segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O principal problema do governo: os Borges

Este:

O professor Marcelo Rebelo de Sousa considera que “o problema de António Borges é o Governo”.
“O Governo confiou nele, na base da competência que tem, mas porque entende que aquelas ideias são correctas. Não é António Borges que está a impingir à força as ideias a quem não quer acreditar, o primeiro-ministro e o Governo gostam daquelas ideias e entendem que são boas”.
Segundo o comentador, o Executivo “mesmo quando recua, recua violentado porque acha que as ideias eram boas e que o país foi troglodita por não perceber as ideias”.
De recordar que António Borges é consultor do Governo para as privatizações e este sábado disse que os empresários portugueses são “incompetentes”, o que levantou um coro de protestos.

Ou o Governo explica muito bem o que anda a fazer, de modo que as pessoas em geral entendam e aceitem as ideias dos Borges ( Macedo e António) ou vamos ter borrasca política e das grandes, com este inenarrável Arménio Carlos ( ontem serviu-se de umas cábulas rabiscadas em letras garrafais para apelar à greve geral...) e os siryzas todos à solta.
A Esquerda já cavalga novamente outro PREC e até que a generalidade das pessoas perceba que foi exactamente essa Esquerda quem nos desgraçou como país, por causa do ódio aos "patrões", "monopólios", "mercados", etc, numa palavra ao capitalismo, ainda vai demorar. Se não entenderem então estamos mesmo fritos e alcançaremos o patamar da Grécia num instantinho. E é isso que a Esquerda quer a todo o custo.
Em 1975 caparam o capitalismo português. Dali a dois anos estavam de mão estendida à caridade estrangeira do FMI. Agora, não querem essa caridade. Acham que o dinheiro aparece nas árvores...
Tal como em 1975 a receita é sempre a mesma: quanto pior, melhor para eles.

33 comentários:

miguel disse...

"Ou o Governo explica muito bem o que anda a fazer, de modo que as pessoas em geral entendam..."

Não é tarefa fácil.Tudo o que digam é distorcido pela comunicação socia(lista) que temos.
Mesmo que o digam em directo na tv,seguir-se-à um painel de comentadores que confundirão o mais possível a opinião pública por forma a que coincida com a opinião publicada.
O Coelho,nunca devia ter aceitado formar governo.
Era deixar esta gente beber até ao fundo do cálice.
Embriagar-se-iam de socialismo e comunismo até lhes faltar o pão na mesa.Aí,compreenderiam.

Mani Pulite disse...

Os Borgias gostam muito dos Sócrates.São muito amigos.Ambos trabalham para o mesmo fim...

Manuel Santos disse...

"Ou o Governo explica muito bem o que anda a fazer..."


Por exemplo, quando o governo ainda há poucos dias decidiu manter a quase totalidade dos avultados subsidios (70%) a uma vasta colecção de fundações supostamente privadas, desde há muitos anos profundamente parasitárias do orçamento de estado, contra o desejo da grande maioria da população que queria o fim puro e simples desses subsidios estatais, o que é que o governo pode explicar ao país sobre o que anda a fazer, que o país não perceba perfeitamente sem explicações do governo?

Manuel Santos disse...

Outro exemplo, relativo à situação de falta de meios sem precedentes a que se está a chegar no patrulhamento das águas territoriais portuguesas:

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=2755384&page=-1

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=585152&tm=8&layout=122&visual=61

Reacção do governo? Defender, na prática, a anexação militar de Portugal por Espanha, para suprir a falta de meios militares em Portugal.

http://expresso.sapo.pt/aguiar-branco-quer-defesa-militar-conjunta-com-espanha=f751064

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=584481&tm=8&layout=123&visual=61


O Coronel Brandão Ferreira, insuspeito de simpatias esquerdistas, coloca a questão da posição do governo nesta matéria nos devidos termos:

http://novoadamastor.blogspot.pt/2012/09/sera-que-o-sr-ministro-da-defesa.html

Não é preciso o governo explicar mais nada, para além do que disse Aguiar Branco...percebe-se perfeitamente o objectivo!

Streetwarrior disse...

Sim José...este tipo de Siryzas pode muito bem não agradar a ninguém mas este tipo de negociatas que os Borgias querem, só agrada e interessa a poucos.

Mas quando tudo estiver devidamente desmontado,devidamente corrigido e os comunas e socialistas metidos no seu devido lugar, todos nós iremos ter pão na mesa.

zazie disse...

