quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O líder Seguro vai fermoso a cantar as melodias de sempre

António José Seguro, o fantástico líder que o PS arranjou para substituir um inenarrável que também arranjaram na feira popular para liderar o partido, tem um discurso cómico.
Não há episódio político que o líder Seguro não comente sempre com  a firmeza de um líder prometido e que já assegurou "querer muito ser primeiro-ministro".
Seguro, na sua mais brilhante tirada política, disse há uns tempos que "este governo anda a assustar os portugueses e que o governo não pode assustar os portugueses". É este o discurso típico do líder Seguro que proclama sempre em tom grandiloquente, agora,  que "está preparado para governar", confiante nos números das sondagens que revelam os eleitores portugueses como padecendo de séria amnésia, muito ajudados nessa obnubilação colectiva pelos media em geral.

Hoje, o jornal i publicou esta fotografia do líder Seguro. Uma das características do líder Seguro é a aparência cuidada. Um dia destes deixa crescer a barba de dez dias, tal como o seu concorrente Assis, um susto que o PS por enquanto afastou.  Entretanto escolhe as gravatas com esmero e combina-as com o fatinho de corte ajustado e tecido italiano de lá fria. A voz colocada em vitupérios suaves à política do governo que fatalmente terá que seguir se vier a ser adiante, lembra sempre o discurso em variação da antiga cassete politicamente aprendida nos exercícios das jotas: sempre do contra e com as palavras politicamente correctas, não vá o povo eleitor perceber que concorda com o governo quando quer ser governo no lugar o governo...

O político Seguro nesta imagem do jornal i de hoje lembrou-me inapelavelmente uma outra imagem de 1972, faz agora quarenta anos: a do cantor de melodias de sempre que um artista comunista- João Abel Manta- caricaturou para mostrar o que era para si o "festival" da canção de então.
Tal como na caricatura, lá está o porte impecável, a voz colocada e em tom audível de tenor, o lacinho que agora é gravata a condizer com o cenário, a pose, o "micro" e o repertório.
Seguro é um autêntico "festival" a "croonar" as melodias de sempre que convencem os papalvos do costume.



















Como lembrança dessas melodias aqui fica um velho êxito de Neca Rafael. A meio do tema cantarola a velha melodia de sempre " a mim não me enganas tu!!




5 comentários:

zazie disse...

AHAHAHAHAHAHA

zazie disse...

Ai o Neca Rafael

":O))))))

Floribundus disse...

quando estudava no Porto (55-57) ouvi cantar o Neca na feira realizada nos jardins do Palácio de Cristal.
era um 'castiçal'.

este pouco seguro só engana matarruanos

'descontracção e estupidez natural' é o lema político mais em voga na 'esquerda bem pensante'.
o zurrinho é o 'máximo da bossa'

José Barreto disse...

É um artista de variedades ... de uma canção velha que só cria desgraças ... ponham-no em trabalho comunitário ... pode ser que seja útil ... e crie alguma riqueza ... para compensar ... o que o artista fundador da sua banda fez ao país ... o soares ... que instaurou a democracia do gamanço ... de vento em popa ainda ... nesta pobre país ... assaltado por essa corja de canalhas ... e ladrões ... no já longínquo dia ... 26 de Abril de 1974 ... e que assim traíram o Prof. Dr. Marcello Caetano ... que tinha dado permissão ... a que o 25 de Abril ... acontecesse ... corja de malandros que nunca trabalharam na vida ... sempre viveram de expedientes ... mais ou menos manhosos ... uma desgraça ... que infelizmente ... nunca vêm só ...

Silva disse...

Cuidado pessoal ! Enterrar o PS não desenterra nem um bocadinho este PSD ! É bem melhor perder tempo a ponderar nas alternativas aos dois , que já deram e mostraram o que valem !