Páginas

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Vem aí o centenário da Revolução bolchevique e há que lembrar o horror...

A revista francesa L´Express publicou agora um suplemento acerca do centenário da Revolução de Outubro. Por cá, a revista do PCP, O Militante já o tinha feito, com a girândola de louvores e nostalgia do tempo que passou e fossilizou.

A L´Express vale a pena ler porque mostra a evolução do regime comunista do ponto de vista que os mesmos censuram sempre: os horrores estalinistas e a expressão totalitária desses anos que os comunistas portugueses lembram  com a nostalgia do bons velhos tempos que de bom grado gostariam de repetir por cá, ainda hoje...



Nas páginas dedicadas ao estalinismo aparecem estas duas com um testemunho impressionante de um sobrevivente dos gulags desse tempo da década de 30 do século passado.

Em 2012 tinha 101 anos e contou assim alguns episódios que comparados com o Tarrafal da mesma altura fazem deste campo uma colónia de férias e recreio.



Depois disto devia ser considerada obscenidade o relato que alguns comunistas portugueses fazem do Tarrafal, comparando o horror postiço com o verdadeiro horror de  campos de extermínio como eram os gulags, a que só faltavam os fornos crematórios e a selecção de raça a eliminar.

Os comunistas portugueses que estiveram na União Soviética nesses anos 30 deviam necessariamente saber muito do que se passava mas não exprimiam tal realidade preferindo mistificar continuamente, como ainda hoje fazem.

O Militante de Outubro Novembro deste ano traz estas páginas dedicadas a um "intelectual do partido" que deveria saber disso e muito mais, mas não divulgava, preferindo fazer a apologia desse regime de horror totalitário.

Como curiosidade e sintoma, na foto abaixo aparece um certo Orlando Costa. Pai do actual primeiro-ministro.  As coisas são o que são...




A história do massacre de Katyn, na Polónia, perpretado por Estaline foi conhecida há muitos anos. Foi o primeiro massacre da II Guerra Mundial. 4000 a 5000 oficiais polacos chacinados sumariamente por ordem de Estaline  e metidos em valas comuns, ainda com os documentos de identidade. Depois, 10000 oficiais enterrados também.
Só em 1943 se descobriram os corpos e Estaline negou, atribuindo massacre aos nazis com quem tinha feito antes um pacto de não agressão, outra vergonha comunista que não gostam de mencionar.

Durante os julgamentos de Nuremberga Estaline atribuiu os massacres de polacos, em larga escala e destinados a decapitar as elites do país, aos nazis. Em 1946 foram descobertos documentos que mostravam os verdadeiros autores: a soviética NKVD.
Até hoje, O Militante nunca falou nisto e noutras vergonhas. Nesta obscenidade que deveria faze-los desaparecer para sempre da face da terra democrática em vez de poluírem com mentiras permanentes a opinião pública que não conhece estes horrores comunistas.

Mas se o Militante não o faz também o não fazem os demais órgãos de informação que não denunciam estes crimes e estes horrores comunistas semelhantes e em muitos casos superiores aos nazis.

Ser "fascista" em Portugal é proibido por causa disso. Se comunista é até uma honra, segundo parece...



14 comentários:

osátiro disse...

Até estou admirado de uma revista do ocidente ter esta coragem.
Há a tendência para "romantizar" Lenine ( como fazem com Fidel)...inventando que ele fez a revolução com boas intenções, havia guerra civil..blá blá..

ora acontece que LENINE foi tão cruel como STALINE...mas viveu menos tempo, construiu menos gulags.....
mas por sua conta há uns milhões de inocentes assassinados......
muitos milhares morreram á fome com a claro...REFORMA AGRÁRIA....

Floribundus disse...

mataram no mínimo
CEM MILHÕES

lenine levou um tiro nos ......
e deixou estaline como herdeiro

agora existem outros herdeiros
(jeronimo-martins-antónio das mortes)
que sangram os contribuintes
em contínuas lavagem ao cérebro e à carteira

o gulag instala-se dia a dia

Maria disse...

Isto é que são denuncias a fazer uma e outra vez como tem vindo a fazer o José e mais alguns outros portugueses corajosos, não muitos, infelizmente.

Para suplantar a maledicência, denúncias falsas, ultrajes e falsidades relativas a Salazar e ao Estado Novo, que os comunistas fizeram durante décadas seguidas (e fazem quando têm oportunidade para tal, ainda que se coibam cada vez mais, pois pudera!, as verdades são como o azeite vêm sempre ao de cima) sem que ninguém se lhes opusesse.

