sexta-feira, 20 de abril de 2018

Os livros proibidos do sr. Barata e o ridículo Garcia Pereira

O advogado Garcia Pereira, ainda militante de um grupúsculo político ridículo chamado MRPP, deu uma entrevista ao i deste fim de semana para falar não se sabe bem de quê. Porém, acaba por contar o modo como foi parar a tal grupúsculo ridículo que o tem amparado toda a vida, mai-lo seu segundo pai, Arnaldo Matos, ainda mais ridículo que o próprio grupelho de energúmenos da política marxista-leninista-estalinista-maoista.

Repare-se nestes cartazes ridículos do tempo em que esse ridículo grupelho  julgava ser o centro do mundo das ideias políticas.


Garcia Pereira conta agora como foi parar ao seio desse grupelho:


 Garcia Pereira era um estudante, filho de um revolucionário frustrado e já no tempo do liceu, por influência do Maio de 1968 queria ser comunista mas não como os que então havia e que "não tinham a ver com o socialismo, com Estados altamente autoritários e onde uma minoria vivia em condições de vida muito superiores à esmagadora maioria do povo, baseada na repressão e que tratava de exportar  a revolução à força dos tanques ( alusão à invasão da Checoslováquia, nota minha)"

Foi então que começou a ler umas coisas de Mao Tse Tung "através de uma instituição que muito pouca gente sabe: a Livraria Barata."

Garcia Pereira conta que o  Sr. Barata era da oposição, visitado frequentemente pela PIDE ( nessa altura já DGS, de Marcello Caetano, mas vai dar ao mesmo para o rigor que se pretende) e "que tinha na parte da frente os livros normaos e para os clientes habituais havia uns livros especiais que ele, mais ou menos clandestinamente trazia e vendia".

E assim Garcia Pereira ( e outros...) se formou no maoismo, em 1972,73 porque foi por essa altura que começou a ler coisas.

O sr. Barata coitado, não devia ter os livros todos que interessavam a estes revolucionários de pacotilha.

Por exemplo não devia ter lá escondido este livro publicado em França, já no ano de 1971 e portanto fresquinho do prelo, certamente recomendado pelos contrabandistas de ideias feitas, como aqui já se contou:


Se tivesse e o desse a ler a este ridículo Garcia Pereira talvez o mesmo não fizesse tantas figuras ridículas ao longo da vida por causa do grupelho de que faz ainda parte...

Como explica o autor do livro, o embuste maoista ainda era maior do que o embuste que tanto perturbou Garcia Pereira e o levou a trocar um pelo outro.



Enfim, há duas questões que ressaltam: uma é saber porque é que esta gente não se cala de vez com estas patranhas. A outra é saber porque lhes continuam a dar importância e voz activa.

Não chegou o que já fizeram e o facto de nada terem aprendido ao longo de décadas?

11 comentários:

joserui disse...

Mais um certeiro… este país, para quem ainda tem dois olhos a ver, é uma calamidade. O tempo mediático granjeado a estes inúteis é inexplicável. Por outro lado, projectos minimamente interessantes como o Observador que acabei de consultar a primeira vez esta semana, acham pertinente enxamear a "primeira página" com várias notícias sobre a morte de um tal DJ Avicii. Isto é real? O que hoje em dia passa por celebridade é outra anedota, mas não é só cá.
Entretanto, no mundo real parece que o país está dois furinhos acima de lixo. Não tarda vamos apertar dois furinhos no cinto.

josé disse...

DJ Avici? Nunca ouvi falar nem quero saber quem é.

Estou a ouvir o Bookends de Simon & Garfunkel na versão original da Columbia, first press americana. Uma delícia. Já tinha a versão inglesa também original, de 1968 mas este ultrapassa tudo.

Um dos discos mais bem gravados que conheço.

Floribundus disse...

a bicicleta do meu filho forneceu a corrente com que um MRPP massajava os sociais-fascistas

tive que comprar uma nova

vi um operário num estado lastimoso apanhado num escadote a colar cartazes

Floribundus disse...

Sapo
« Uso excessivo da força pela polícia, e más condições nas prisões são as principais deficiências de direitos humanos apontadas a Portugal por um relatório do Departamento de Estado norte-americano divulgado hoje.
EUA. Departamento de Estado identifica violência policial e más condições nas prisões em Portugal

O relatório, referente a 2017, mas com a maioria dos dados relativos a 2015 e 2016, diz que as autoridades civis mantêm controlo efetivo sobre as forças de segurança e que o governo "investiga, acusa e pune" abusos de direitos humanos cometidos por responsáveis e agentes oficiais, mas aponta "informações credíveis" sobre abuso da força pela polícia e tratamento deficiente de prisioneiros por guardas prisionais.

