulado é evidente. Há coisas assim: a política definida por Kissinger para a América Latina está a ser 'implementada' pela quadrilha petralhista-guevarista da ideologia de género, pelas apfs e lgbts lá do sítio mailos da Onu.

zazie disse...

Está a ser manipulado por quem?

As revelações tanto dizem respeito a factos que ocorreram e foram escondidos como a intenções de actos ou apreciações diplomáticas.

Bastou um Abu Grahib. Tinha bastado uma denúncia de um campo de concentração e não haveria genocídio.

É disto que se trata. E não são os jornais que o fazem. Por todos os motivos.
Como se tem visto, por cá até ficam à espera que seja primeiro publicado por outros lá fora. E depois acontecem as palhaçadas de virem negar o que a Embaixada já considerou crime e fuga de informação.

zazie disse...

Eu não sei e ia jurar que nunca serei esclarecida acerca da famosa "ideologia assange".

O JMF tentou comparar com a dele no passado e fez figura triste.

Mas gostava era que me explicassem onde está a ideologia da possibilidade da existência de muitas wikileaks.

Porque a questão é essa. Não foi a wikileaks que inventou a net. Nem foi a wikileaks que inventou os sopradores.
O meio é que mudou.

josé disse...

Parafraseando o Che ( de quem tenho o célebre poster, guardado e enrolado nos meus arquivos, vindo do ano de 1975. Em vermelho de fundo com a boina preta...o original): que mil wikis com leaks floresçam!

PS: Ou seria outro que não o Che? Mao? JMF? JPP?

zazie disse...

ahahahahah

josé disse...

Ou então, numa onda de Tintin: Cum mil milhões de leaks!

zazie disse...

":O)))))))))

O José está com a pedalada toda.

Eu hoje também já me ri com aquela trapaça que vou tornar pública.

É bem pior do que eu imaginava. Não só foi tudo copiado, como o júri já tinha sido aprovado, agora, em Outubro, contactando-me apenas em Dezembro, como nem valia a pena júri de mestrado nenhum.

O mesmíssimo Conselho Científico da Faculdade, já tinha aprovado em Julho de 2009 o doutoramento da Mestra antes de o ser!

ahahahah

E eu, palerma, denunciei isto aos próprios que fizeram a tramóia.

Mais acima só mesmo o Reitor.

A orientadora de resumos (como a própria disse que se tratava) e de roubo e plágio, como eu confirmei que foi- quando inquirida por mim se tinha lido a minha tese, respondeu: "não".

ahahahahhahahaha

zazie disse...

Eu aposto como o Cocanha ainda vai sobrar para provas de agregação.

Palavra. O resumo do doutoramento até já tinha sido chumbado quando as mesmas o quiseram impingir a um Instituto de que faço parte.

Eu é que nem tinha relacionado o nome. E ainda menos esperava pela lata.

Mas é tudo gente apoiante do Obama. há-de ser por uma boa causa.

zazie disse...

As actas ainda estão online e já as guardei.

Não tarda muito vão desaparecer. Tanto mais que a trafulha bem orientada é bolseira de doutoramento da FCT na qualidade de Mestra que ainda não é.

A ideia do convite era mesmo para tapar este buraco.

josé disse...

Zazie: queixa no DIAP, já!

Está lá a Mizé que ainda hoje vi.

zazie disse...

eheheh

José, eu estou parva com isto. E dei com a coisa pelo Google.

A sério que quero ver se o Reitor me responde. Porque acta assinada pelo Directo da Faculdade já existe e é tida por Mestre.

Mas isto irrita-me porque até o tema do doutoramento foi pirateado do meu.

E eu nunca vi nenhuma destas pessoas. Não as conheço. Apenas li estudos da orientadora que tinha obrigação de ter juízo.

zazie disse...

Só ainda não encontrei a confirmação da FCT.

Mas, quem me disse foi a orientadora. Hoje, ao telefone, quando ficou muito atrapalhada com as perguntas e metia os pés pelas mãos com as datas.

Eu nem sei para que é que se faz isto. Palavra- Só pode ser para pagar ordenados a quem inventa estas incursões turísticas.

Foi licenciatura de Bolonha e Mestra no ano seguinte, sem prestar provas e doutoranda ao mesmo tempo.

E o tema do doutoramento vai mudando, conforme tem sido descoberta a nulidade. O do mestrado era bacano, por ser cópia de uns capítulos do meu.

":O))))))))

josé disse...