Como se alguma vez na vida a quantidade de violência gratuita, os milhares de crimes impunes e as matanças aos milhões, de pessoas inocentes, pudesse ter sequer termo de comparação entre um regime e outro.

Comparar a tirania sanguinária de Estaline e Lenine -- o horror dos Gulags, os assassinatos às centenas de milhar dos deportados durante as longas e dolorosas caminhadas até à Sibéria para morrer de fome e frio nos campos de concentração, a fome que esses mesmos prisioneiros passavam durante o caminho a ponto de serem alimentados com pedaços dos corpos dos outros prisioneiros propositadamente assassinados pelos quardas (dos quais também se alimentavam), as denúncias e prisões a quem praticasse mesmo que secretamente a sua religião -- com a bonomia de Salazar, as prisões do regime, os Tarrafais e quejandos (o Soares afirmou que enquanto esteve detido em S.Tomé tinha liberdade absoluta de movimentos, tinha uma praia só para si, andava por toda a Ilha à vontade e contactava com os habitantes sem problema algum..., realmente os prisioneiros do regime eram muito mal tratados, então não eram?..., olhem o Soares podia bem testemunhá-lo... como aliás o chegou a fazer tal como acabei de descrever), como muito bem frisa o José, não há dúvidas que estas e estes foram autênticos campos de férias ou Estações Termais ou próximo disso.

Alguma vez Salazar, em toda a sua vida, mandou matar milhares de prisioneiros (como fez Estaline) a caminho das prisões do Continente ou do Tarrafal???, nem um sequer, quanto mais milhões! Ou mandou Salazar assassinar milhões de portugueses por não quererem ser obrigados a doar as suas culturas ao Estado, como mandou fazer Estaline? Ou Salazar proventura mandou prender portugueses por praticarem livremente sua religião ou Salazar obrigava familiares a denunciar outros familiares ou conhecidos ou vizinhos por fazê-lo no recôndito dos seus lares, como aconteceu durante todo o regime soviético? Pelo contrário, Salazar apoiava, sem se intrometer, a prática da religião por todo um povo que (à semelhança do povo russo) ele sabia ser profundamente religioso.

Perante tudo o descrito, comunistas de todos os quadrantes tenham vergonha na cara e por favor nunca mais na vida digam mal de Salazar nem do seu Regime.
Salazar, comparativamente ao sanguinário Estaline (e mesmo a Lenine) foi um santo dos altares.

Louvado seja o José por não desistir desta sua corajosa luta contra o bando de comunistas que tanto mal fizeram a Portugal, alguns dos quais desavergonhadamente ainda por aí se passeiam a lançar hossanas a Estaline e ao regime soviético. E fizeram-no por saberem que aqui encontrariam terreno fértil para a colheita ou seja, para destruir o país sem peias nem obstáculos. O que eles sabem perfeitamente mas não se atrevem a confessar é que caso os termos se invertessem, não só eles nunca o conseguiriam fazer como antes de sequer o tentar seriam assassinados. Isto evidentemente na sua idolatrada União Soviética ou nalgum dos seus satélites cuja presente população em todos estes países, agora democráticos e vem mesmo a propósito, os odeia de morte. Mas sobre esta realidade os comunistas e muitos socialistas que fingem professar uma ideologia contrária à sua verdadeira, nem um pio, pois evidentemente. E nem outra coisa seria de esperar.

Manuel Pereira da Rosa disse...

O Salazar foi muito mau, dizem uns. O Staline foi muito mau, dizem outros. A revolução francesa foi:egalite, fraternite et liberte. A revolução de outubro foi uma tragédia.
"Há tanta ignorância na bondade que até chega a ser maldade", disse Frederico Nietzsche.
Bom mesmo, é o cowboy. Por isso,o índio é que foi dizimado. Resta-lhe apenas cair do cavalo, fingir de morto e fazer cara feia num grande plano.

josé disse...

O Salazar foi muito mau, dizem uns. O Staline foi muito mau, dizem outros

A maldade não é toda igual. Defender uma maldade contra outra também não é relativo. É preciso ver a realidade como foi e julgar como tal.

Não é tudo farinha do mesmo saco.

Ainda assim a maldade comunista é quase inexistente nos media, com a dimensão que deveria ter.

A de Salazar com infinitamente menor dimensão assume as proporções do Fascismo e do nazismo.

É essa mistificação que tem aproveitado a muitos e é preciso desmontar.

lusitânea disse...

