sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A heróica resistência das múmias do PCP contra o tempo que já passou

Revista O Militante do PCP, edição Setembro/Outubro 2017: todos os temas do comunismo, todas as teorias sobre o mundo actual, a sociedade, o modo de produção, etc, resistem estoicamente no formol do papel a preto e branco de uma revista com décadas.
Tal como há 40 ou 50 anos atrás, o discurso comunista do PCP é sempre o mesmo e enunciado do mesmo modo nesta revista.
O comunismo já morreu e como os répteis a quem cortam o rabo,  continua a rabiar do mesmo modo de sempre,  agitando o meio que os rodeia como sempre o fizeram: com greves e ameaças de alterações sociais.

O estranho fenómeno que resiste na Europa em condições únicas, neste canto mais ocidental, tarda em desaparecer porque tal como a múmia de Lenine, ninguém dos media parece interessado em remover para a tumba definitiva.


12 comentários:

Floribundus disse...

urss o único socialismo que implodiu
... até ver

Floribundus disse...


“A batalha não é apenas para os fortes;
mas também para os vigilantes, os ativos, os corajosos.” –
Patrick Henry

Zephyrus disse...

Um fossil perigoso. Em Espanha renovaram-se como Podemos e cativaram os incautos, que estao ingenuos perante o comunista radical que e o Iglesias. E preparam-se para destruir a Espanha com o golpe de Estado em curso na Catalunha.

Zephyrus disse...

Quem estudar a fundo o que se esta a passar na Catalunha percebera o quao perigosos sao os comunistas.

Floribundus disse...

apresentação de livro de
Ludwig von Mises

século XIX, no qual várias sociedades apresentaram mais paz, bem-estar e liberdade do que durante o século XX. A despeito de o século XX ter trazido inúmeras conquistas tecnológicas, as relações humanas deterioraram-se substancialmente – basta relembrar, entre outros atentados às liberdades individuais, as 60 milhões de mortes resultantes das duas guerras mundiais, os 40 milhões de indivíduos assassinados na China maoísta, os 20 milhões assassinados na Rússia stalinista, e outras dezenas de milhões, principalmente em locais onde o socialismo e a coletivização foram mais profundos.

Adelino Ferreira disse...

Alô alô, o rectângulo saiu do "lixo", S&P ajuda o pai que é velho. O Guerreiro no órgão do chefe da Distribuição, fala dos gajos que querem voltar à idade média. Contra as trevas, marchar marchar

https://estatuadesal.com/2017/09/15/como-se-reconhece-um-fascista/#respond

osátiro disse...

Desde 26/04/1974, que os grandes meios de comunicação social ( TVs principalmente, pelo poder que têm) que é "proibido" dizer as VERDADES sobre o comunismo: matanças de milhões, fome , miséria, desgraças, roubo de fortunas ao povo, desprezo cínico pelos mais fracos, etc...
na altura, eram as armas dos CRIMINOSOS DO MFA que impunham os embustes e a proibição da VERDADE.
lembro-me do furtado roncar no RCP: CUBA --O ÚNICO PAÍS LIVRE DA AMÉRICA...
isto dezenas de vezes por dia.
esta intoxicação militar continuou e continua.....
não há noticias sobre a VERDADE DO COMUNISMO---só há "noticias" inventadas para inculcar que o comunismo defende os pobres
os ditadores comunistas cruéis e sanguinários são....."líderes", salazar é ditador....
etc
etc

ás vezes penso que o povo português tem uma inspiração muito especial (divina?) para só dar 10 a 15% dos votos ao pcp apesar da intoxicação diária, militar que lhe foi imposta

Ricardo Amaral disse...

E a nova vaga(nova porque mais recente claro)marxista não é menos subversiva/perigosa/insana(pelo contrário) as consequências no meu último post http://planetadosprimatas1.blogspot.pt/2017/09/jogos-sem-fronteiras.html

Maria disse...

Ainda não li os artigos relativos a este partido nem sei se terei paciência. Mas deixo algumas perguntas aos que professam esta ideologia, que me fazem uma certa confusão e que estou para fazer há que tempos. Perguntas aliás já feitas por outros ilustres comentadores e volta e meia por José.

Se os partidos comunistas e extremo-esquerdistas exigem que haja direito à greve nas democracias em que eles peroram, como por exemplo na nossa (e claro que é tudo feito para deitar abaixo as respectivas economias) por que razão eles nunca as exigiram aos dirigentes dos países ex-soviéticos enquanto este regime existiu, que como é sabido as proibiam terminantemente?

Se os comunistas portugueses exigem que haja sindicatos (sobretudo comunistas) e até queriam que houvesse uma só central comunista no nosso país, para todos os trabalhadores portugueses e só depois de fortes pressões de dirigentes socialistas e de outros partidos, mas também e sobretudo de uma imensa maioria de trabalhadores de milhares de empresas que não queiram aderir a sindicatos comunistas nem serem defendidos por eles, lá tiveram que ceder a muito custo, permitindo(!) que houvesse outra central sindical desta vez gerida por socialistas, sociais-democratas e cristãos-democratas. Se isto é assim, então qual é a lógica dos comunistas sobre os países da sua cor política que os não permitem?