"Em 2016, a Inspeção-Geral da Administração Interna recebeu 730 queixas de abusos por membros das forças policias e guardas prisionais", refere o documento publicado anualmente pelo Departamento de Estado sobre todos os países membros das Nações Unidas.

O relatório norte-americano cita especificamente o caso dos 18 agentes da PSP de Alfragide que, em julho de 2017, foram acusados de atos de tortura e sequestro, em 2015, contra seis jovens de ascendência cabo-verdiana do bairro da Cova da Moura.

As prisões portuguesas são retratadas no relatório como "sobrelotadas", com "instalações inadequadas", com "condições sanitárias deficientes", com episódios de violência entre reclusos e "maus tratos por guardas prisionais em alguns casos".

"Em Leiria existe uma prisão para jovens, mas em alguns casos as autoridades colocam juvenis em prisões para adultos. O sistema prisional tem também misturados detidos que aguardam julgamento e criminosos condenados", refere o documento.

Na área da Justiça, o relatório anual do Departamento de Estado sobre direitos humanos aponta ainda a Portugal a "prolongada detenção antes de julgamento", referindo que "a maioria dos detidos que aguardam julgamento passam entre seis meses e um ano na prisão", um "problema recorrente" que é atribuído a "investigações e procedimentos legais prolongados, ineficiência judicial e falta de recursos humanos".

Sem apontar problemas relevantes e considerando que "o governo aplica, de um modo geral, de forma eficaz a legislação anticorrupção", o relatório cita a formalização das acusações contra o ex-primeiro ministro José Sócrates em 11 de outubro de 2017 e os casos de viagens à China em 2015 por responsáveis das autoridades fiscais e da saúde e de deputados, que foram pagas pela empresa chinesa Huawei

Outras deficiências que o relatório aponta a Portugal incluem a violência contra as mulheres, incluindo a violência doméstica; a violência contra menores, mau tratamento de comunidades ciganas e fraca capacidade de prevenção do trabalho forçado. »

Floribundus disse...

não é salgada 5% da água do universo
a salgada devia pagar imposto

« Marcelo Rebelo de Sousa falou depois de ouvir o presidente da CAP, Eduardo de Oliveira e Sousa, a considerar “imperioso” que se crie no país uma ‘task force’ em torno das questões da água e a “lançar o desafio” da “construção de uma visão” para o setor, “uma estratégia a 30 ou mesmo a 50 anos”. »

mrs prefere banhar-se nas 'salsas ondas'

quem vier sepois que trate disso

joserui disse...

Eu lembro-me dessa história Floribundus… Mijaram-lhe em cima e ao descer do escadote fracturou vários ossos.

joserui disse...

No Observador ouviram falar do DJ… três notícias, uma das quais "em actualização". Anedótico.
Eu esta semana ouvi pouca música — no sentido de me sentar para ouvir. E tenho o pré avariado com uma avaria que me enerva. Em bom rigor só posso ouvir CDs porque senão arrisco a queimar as colunas. Não há nada fácil… é dura a vida de quem quer ouvir música nas devidas condições!

lusitânea disse...

Isto é tudo um putedo como diz o seu grande mestre.Um grande educador.Quer-se dizer de sovas com correntes de bicicletas ao melhor dos "direitos humanos" e com todas as garantias...
Os grandes revolucionários normalmente são de fora como estes 2.Já o Vara nos ensinou que jindungo no cu dos outros para nós é refresco.
Montaram uma história da carochinha em que o lobo mau é o Salazar e daí só saem quando derrubados.Por incompetências próprias evidentemente porque os advogados trataram de arrumar de vez os seus habituais concorrentes: os militares, os primeiros sacrificados da sua alegada "revolução" que não passou da primeira "interpretação" que nos afunda desde o 25 e nem o de Novembro resolveu porque por cá a secretaria ganha sempre...
Eu estou à espera(sentado evidentemente) de vir um gajos a editar por exemplo:As mulheres do cunhal!
Nesta coisa das "fake news" que enganam o zé povinho diariamente amansado porque masculinidades tardias nunca mais vale tudo.E empobrecidos quem não estiver com o poder "cheira"...

Unknown disse...

dão-lhe importancia ? ridiculo ? então o que dizer deste post a falar dum alarve iluminado ? hipocrisia ou lero lero ?

Floribundus disse...

Le Monde


Karl Marx fait son come-back aux Etats-Unis

Une partie de la jeunesse américaine trouve dans les idées du philosophe allemand des outils pour comprendre la société. Enquête sur le renouveau du marxisme au pays du maccarthysme.


josé disse...

Este postal é apenas um petit divertissement para lembrar a antigos maoistas a grande palermice em que acreditaram.


Deve ser esse o caso do comentador desconhecido...