Não deixe passar em claro: queixa no DIAP, já!

Não costumo dar curso a estas coisas particulares mas esse caso é paradigmático de muita coisa que corre mal no ensino superior e por isso como não sei nomes e facto, para além desses, recomendo mais uma vez: queixa no DIAP, já!

O que é que lá vão fazer? Averiguar a existência de crime. Qual o crime?

Este, com definição no site da SPA

Comete o crime de contrafacção (vulgarmente designado plágio) quem utilizar, como sendo criação ou prestação sua, obra, prestação de artista, fonograma, videograma ou emissão de radiodifusão que seja mera reprodução total ou parcial de uma obra ou prestação alheia, divulgada ou não divulgada, ou por tal modo semelhante que não tenha individualidade própria.

Os referidos crimes são punidos com pena de prisão até três anos e multa de 150 a 250 dias, de acordo com a gravidade da infracção, agravadas uma e outra para o dobro em caso de reincidência, se o facto constitutivo da infracção não tipificar crime punível com pena mais grave.

zazie disse...

Mas, tecnicamente essa ideia do plágio não acaba como o Miguel Sousa Tavares provou- que escapam sempre umas palavras e percentagens.

Eu não sei. Porque isto não é literatura e também não é só plágio.

Ou seja- é um roubo com manhas de tal ordem que tive de desmontar como foram feitas.

Umas vezes cita. Outras cita com omissão de argumentos para fazer passar novidade dela, quando é treta. Dezenas de outras páginas são verdadeiro plágio por fazer passar como descoberta o que vem bem claro na minha tese. E até na de uma colega minha pois serviu para descobertas noutros materiais.

As manhas chegam a ser de tal ordem que para fingir que não leu na minha apresenta como conclusão uma passagem em entre aspas, por ser citação de fontes coevas. Isto é anedota até na forma como foi pirateado.

Noutras passagens tem truques mais engraçados. Cita quem me citou e finge que o autor foi o citador.

Só que nesse caso fez asneira porque a pessoa em questão é bem honesta em tudo o que citou e até insistiu comigo para eu assinar a meias outras publicações que e uma comunicação que ele fez em França.

E tudo isto, não só tem origem num capítulo da minha tese que foi problemático na altura- ninguém acreditava- como agora é tido por descoberta por em Espanha ter sido estudado o mesmo.

E eu fiz comunicação sobre o assunto, na qual, por coincidência, participaram os membros do júri.

Só que as actas nunca foram publicadas.

Mas estava já lá grande parte na tese. Está lá na primeira parte e em notas de rodapé o que esta agora diz que foi quem me leu que é o autor.

Agora a dita tese dela é um roubo. Incluindo fotografias das quais nem apresenta autoria.

E é um roubo que nem demorou nada um ano a ser encadernado. Foi agora, na véspera de ser o que já em 2009 era dado como adquirido- mestre.

Mas, se este roubo teve orientadora que agora nega que nunca me leu, como é?

E vão chamar outra pessoa para arguente?
Eu não sei. Mas, se se trata de uma ilegalidade da faculdade, que já tinha sido feita antes- devem ter necessidade disso.

Uma orientadora é paga para isso.

Esta está a ser paga para orientar duas coisas em simultâneo- o dito doutoramento que, em resumo, é tamanha aldrabice que até para revista foi recusado; e o mestrado que é o que é- uma vigarice.

Porque, se a rapariga é doutoranda e a inscrição do doutoramento foi provado em 2009, como sendo já mestre- então nem é a questão apenas do plágio da minha tese que está em causa.

E, o mais incrível é que nada disto se passa em "Independentes". Mas é cópia chapada desses exemplos de licenciaturas por fax ao domingo.

zazie disse...

"Que agora nega que me leu".

A anedota disto é esta- já há doutores universitários que dão cursos de treta de mestrado, financiados por bolsas e que se apresentam como "orientadores de resumos, sendo "orientadores de plágios".

E esta brincadeira vai a provas oficiais onde o júri é composto pela subdirectora do Departamento, pelo director da treta do mestrado e pela plagiada como arguente da vigarice.

ahahahaha

Eu nem sei se não devia ter lá ido brincar ao vivo com a palhaçada.

zazie disse...

Mas, o júri já tinha sido aprovado em Outubro, como consta de acta online E eu apenas fui contactada por telefone agora- em Dezembro. E nem sei se era a mesma pessoa convidada. Não vem lá escrito.