Se os comunistas odeiam de morte os regimes capitalistas e são contra tudo o que cheire a grandes empresários, grandes banqueiros, grandes agricultores, grandes proprietários, multinacionais de vária ordem, super e hiper mercados, lojas e boutiques das grandes marcas internacionais representando os maiores nomes da alta costura e da perfumeria, sapatos incluídos, como é que não abrem o bico sobre estas "excentricidades" que entraram no regime chinês em força e florescem, assim como os chineses muitos ricos e os muito pobres crescem que nem cogumelos e a corrupção praticada por empresários e mesmo de membros chegados ao Estado - já para não falar da nova Rússia em que tudo se passa de igual modo... - porque não se pronunciam eles sobre estes regimes supostamente democráticos e agora capitalistas?

E por que motivo os comunistas portugueses não dizem nada sobre a miséria que acontece em países como Cuba e Venezuela, regimes comunistas, estes, que eles tanto adoram e sempre apoiaram e justamente porque o são nunca produziram riqueza nem bem-estar suficientes para manter os seus povos com um nível de vida mìnimamente decente e sem carências de toda a ordem?
(cont.)

Maria disse...

E já que estou numa de perguntas, vai ainda outra. O que dizem os 'nossos' comunistas do regime torcionário da Coreia do Norte? Bem, aí parece não haver miséria nem fome..., parece..., mas então onde pára por lá a liberdade de expressão e de reunião que os comunistas portugueses tanto berravam para que as houvesse durante o Estado Novo? E onde estão naquele país os sindicatos para defender os 'trabalhadores', que os comunistas exigem à força que haja nas democracias, como aconteceu por cá e que não descansaram até os terem criado e dos quais recebem muito dinheiro em quotas dos sindicalizados (segundo li algures)?

E mais uma pequenina pergunta, que propriedades e outros bens de muito valor possuem os comunistas cá da terra? Os terrenos do Seixal onde fazem a festa do Avante desde há longos anos, deve valer muita massa. Então e as sedes do partido por todo o Portugal, que lhes foram cedidas com rendas a preço zero? E o belo edifício Art-Déco da Av. da Liberdade, que deve valer uma fortuna - edifício e terreno - onde se situa a sua sede(?) e que lhes foi oferecido pelos camaradas socialistas, estes os verdadeiros donos de Portugal, logo após o 25/4? E...,e..., e...

Quanto vale todo este património nas mãos dos comunistas portugueses, os mesmos que andam há mais de quatro décadas a chorar lágrimas de crocodilo com pena dos pobrezinhos e dos 'explorados' pelos malvados patrões capitalistas??? E eles, com tanto património e que é bom lembrar não o criaram com o suor dos seus rostos, não se consideram também grandes capitalistas, uma vez que o são de facto?!

Nos excelentes textos que a Cristina Miranda escreve no Blasfémias, num destes últimos traça à minúcia o perfil desta malta brava comunista e socialista, que, além das falcatruas e corrupção em grande escala que quase todos eles praticaram durante décadas (e praticam), tornou-os todos milionários, os ainda vivos e aqueles que já morreram. Por exemplo, diz a Cristina, até aquela que tem uma voz esquisita, muito gorda, com duplo queixo e que até fez teatro quando ainda era deputada na Ass. da República e que idolatrava o Cunhal e odiava de morte o Gorbachov por este ter acabado com o comunismo (não me lembro do seu nome neste momento), ela anda desaparecida dos palcos mediáticos há bastante tempo, até esta é comunista mas não se coibe de ser detentora de muita maçaroca, imaginem! E depois o Salazar, um político que foi incorruptível e íntegro e que quando morreu tinha apenas 100 contos no banco, um extraordinário Governante que nunca deixou estes traidores e ladrões cá penetrarem com o único objectivo de virem roubar escandalosamente e em plena liberdade os portugueses, é que era mau... Então, não era? Os ditadores comunistas déspotas e sanguinários de ontem e de hoje, esses é que eram e são uns uns anjos dos altares, pois claro.

Muito bem fez Salazar em conservar estes demónios em figura de gente bem longe do país, tudo feito para bem de Portugal e dos portugueses, pois enquanto ele governou tivemos uma genuína alegria de viver. Aquele regime deu-nos uma segurança que não tem preço e assegurou a paz que qualquer povo ambiciona mais do que tudo. Afinal é só o que um povo necessita para ser verdadeiramente feliz.

Mats disse...

O comunismo transformou-se no Marxismo Cultural.

Maria disse...

A deputada do PC, tornada actriz nas horas vagas, chama-se Odete Santos. Verifiquei o nome depois de ir ler de novo o brilhante texto de Cristina Miranda. Aconselho quem não suporta esta tropa fadanga que nos desgoverna, a ir ler pelo menos alguns dos seus textos, ainda que todos eles sejam de primeira categoria.