O Ventura candidato a Loures é que é alegadamente racista e xenófobo.Não deve gostar do mural do CHE pintado no Bairro africano-angolano da Quinta da Fonte.Ameaça dos muitos para os poucos que têm que pagar o caminho para a sociedade socialista-internacionalista às fatias fininhas...

Adelino Ferreira disse...

Mesmo antes de chamar o padre vão comparar a lengalenga do incomparável. Nem por momentos se interrogam o que teria acontecido se o partido bolchevique tivesse sido derrotado. Nem mesmo o porquê da revolução bolchevique.
Não admira, nunca entenderam a descolonização das "províncias ultramarinas".
Ainda hoje a cristas grita "precários sempre". Fazem todos parte da ICAR, não sei como podem pensar num bom "futuro" após a morte

☆Ando a reler um livro que já li à dezenas de anos, era um escritor russo admirável que, vejam bem odiava o pai e chegou a desejar-lhe a morte, tal era a forma brutal e desumana como tratava os seus servos.Era esta a sociedade russa no tempo.

josé disse...

E tudo isso justifica e relativiza os massacres de Katyn e a repressão estalinista nos gulags.

Estou a ver...e só não se justifica aqui o Tarrafal.

Adelino Ferreira disse...

Os "gulags" já existiam antes de 1917 e ficavam na Sibéria para onde o dito escritor foi enviado e com direito a pena de morte que, só não chegou a acontecer porque não era servo como a maioria dos milhões de russos famintos. De resto a história bem recente está recheada de milhões de mortos (são os mortos bons) do Iraque à Líbia passando pela ex Jugoslávia e mais recentemente na Síria e agora no Curdistão onde ainda agora fizeram um referendo lindo e o que a Catalunha quer fazer, um referendo feio.

"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto"
Ruy Barbosa

josé disse...

Compare então os gulags soviéticos onde milhões morreram à fome, com o Tarrafal português da mesmíssima época.

E compare a atitude dos comunistas portugueses relativamente a um e outro fenómeno...

Adelino Ferreira disse...

Comparar o quê? O Mundo é muito mais do que esta pequena parte da "Jangada". Exceptuando meia dúzia de velhotes(as), ninguém discute salazar, os tribunais plenários, a Pide, o Aljube, o Forte da Trafaria e o de Peniche, o Tarrafal e estabelecimento à entrada da rua do heroismo/Porto etc. Os socialistas e comunistas continuam a existir, e por isso aqui tanto se fala deles. O "barbudo" ainda hoje é a figura mais falada e estudada no que à ciência política e económica diz respeito; os seus estudos e conclusões mudaram as ciências económicas e sociais e Mudaram o Mundo. Os de Outubro de 1917 beberam-lhe "os papeis". O botas foi e é uma figura irrelevante no contexto do Mundo, ninguém estuda o homem a não ser meia dúzia de Católicos(deus Pátria Família) que beneficiavam de uma política restritiva das liberdades fundamentais a saber: paz,pão,saúde,habitação ;) e uma política de condicionamento industrial; se uma empresa ou outrem quisesse importar uma gadanha, logo tinha que preencher um BRI e ficar à espera mêses para saber se sim ou não.
●BRI-boletim de registo de importação

Porque aqui há dias falou em igrejas e catedrais; há muitos muitos anos fazia 50 e pico km para lá e os mesmos para cá para ir à "catedral Inácio"
Era no tempo da vida barata; o litro da gasosa custava cinco escudos e trinta centavos

josé disse...

Os BRI são do tempo do socialismo democrático...ahahaha.

Adelino Ferreira disse...

Tenho uma forma para confirmar o que digo, mas não estou em condições de o fazer, pelo que apenas à Internet é possivel recorrer. Posso-lhe garantir que preenchi vários BRI antes do 25 e que eram entregues dum departamento do estado na Praça D.Filipa de Lencastre junto à Porto Editora. E mais, se desejasse importar um equipamento que a ind. nacional fabricasse, mesmo que de pior desempenho a importação não era concedida. Fica a promessa de tentar a confirmação

Manuel Pereira da Rosa disse...

Não foram os comunistas nem o MPLA que chacinaram os brancos em Angola. Foi a UPA e os seus mentores. A direita portuguesa, incluindo os que de lá vieram, branqueia a autoria. Japão: bombas atómicas em alvos civis. Anos cinquenta e sessenta: Coreia e Vietname com herbicidas e napalm em doses industriais. Actualmente: Iraque, Síria, Líbia, etc com todas as consequências que se conhecem. Intervenções na América Latina, ....... Tudo está a ser branqueado. Essa sua graduação da maldade, José, é tosca.