Tem razão, José.

Isto é um país comuna com anti-facistas sempre prontos a saírem debaixo das pedras para nova tentativa do que não conseguiram no PREC

E, o problema é que são mestres da agit prop.

Porque, por cá, toda a discordância social e política é imediatamente tomada por esses imbecis do "Povo Unido".

zazie disse...

E já estão aí as greves, inteligentíssimas, sem nada de oportunismo político, a demonstrá-lo.

São todas para a "melhoria das condições de vida dos trabalhadores".

josé disse...

O azar são mesmo os Borges não serem mais inteligentes apesar de toda a gente da elite entender que o são.

Se o fossem mesmo teriam percebido que este país é sociologicamente de maioria socialista- porque a maioria das pessoas é pobre e não pensa.

Já na altura em que Borges de Macedo era ministro a polémica era assunto do dia por causa do mesmo modo de procedimento: desprezo por esse facto e afrontamento directo aos dogmas socialistas.

Um dia até o Cavaco se riu na A.R. porque o Borges de Macedo costuma dar show em público. Mostrou um exemplar do Finantial Times aos socialistas que na sua esmagadora maioria era ainda como o Raul Rego, jacobinos e avessos ao "fassismo" e capitalismo e perguntou-lhes se conheciam aquele jornal com aquela cor diferente. Não sei se até se disse cor de rosa...

Foi risada do Cavaco que na altura tinha maioria absoluta e podia fazer o que quisesse.
Não quis fazer o que se impunha e o seu colega de bancada, José Silva Marques já tinha proposto em 1984.

Assim, estamos como estamos.

Os Borges têm ainda muito que engolir até convenceram a populaça que que as suas medidas são as melhores.
Como não são demagogos lixam-se logo no primeiro deslize.

Tal aconteceu com o Borges de Macedo e vai acontecer com este.

Por mim, ia à tv e explicava quem são estas pessoas, o que querem efectivamente e denunciava o que os comuno-socialistas pretendem fazer. É sempre o mesmo, aliás.

As pessoas não têm memória história destas coisas, mas por mim vou lembrar a quem quiser porque tenho muito material para tal.

Eu já adivinhava que isto ia acontecer e se os Borges fossem à tv e mostrassem estas notícias às pessoas com imagens e filmes as coisas poderiam compor-se.

Assim...duvido porque aparece sempre um Mário Soares, como em 1986 a dizer que é muito amigo dos pobres e desgraçados e que estes capitalistas neo-liberais querem roubá-los para darem aos bancos.

É simples e eficaz e resulta sempre.

zazie disse...

Uma pergunta, José.

Acha normal que neste país não exista ninguém capaz de dizer o que o José diz, publicamente e nos media?

Sem ser em tribalismo político. Dizer, explicar, com calma, mostrar o logro.

Eu acho que o facto de não existir é que é um gigantesco problema.

zazie disse...

É que nem o Gomes Ferreira o consegue.

Por falta de memória histórica, por não se aperceberem disto mesmo.

Que somos um país de gente pobre onde é fácil toda a manipulação escardalha para o empurrar para a desgraça.

Nem sequer é preciso grandes vigarices, grandes injustiças sociais, grandes prepotências políticas- bastam enganos desde que não venham em nome dos pobrezinhos.

Porque, em nome dos pobrezinhos tudo é permitido. E aposto que se atiram que nem lemmings do precipício, à conta do desejo da volta dos xuxas ao poder.

zazie disse...

O Street julgou que estava a fazer ironia quando disse « (quando) comunas e socialistas metidos no seu devido lugar, todos nós iremos ter pão na mesa.»

Pois até era bem provável que haveria mesmo mais pão na mesa.

Não conseguirem perceber isto é que é dramático.

Porque nem entendem à conta de que ideias é que ele falta.

Na volta é sempre a mesma mentira- dizem-se anti-capitalistas e anti-burgueses mas lá queriam um capitalismozinho socialista e pequeno-burguês.

E nem enxergam que o saque socialista nunca foi "pequenininho".

josé disse...

Ninguém diz tal coisa publicamente e nos media porque é tabu e por outra razão mais prosaica:

a maior parte dos media, a esmagadora maioria é constituída e dirigida por socialistas. Democráticos, siryzas e anti-democráticos.

