quarta-feira, 26 de setembro de 2012

A maçonaria, o Inatel, a FNAT e o incrível Vítor Ramalho

Vítor Ramalho, outro inenarrável do regime que temos é presidente do INATEL que é uma fundação desde há uns anos. A Fundação levou um corte de 30%. Talvez não chegue para impedir que o presidente da fundação compre entrevistas a jornais como ainda recentemente fez, ao pagar 5 mil euros por uma entrevista à sua pessoa numa revista do Público. Tal não chegou para o demitir, para se demitir e sair do lugar. Ainda disse que voltaria a fazer o mesmo, o que inculca que o fará...

Ainda assim teve agora o topete de comparar o actual INATEL com a FNAT, original, criada pelo regime do Estado Novo. Ao i disse que   “Não se podem meter as fundações todas no mesmo saco. O Salazar não primava por ser de esquerda e acarinhava o Inatel” .

Consultando a Wiki temos que a FNAT era isto:
 
"O Instituto Nacional para o Aproveitamento dos Tempos Livres MH M ou INATEL, foi fundado em 1935 (pelo Decreto-Lei n.º 25 495 de 13 de Junho, com a designação de Fundação Nacional para Alegria no Trabalho ou FNAT) no seguimento dos modelos italiano e alemão, Dopolavoro e Kraft durch Freude. O Inatel fundado pelo então chefe do governo António de Oliveira Salazar, tinha como objectivo o turismo social e o preenchimento dos tempos livres. A - então - FNAT foi pioneira num novo conceito de férias e lazer, ao encontro da recomendação de 1924 da Organização Internacional do Trabalho de "aproveitamento útil do tempo livre dos trabalhadores".
Em 2008, através do Decreto-Lei n.º 106/2008 de 25 de Junho, deixa de integrar a administração central do Estado, passando a fundação privada de utilidade pública - Fundação INATEL. É uma fundação portuguesa com carácter social, tutelada pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social.
A acção do INATEL desenvolve-se em diversas áreas:
  • turismo social e sénior;
  • termalismo social e sénior;
  • organização dos tempos livres, da cultura e do desporto populares;
com profundas preocupações de humanismo e de qualidade."

Hoje, o INATEL é mais um couto da Maçonaria.  Até a referência ao "humanismo" ressuma saudades da viúva.

4 comentários:

Floribundus disse...

depois de otelo, aparece outro dono do regime com saudades de Salazar.
o Prof António Oliveira começa a conquistar adeptos entre os fascistas envergonhados ou sem vergonha

a viúva, tanto quanto sei, anda muito decrépita

o rectângulo, como dizia Xico Buarque em Construção
'caiu na contra mão atrapalhando o tráfego'

Mani Pulite disse...

De barrete e avental o cuzinheiro Gamalho empunha numa mão um espeto Ferrugento e na outra um P. de banha para besuntar o traseiro do Padrinho leitão da Márionada.No fundo da Afundanção já não há nada e o pobre do Gamalho agora já só pode ir para o......!!

José Domingos disse...

Só falta, fazerem buscas, na fnat, com a esperteza jacobina, que lhes é peculiar, escondem tudo, não é encontrado nada, é democrático, para não se dizer que é só malta do cds ou psd, não vai dar nada, e prescreve,e o comité central do m.p.elege para a pgr a camarada candida, com o amém do avental mor, almeida, e é assim que funciona um estado de direito, ou não, vamos ver.

Floriano Mongo disse...

NO MEU QUINTALITO, NÂAAAOO!!


««« Salazar não primava por ser de esquerda e acarinhava o INATEL»»»



Vítor Ramalho, presidente do INATEL, confirmando que de cortes na despesa ele entende, revelando que sentiu uma súbita vontade de acordar de mãos dadas com Salazar porque apesar de este não ser de esquerda, uma coisa que ele exigiria é que este empregão na fundação fosse muito acarinhado.

Dura lex, sed latex