quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Cinco erc´s

Breakin´news! Extra! Extra! Read all about it:

A ERC decidiu reprovar o facto de a Administração da TVI, Televisão Independente, S.A., ter interferido na esfera de competências da Direcção de Informação, o que se afigura contrário à lei e lesivo da autonomia editorial e dos direitos dos jornalistas.
Segundo uma nota divulgada na página oficial da ERC, foi decidido instar a administração da TVI a, no futuro, "respeitar escrupulosamente a separação entre matéria de gestão empresarial e editorial". Além disso, chamou a atenção da TVI e dos seus jornalistas para a obrigatoriedade, por lei, da criação de um conselho de redacção.


Pronto, já está! Demorou umas semanitas, passaram as eleições, o perigo já lá vai. Agora, se pode ler a deliberação da ERC sobre o caso TVI-Jornal Nacional de Sexta.
A ERC, secundando o parecer do seu presidente, logo no dia da ocorrência, em directo, informal e avisado com toda a isenção, diz agora também e em coro: ilegalidade!
E que adianta isso? Pois, adianta uma recomendação: daqui para a frente, é preciso "respeitar escrupulosamente a separação entre matéria de gestão empresarial e editorial"!
E se daqui para a frente não respeitarem, o que é que acontece? Ora, o presidente da ERC dá logo o seu parecer e não fica a parecer mal e depois a entidade ratifica, com os efeitos conhecidos: nenhuns.
Para que serve uma ERC assim? Desconfio que apenas para autorizar os ordenados de estrela, dos seus elementos.
Para os justificar foi iniciado um procedimento administrativo por contra-ordenação. Veremos no que dá...

2 comentários:

Wegie disse...

Quando a informação é tratada como mercadoria, os meios de comunicação social como um simples negócio e a estrutura de propriedade dos media, cada vez mais concentrada, como pilar de uma ordem liberal assente na remuneração dos accionistas (e na precarização e quebra de autonomia para dos jornalistas), é o direito constitucional a informar e a ser informado que é posto em causa.

Mani Pulite disse...

Depois do assassinato cometido e do criminoso estar totalmente a salvo o polícia acha que o assassinato foi uma coisa muito feia e promete não se sabe bem o quê.O Estado Socialista no seu melhor...