Aponte-se lá um único nome que o não seja desde sempre e tenha dito tais coisas na tv ou até nos jornais.

Tirando aqueles que são apelidados de "direita" e que na sua maioria são neos, vindos alguns deles directamente do comunismo para o liberalismo mais radical, quem temos efectivamente a dizer o que tem de ser dito e sem peias?

Floribundus disse...

Amigo tem inteira razão.
vão empurrar nos a alta velocidade encosta abaixo.

uns são Borges,
outros são Borjas (ou Borgias) no sentido mais pejorativo do termo.

nada a fazer depois de 38 anos de nacional-fascismo para além
1 milhão de analfabetos
4 milhões de quase analfabetos
1 milhão de alcoólicos

zazie disse...

Não temos, José.

Por isso é que mesmo aqui na blogo, apareceu o José há cerca de uns 10 anos e não apareceram mais

ehehehe

Mas sabe que eu acredito que o povo com bem-senso até entende. Aquele povo meio analfabeto mas que ainda tem a noção que as greves servem políticas comunas e que Portugal já foi um país diferente.

(digo meio analfabeto porque o que lhes estraga a cabeça é a dita "alfabetização informativa")

zazie disse...

Agora que anda para aí meio mundo perfeitamente histérico e pronto para eleger os outros de novo, anda.

E, vão-me desculpar, mas dessas pessoas, todas as que conheço são funcionários públicos ou parecido por encosto, a quem, pela primeira vez nestas décadas, tocou minimamente a crise na algibeira.

Minimamente. Depois dizem-se idealistas e vão para as manifs em nome dos outros- dos esfomeados, mas é treta.

Vão porque são mil vezes mais burgueses que eu e nunca precisaram de saber o valor do dinheiro.

zazie disse...

Aliás, eu até tirei sabática de conversas políticas ao vivo, porque o despudor está a atingir patamares insuportáveis.

Nunca vi tanta gente que conseguiu viver acrítica durante décadas, a descobrir agora a "indignação" e a ir para a rua em nome do Povo.

Aliás, vi. Vi no PREC e não tenho intenções de aturar uma caricatura fora de prazo do mesmo.

zazie disse...

Só outro detalhe:

Eu penso que esses indignados não tiveram nem têm ainda a noção da situação em que se encontra Portugal.

E o facto de tudo isto se misturar com as bolhas e finança internacional e outras tretas que nunca entenderam a tempo, ainda os baralha mais.

Penso mesmo que há muita gente convencida que isso da dívida e défice é manigância ideológica alimentada pelos "Borges e neotontos".

ferreira disse...

Só uma perguntinha: porque é que chama Borges de Macedo ao Braga de Macedo?

Streetwarrior disse...

Não Zazzie, eu percebi bem a Ironia daquilo que disse.
A zazzie sabe que não sou Comuna, no entanto considero-me socialista num sentido prático que acredito que o Estado é fundamental, embora deve interferir o minimo na vida das pessoas.

O que eu sou contra, é esta corja mafiosa do PS e do PSD (o CDS é para o lado que melhor dorme apesar de ter muita culpa)estarem a destruir um Pais que na sua maioria de instituições foi contruido por Salazar e atribuir-se crime,roubo e prejurio aos comunistas e Bloquistas quando , honestamente, se não fossm eles a levantar certas lebres, então é que isto era uma coutada ainda maior de criminosos.

È só isto e apenas.
Tanto que num comentário que faço disse que a maioria não quer aqui Siryzas (senão o PCP e o Bloco tinham uma maior percentagem que têm) mas também não queremos aqui Borgias, que enquanto tiveram no Poder trataram de devastar tudo e agora, iram privatizar aos amiguinhos sabendo que depois, irá dar lucro.

O caso do BPN é o maior exemplo disso...A preocupação desta corja criminosa não foi salvar o BBN, foi salvar o dinheiro da S.S que lá estava metivo e andava ao rolo da especulação das GoldmansSachs.

Portanto o Borgia que vá pró caralho porque enquanto andava a especular com o dinheiro do seu povo, estava caladinho que nem 1 rato.

Streetwarrior disse...

Esta gente,tal como disse, não tem nada a ver com Comunismos,nem socialismos nem liberalismos...esta corja tem a ver é com MAFIA ORGANIZADA e que agora, entrou no jogo das cadeiras e ninguém quer perder o seu lugar na manjedoura.
Isto é do foro criminal,não ideologico

josé disse...

