segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Sinais da nossa miséria

Diário Digital:

A ex-presidente do PSD Manuela Ferreira Leite defendeu hoje que é tarde para Portugal apostar nas obras públicas de proximidade, porque já não há dinheiro, com famílias, empresas e Estado endividados e sem acesso ao crédito.

"Tal como um tratamento de um doente que, ou bem que vai a tempo, ou bem que é tarde, neste momento, do meu ponto de vista, isso é absolutamente tarde, não funciona. E não funciona por um motivo simples: não há dinheiro", declarou a deputada social democrata, durante as jornadas parlamentares do PSD, em Braga.

Manuela Ferreira Leite assumiu esta posição em reação à intervenção do presidente da Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário, Reis Campos, que num debate sobre crescimento económico apontou este setor como estratégico, defendendo uma aposta na requalificação urbana.

A anterior presidente do PSD pediu a palavra para discordar de Reis Campos: "Eu compreendo perfeitamente o que disse, mas, neste momento, do meu ponto de vista, está fora de tempo."

Este diagnóstico não é apresentado pelas cassandras do costume, Medina Carreira ou professor Cantigas. E isto que é a nossa triste realidade contrasta com os rui.pedros.soares que andam por aí a esportular milhões que ganharam à custa de empregos arranjados como se sabe: em grande esforço profissional de mérito reconhecido. Em suma, pelo partido.

2 comentários:

joserui disse...

José , mais um fora de tópico... não comenta o caso Ricardo Sá Fernandes/Bragaparques? Eu gostava de saber melhor o que se passa. Visto daqui, este país está de caixão à cova. Está bom é para os Ruis Pedros Soares. -- JRF

josé disse...

Vou comentar, já que mo lembra, porque há algo a dizer e tenho opinião formada sobre o assunto. E não é para dizer bem do MP...