sábado, 3 de outubro de 2009

A Itália da liberdade de imprensa


Na Piazza del Popolo, em Roma, esta tarde, foi assim como se poder ver na imagem, tirada do sítio do La Repubblica.
Roberto Saviano, autor de Gomorra e especialista em mafiosos, discursou. Assim. E falou na indiferença perante o fenómeno criminoso.

Roberto Saviano teria muito que dizer em Portugal, actualmente. Principalmente a certos bonzos e a certos alinhadores de notícias que têm apenas uma função: estabilizar o poder que está. O exemplo máximo é o da RTP1. Nos jornais, evidentemente, temos o Marcelino. Mas a generalidade, alinha pelo mesmo diapasão: o unanimismo no conformismo.
Entretanto, como não há milagres na regeneração social, Portugal, durante o ano que passou, ficou mais corrupto do que era. Desceu mais quatro degraus na escala de aferição internacional , subindo na escada paralela desta ignomínia.
Alguém deu conta dessa ascenção em denúncias concretas e publicadas nos media situacionistas? Como, se é disso que se alimenta o fenómeno?
O silêncio, aqui com noutros lados, é a alma desse negócio e quem quebra a omertà, é mau jornalista. Não é "objectivo" nem sequer isento. E muito menos bom profissional. Por isso mesmo cala-se ou é calado. Por enquanto através dos meios económicos e mesmo judiciais. Se forem precisos outros, lá chegarão, perante a indiferença dos conformados dos media da situação.
E para comentar tudo isso, contratam-se engraçadinhos ou esotéricos que falam a língua de trapo dos enigmas do tempo que passa.

1 comentário:

hajapachorra disse...

A imagem é tirada do Pinzio e ali em baixo estão muitos milhares de pessoas. A praça é enorme.

Mais outra do juiz Ivo Rosa