Só uma perguntinha: porque é que chama Borges de Macedo ao Braga de Macedo?

Porque é filho de Jorge Borges de Macedo...e assim soa melhor.

Aliás, não sei porquê, lembra-me um personagem de Eco: Jorge de Burgos. Uma homenagem a José Luís Borges.

naoseiquenome usar disse...

"Se (...) porque a maioria das pessoas é pobre e não pensa" - é mesmo isto que quer explicar?

josé disse...

É mesmo isso. No fundo, a razão é mesmo essa porque não vejo outra.

E estou disposto a explicar porquê.

mujahedin مجاهدين disse...

]E um caso muito curioso o nosso. Dava provavelmente um caso de estudo de ciência política, ou lá o que é que chamam aos propagandistas, hoje em dia.

O José fala em tabu. Eu concordo. A Zazie diz que o José é o único. Não posso discordar.
Sem desprimor para o José, e sem questionar mínimamente as suas intenções, não é esse vastíssimo arquivo que, para além do material, lhe fornece a motivação para afrontar o tabu?

Porque também é isso que faz a diferença. Não é só o falar. Falar eles também falam e são mestres da demagogia. Mas o chapar-lhes com uma fotografia ou recorte de jornal cala-os logo. Cala-os porque a partir do momento que há documento, eles querem é fugir porque toda a atenção que despertem, estão a despertá-la para o documento, no fundo.

zazie disse...

O Borges de Macedo foi um excelente professor e historiador.

Assim os houvesse.

zazie disse...

A propósito da "máfia" representada pelo Borges e Goldman Sachs e assim, que já se tornou um bordão para tudo.

Estava numa conversa com uma prof. universitária. Daquelas com doc em Boston, na fornada da Isabel Alçada e mais uns tantos e, falou-se do desemprego que também já atinge a banca.

Eu conto-lhe o caso de um miúdo tuga que trabalhou na Goldamn Sachs e que está há mais de um ano desempregado.

E sai-se ela com esta: "ah! na Goldman Sachs! se andou por aí está tramado que agora ninguém lhe vai dar emprego!"

ehehehe

Eu nem consegui dizer nada.

É assim que as pessoas informadas assimilam as coisas.

Portanto, não é preciso preocuparmos-nos muito com os analfabetos.

":O)))))

zazie disse...

Já agora: esta mesma doutora também explica tudo pela herança do fascismo.

Até a inexistência de traduções de grandes obras ou de historiadores, deve-se ao atraso em que Salazar mergulhou Portugal.

E disso ainda não recuperámos, garantia ela, apesar dos docs de Boston para formar 15 elites por concelhos.

Floribundus disse...

o Braga era conhecido nos meios académico e político pela alcunha de
'adiantado mental'
porque os outros eram e são 'atrasados'.
acontece o mesmo com Borges.

'se bem me lembro' houve um gajo que partiu o braço ou pai ou vice-versa.

raros são os que fazem escola. os restantes vão lá

creio que Jorge Luis descendia de Transmontanos de Torre de Moncorvo

hajapachorra disse...

Por favor não confundam o Braga de Macedo, que mesmo avelhado e amargo é culto e por vezes genial, com um marrãozito que é tapado como um calhau. Não misturem um gajo que sabes coisas e até economia com um desgraçado que só sabe economia. O problema do BMacedo quando foi ministro foi ter como PM outro marrãozito tapado como um calhau, um marrãozito de York entenda-se.

josé disse...

Atenção: eu não estou contra estes Borges. Só que eles, a meu ver, são o problema deste Governo porque têm muita influência e o que propõem, além de não ser popular gera muitos anticorpos no próprio partido.

josé disse...

Por outro lado, se for verdade o que me disseram sobre o Borges António, a doença já o atingiu de modo grave. E sem remédio, acho se for assim.

Espero que não seja.

ae disse...

os portuguesitos são muito animados.
deus vos abençoe.

Floriano Mongo disse...

António Borges está a ser queimado em fogo lento na fogueira das execrações públicas.

A mediocridade é que está a dar, vêm balbuciando os poltrões promovidos a líderes oposicionistas por falta de coisa melhor.

Na Era da Mediocridade, os melhores e mais brilhantes são perseguidos como as ratazanas grávidas como dizia o genial dramaturgo brasileiro, Nelson Rodrigues.

Que dias, estes!!