terça-feira, 2 de agosto de 2011

O verdadeiro rolha

Mário Soares aos 88 anos é entrevistado por Clara Ferreira Alves, uma conformista do jornalismo nacional prendada pelo patrão falido a frequentar as reuniões do círculo Bildeberg. O que diz Mário Soares? Que come bem e do melhor;vive tranquilo e no melhor ambiente e está aí para as curvas.
A entrevista é essencialmente política ( falta uma entrevista na qual lhe perguntem directamente e sem rodeios se sabe alguma coisa acerca do seu amigo Carlucci e que tipo de parceria fez com o indivíduo) e fatalmente aparece a distinção entre esquerda e direita e capitalismo, socialismo e agora o liberalismo e o neoliberalismo.

Mário Soares, ao que tem vivido e experimentado na política já devia saber melhor estas coisas e não andar a fazer a sempiterna figura de rolha que vai com as marés.

Na entrevista, a dado passo afirma : " O capitalismo é o único sistema que temos e não temos nada que o substitua. O que precisamos é que seja ético, com princípios, como era no início". NO início, agora e sempre, amén. Com a ressalva de que no início o capitalismo era tão ético que até originou o...socialismo. Marx escreveu Das Kapital para mostrar esse lado ético do capitalismo. Mário Soares não se lembra porque não viveu esse tempo. Mas viveu outros.


Em 1976, depois de ter vindo de França onde sobreviveu na oposição, com apoio de capitalistas banqueiros, dirigiu os destinos do país. Logo a seguir à intervenção do FMI, por os seus governos terem afundado as Finanças públicas, só apostava no socialismo. E dizia então à Flama, nesse ano, que manteria as nacionalizações de 1975 do tempo do PREC comunista e que eram o oposto ao capitalismo, -que agora acha ser o único sistema que existe-, o que nos prejudicou seriamente durante décadas e capou as veleidades de termos um país a funcionar economicamente como a Espanha, por exemplo. Só no final dos anos oitenta, Mário Soares mudou de ideias quando a isso, mas como se lê, nem tanto. O indivíduo adapta-se conforme as conveniências políticas. Sabe nada de nada de economia. Nada de nada de educação. Nada de nada de justiça. Nada de nada de quase tudo menos uma coisa: politiquice.
E que dizia então, à Grande Reportagem de 1985 e durante mais uma grave crise económica, com fome em Setúbal e despedimentos nessa área? Pois dizia o que lhe era favorável. Como era governo ( foi corrido pouco depois com a maior derrota que o PS sofreu, já com Almeida Santos, o Sombra, a dirigi-lo) dizia que essa coisa do Estado Social era um problema porque não havia dinheiro no Estado e que portanto era preciso reduzir e simplificar o Estado.
Nessa altura, em relação às falências em catadupa que a sua política económica provocou, o que dizia? Simplesmente que em Portugal até essa altura não tinha havido falências , "praticamente", e que "isso é um erro". O erro era não haver falências e ainda dizia mais: " os postos de trabalho não podem ser mantidos artificialmente à custa do erário público". Quando lhe falavam na fome, dizia que sempre tinha havido fome- " Há pessoas em Portugal que vivem mal? Pois há! E não houve sempre? Há pessoas que passam necessidades? Pois há! E não passaram sempre?"- É ler...clicando na imagem abaixo.

Repare-se: em 2011 acha que o Estado deve impor-se de feitio e peito economicamente feito para desbaratar o neoliberalismo. Em 1976, achava que o Estado gordo é que era bom para a economia, tal como hoje. Em 1985 que não, e que patati patata, miséria tinha havido sempre e por isso não era admiração. É ler essa parte da entrevista para ver a rolhice deste indivíduo tido como o guru de jornalistas tipo Ferreira Alves.


Em 1986, quando venceu as eleições, declarou-se o vencedor dos pobres! É preciso ter lata! Mas quem é que ainda dá trela a um tipo destes? E para quê?

24 comentários:

Anónimo disse...