O facto de me convidarem até tem a sua manha e lógica. Quando foi da minha, foi complicado, pois o meu estudo era o primeiro, na matéria, a ser feito em termos académicos. Não havia quem pudesse orientar, nem julgar. Foi convidada uma excelente investigadora. Mas à tabela.

Para uma cópia do mesmo tema que continua virgem na temática- só podia ser eu.

ahahahahaha

Mas fartou-se de fazer agradecimentos no preâmbulo a quem a ajudou a pensar e interpretar tamanha obra. Esquecendo-se de me perguntar qualquer coisinha, já agora.

zazie disse...

Eu estou mesmo curiosa com o desfecho.

Porque ainda existe outro detalhe muito engraçado.

Ainda que não faça parte desta embrulhada, existe por lá catedrático no mesmo departamento que, na altura em que soube que eu estava a fazer tese sobre o assunto, mandou recado "para Lisboa" para não me deixarem pois ele queria publicar um livrinho acerca de um dos ditos "objectos" de estudo.

ahahah
E, a verdade é que nunca me emprestaram plataformas e escadas para poder fotografar pois o fotógrafo da vedeta andava por lá a fazê-las para o livrinho que nunca saiu em livro mas em mero capítulo de revista e com tretas escritas.

Eu fiz tudo em equilibrismos em cima de escadote velho e com ajuda de sacristão que lá ia dizendo- "vá, não tenha medo- suba mais um degrau que eu seguro" e aquilo a abanar tudo lá do alto.

":O))))))

zazie disse...

Esse catedrático tem plágios de morto. De grande americano que estudou e já morreu. Uma das ditas descobertas dele foi cópia do que o americano já tinha escrito há décadas. E nunca o citou.

Portanto...

josé disse...

O plágio é das coisas que mais me incomoda intelectualmente. Porque é um roubo e por isso sinal de desonestidade profunda e ainda sinal de carácter malformado.

Um plagiador é o semelhante do batoteiro no jogo. Vencer com batota não devia dar gozo algum, mas dá. Nunca percebi porquê, uma vez que o prazer do jogo bem jogado pode suplantar o desprazer da derrota.

Um plagiador arrisca-se a ser desmascarado na praça pública e não entendo que gozo lhe poderá dar andar a copiar, para mostrar que é obra própria.

zazie disse...

Eu também não percebo e detesto.

E ainda detesto mais num tipo de actividade que é precisamente o oposto- passar testemunho a quem vier.

Não é sequer um tipo de trabalho particularmente original. Mas, só existe a longo prazo.

E, se calhar, por esse motivo, a ânsia de se agarrar o que outros, muitas vezes até por mera sorte, conseguiram em horas, há-de ser grande tentação.

O meu grande prazer é outro. É dar voz a quem já cá não está e teve a intuição que depois, por sorte já cheguei a confirmar.

Sabe bem isso. Sabe bem saber-se que podemos continuar os outros.

Agora copiar e roubar sem sequer servir o dito saber de que se gosta serve para carreira. E o que se vende cada vez mais são carreiras.

De mestres de obras feitas, antes de serem aprendizes.

E a culpa não é deles. É de quem considera que isto "é o nosso tempo".

O que me irritou profundamente nesta porcaria foi o tom cínico da orientadora ao dizer que "infelizmente agora é assim".

Não. É mentira- felizmente para os bolsos dela que agora também pode ser assim.
O "sistema" são as pessoas que o fazem.

zazie disse...

Mas essas poucas horas de sorte implicam muitas mais sem sorte, de trabalho de rato de biblioteca.

E agora é tudo "plasmado". Este é o bordão da pirata- tudo por opções que tanto podem ser por concurso público (que ela inventou) como por cunha. Sempre para se conseguir "o sucesso" e, tendo em vista "o público alvo".

Tal e qual. E a época é bem antiga

ahahahaha

Carlos disse...

Zazie,

Porque não consulta o zodíaco?

Do: anti-vírus.

C. S.

joserui disse...

"que mil wikis com leaks floresçam!"
O José com as wikileaks transfigura-se! Dir-se-ia que há um verdadeiro entusiasmo. Não percebo. É tudo para meter cá fora? Onde está o interesse público? O circo Climate Gate, uma vergonha! Consegue-se colocar no lugar destas pessoas com a correspondência violada? Se fosse a sua, achava que devia florescer tudo?

"O "sistema" são as pessoas que o fazem."
Exacto! Sempre disse isso! -- JRF