quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Assalto à investigação de um mistério

Expresso:

O contrato entre o Estado e a empresa alemã Ferrostaal sobre as contrapartidas pela venda a Portugal de dois submarinos foi ontem roubado, segundo revela hoje o "Correio da Manhã".
Os documentos foram roubados do carro quando Christoph Mollenbeck, representante da Ferrostaal, jantava com um amigo em Lisboa, perto da Cinemateca.
Segundo o mesmo diário, o Audi A6 foi "cirurgicamente assaltado" e não tinha quaisquer "sinais de arrombamento". Só quando Mollenbeck e o amigo e compatriota Kai Jusec chegaram a casa é que deram pela falta da pasta e do portátil.


Dois comentários: o primeiro é o de que o segredo de justiça neste caso parece importante, pelo menos durante uns dias- mas não foi respeitado. Alguém falou ao jornal e não deveria mesmo que o segredo de justiça ainda não tenha sido decretado. Este é portanto um dos casos que impõe que o segredo de justiça passe novamente a ser regra nos inquéritos, embora deva ser ressalvada a hipótese de se manter um leque alargado de situações em que não tenha que ser assim.
O segundo diz respeito ao acto em si, muito suspeito e que deveria implicar a responsabilização do representante da Ferrostaal. A demissão, evidentemente. Não se deixam documentos importantes num carro, assim sem mais nem menos. Se fosse na Alemanha a coisa não ficaria por menos. Por enquanto...

11 comentários:

Karocha disse...

Tem toda a razão José!

Mirza disse...

Os magistrados têm uma relação muito particular com o segredo de justiça. Seria de esperar que lhes ensinassem (???) no CEJS uns rudimentos de deontologia. E seria de esperar também que os aprendessem (???) e aplicassem. Isto num país normal,claro.

josé disse...

Mirza: não se precipite...porque acho que neste caso o segredo poderá ter sido revelado por outras fontes. Acha que foi no DIAP que bufaram?
A quem foi apresentada queixa do furto e onde?
É por aí que é preciso saber primeiro. Ou então perguntar ao autor da notícia do C.M. Ahahahah!

Karocha disse...

José

Uma pergunta, o alemão vive cá ou veio cá ?

josé disse...

Por causa da notícia do Expresso, lida no Sapo, fui comprar o jornal.

Diz-se que o carro Audi A6 pertence a Kai Jusec, alemão que tem uma empresa em Portugal, na área de Sintra, dedicada a negócios na área da farmácia, indústria e energia. Agrosistema, é o nome.

O documento furtado é um original do acordo firmado nessa tarde com o ministério da Economia, relativo às contrapartidas. Um acordo de renegociação. O outro original portanto deve estar no Ministério. Nada de essencial se perdeu, nesse aspecto. Foi ainda furtado o computador pessoal do dito. Também por aqui, nada de especial.

O que resta então da notícia com tão grande impacto? Nada de especial.

Por outro lado, a participação original foi apresentada na GNR de SIntra porque o dito cujo só aí se apercebeu do furto. A GNR de Sintra ao tomar conhecimento do caso ligado aos submarinos remeteu o expediente registado como inquérito à PJ, segundo o jornal.

Ora segundo o mesmo jornal, a GNR tomou conhecimento anteontem. Ontem de manhã terá enviado o assunto para a PJ. O DIAP já terá tomado conhecimento.

Então segundo o meu palpite à la Baskerville a coisa foi assim:

A GNR tomou conhecimento do furto e comunicou à PJ de madrugada para se fazerem as perícias necessárias. Comunicou simultaneamente ao MºPº porque é assim que tem que ser ( "Imediatamente") e portanto das duas uma: ou foi a GNR a falar ao C.M. ou foi a PJ.

Quanto a mim foi a PJ...

josé disse...

E fizeram-no no dia de ontem. Se fosse a GNR, tinham-no feito logo.

Mas claro que são especulações e não há crime algum nisso porque o segredo de justiça só vigora depois de ter sido declarado por um juiz de instrução.
Como é óbvio não foi o caso.

josé disse...

E outra coisa: o C.M sabe que esta versão dos factos é plausível.

Karocha disse...

Pois,José!
Eu já Scanei tudo.

Anónimo disse...

Estas "patifarias" que são crimes antes de o serem têm o seu lado lúdico.
Seria interessante que o, eventual ladrão, (ou ladroes), que o poderiam ser antes do o fazerem, divulgasse o seu "achado" no banco de trás de um Audi A6.

Streetwarrior disse...

No minimo, uma única palavra José.
Estranhissimo!

Floribundus disse...

sage niemals nie.
die Welt ist Scheisse
tchüss

A História agora é outra...