É vê-los a passar inchados de mayback, multi-reformados e multi-pensionados e a debitar como grandes pensadores na TV para perceber como nos tornámos num povo tão pobre, tão falido e tão humildemente conciliado com a pobreza no meio da riqueza, com o endividamento, a dependência e a corrupção.

zazie disse...

Este sujeito é um vigarista. E o José mais o seu arquivo, tira as dúvidas a quem ainda as tenha.

Mas fartei-me de rir com aquela do patrão falido que anda nas reuniões dos magnatas de Bilderberg

ehehee

José Domingos disse...

Quando, é que se vai saber, a verdade, á cerca deste individuo, e outros tais, autenticos coveiros, de Portugal.
Depois do vinte cinco, só gerámos, " politicos" mediocres, sendo este fulano, um dos melhores exemplos.

Wegie disse...

Em 1975, de acordo com Carlucci, o Marocas reunia com ele 3 a 4 vezes por semana.

Wegie disse...

José,

Hoje estás verdadeiramente inspirado!

Topa-me esta:

http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/Biografia.aspx?BID=4326

que diz que tem um Doutoramento em Doutoramento!!!

zazie disse...

ahahahaha

O doutoramento em doutoramento irá ter seguimento em pós-doc em pós-doc?

":O)))))))

Wegie disse...

A Nilza passou a ser a minha ídola...

josé disse...

Aquilo deve ser lapso, mas doutoramentos, agora, é como fábrica de enchidos.
Como os Politécnicos precisam de doutoradso, por mor das politicas de Sócrates mai-lo Gago, é um ver se te avias nos copianços.

Aquilo agora é que é copiar minha gente! E se lhes apontarem a coisa, dizem logo que não senhor que os juízes é que não podem copiar, porque são de outra fazenda. Outra loiça.

josé disse...

Os doutoramentos dos atrapalhados que mandam naquelas escolas é que devem ser de truz...

zazie disse...

Ah, pois. Esses é que valia a pena que se soubesse.

Wegie disse...

De vez em quando há alguém que se lixa como a filha do Luis Soares ex-presidente do IPP:

http://publico.pt/Educa%C3%A7%C3%A3o/professora-acusada-de-plagio-na-tese-de-doutoramento_1433658

Wegie disse...

O juri que aceitou a tese como boa é que fica intocável. Jacobinagem do c####!!!

josé disse...

Acho que nesse nível, o copianço deve ser generalizado. E quando não é o trabalho é em tandem. E como as letras são tretas, principalmente as sociologias, eduquês e palermitês tudo passa com distinção e louvor. Como não se os arguentes também copiaram?

josé disse...

O que interessa é o título seja a que título for: roubado, emprestado, inventado.
Interessa é que haja tese aprovada e doutoramento feito.

Até nisto esta jacobinada deu cabo de tudo. Nada tem valor e é preciso andar com muito cuidado a catar quem tem mesmo valor.

josé disse...

Para preencher lugares das escolas superiores, serve tudo. A endogamia é regra. Filhinhos de pais têm se saber como se nada, mas não precisam de nadar. É tudo teórico e o que conta é o empregozinho no Estado. Os paizinhos que são aldrabões conhecem bem os esquemas porque são eles quem manda no sistema.

josé disse...

Como dizia já não sei quem, abastadaram o ensino todo. Todo.

josé disse...

Estilhaçaram primeiro o primário; depois lixaram os professores do primário, mandando-os aprender nas ESE. Quem é que ensinava nas ESE? Os antigos professores de Secundário, formados já com deficiências ( são os que se formaram durante a década de oitenta) que são maus.

Portanto, professores maus a ensinarem alunos péssimos o que dá? Porcaria de ensino.

Em Portugal o que safa são os explicadores. São eles quem está a salvar o país da catástrofe porque são eles quem se organiza segundo a lei da oferta e da procura: os bons têm sempre cliente e cada vez mais.

josé disse...

O cancro do ensino são as ESE, os Politécnicos e toda a mediocridade que por lá gravita.

zazie disse...

