quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Fait divers

No acto eleitoral de eleição do presidente do STJ, hoje, esteve presente a Sic. Numa imagem fugaz, o repórter de imagem captou um conselheiro a ler uma carta, em público.
Eventualmente movido pela curiosidade natural e pela circunstância de o leitor ser descuidado e estar ali ao pé das câmaras de tv, com displicência a segurar a missiva aberta à curiosidade do passante, o operador de câmara apontou e gravou a imagem.
A tv mostrou que se tratava de uma carta de explicações de Armando Vara, ao presidente do BCP, por ocasião da suspensão do mesmo das funções no banco. O repórter interpelou então o conselheiro de voz barítona sobre a estranha situação, fazendo-lhe a pergunta lógica sobre o motivo por que estava com a carta de Armando Vara ali mesmo, na mão e em jeito de pública exposição.
Resposta do conselheiro: " como sabe que é essa carta ..."? E negou ali mesmo que se tratasse dessa carta. "Não. Não. Não é essa..."

Mais tarde a tv ampliou a assinatura no canto inferior da missiva filmada e confirmou de quem se tratava.

Pergunta imediata e que tem de ser dada resposta: a que propósito um conselheiro do STJ com funções muito importantes nesse órgão, tem ali mesmo, uma carta daquelas? Como a conseguiu? Quem lha deu? Que interesse particular terá?

4 comentários:

Tino disse...

E eu acabo de ver o Costa de Lisboa a dizer que confia nas instituições.

Pois confia!

Confia enquanto o PS conseguir controlar ou manietar o STJ, o PGR, o MP e a PJ.

josé disse...

Vo agora outra vez. Ferreira Girão, nega em directo...o que em directo se viu que não poderia negar.

zazie disse...

ahahahah

Eu diria mesmo mais, não, não é essa.

Isto parece brincadeira

rosa disse...

Afinal, os conselheiros também mentem. E pelos vistos despudoradamente!

Mais do mesmo de há 48 anos.