Absolutamente certo, José.

Wegie disse...

De acordo. Acrescentaria algumas (muitas) metastases tipo ISCTE, ISCSP e quejandos.

Karocha disse...

LoooooooLLLLLL

joserui disse...

Exactamente o que a nação precisava..., perdão... o Universo!... outra entrevista a este indivíduo. Este é doutorado em entrevistas!... -- JRF

Camilo disse...

Li 2-livros-2... que me "explicaram" quem foi, quem era (e quem é) o Mário Soares:
"O DEPOIMENTO" e o desaparecido... "NEMÓRIAS DE UM PS DESCONHECIDO"...

Maria disse...

Este homem é, além de outras coisas, um aldrabão inveterado. Muito mais e antes de Sócrates encarnar esta revoltante figura como a sua segunda pele. Se bem que muitos outros vigaristas e embusteiros, tanto quanto estes, houve e há a passearem-se alegremente por aí.

Este homem traiu Portugal desde o primeiro minuto em que aqui pôs os pés. Vendeu o país ao capitalismo mundial por meia dúzia de patacas. Mentiu desavergonhadamente aos portugueses ao anunciar que finalmente com a 'democracia' íamos entrar numa nova era de liberdade, abundância e felicidade para todos. Proclamou que com ele, isto é, graças ao seu 'democrático' partido, Portugal iria pertencer de pleno direito ao clube dos países mais desenvolvidos e ricos e por fim, com a entrada na 'Europa' (pois concerteza, até lá nós continuaríamos noutro continente...) o nosso país iria tornar-se num autêntico paraíso na terra.
Este homem é um criminoso nato, tal como uma vez a conhecida Cinha Jardim o classificou e com toda a razão - ele será um dos que terá estado moralmente por detrás do assassinato do pai, patriota este que lhe iria fazer muita sombra mais tarde (e não só Jorge Jardim mas outros mais, como hoje sabemos), quando ele tomasse d'assalto as rédeas do poder; os patriotas tinham que ser afastados nem que fosse à força, como de facto veio a suceder com muitos deles - e um traidor dos piores que Portugal teve a infelicidade de ver nascer no seu solo.

Esta personagem é oportunista, velhaca, mentirosa, hipócrita e cheia maldade. Ele, mesmo antes de se grudar à governação do país para sempre (e não tendo cargos políticos há muito tempo, mesmo assim continua a ditar as políticas de todos os partidos 'democráticos' consentidos, como sempre o fez e assim continuará até morrer) alcandorou-se ao cargo de representante máximo da maçonaria mundial no nosso país, que ele e todos os seus camaradas de percurso odeiam de morte, com o fito último de o destruir. Cargo a que se dedicou a tempo inteiro com empenho e verdadeira paixão em Paris, vindo mais tarde, quando lhe abriram as portas do país de par em par, a aplicar a cartilha à letra no nosso infeliz Portugal.
Ele limita-se a desempenhar o papel que lhe foi confiado pela maçonaria mundial há muitas décadas e como bom maçon e melhor aluno, tem-no representado às mil maravilhas. Vê-se pelas contrapartidas que ao longo de quase quatro décadas tem recebido em quantidades industriais.

Dizem que se nasce traidor. O povo também diz que uma vez traidor, pra sempre traidor. É o caso deste ganancioso.

Só de pensar que acreditei neste velhaco, eu e milhões de portugueses, tenho a certeza absoluta, julgando-o uma pessoa íntegra, honesta e patriota, votando nele para presidente da república (minúsculas propositadas, ele não merece outra coisa), provoca-me vómitos até à bílis. Lá que este maldito soube levar ao engano milhões de portugueses com a sua sabida astúcia e puro cinismo, lá isso soube. Até isto ele aprendeu pela estranja, onde se especializou na arte de trair a Pátria, tendo de certeza obtido nota máxima.

Arrepender-me-ei para todo o sempre pelo tempo que desperdicei votando neste velhaco.
Maria

Carros de música corrida