segunda-feira, 30 de abril de 2018

Foi pena não termos um Giovannino Guareschi...

Crónica de Francisco José Viegas no CM de hoje:

Esta crónica lembra o autor italiano que escrevia livros populares e inventou as personagens de Don Camilo e Peppone, nos anos 40 do século passado. Essas figuras chegaram ao cinema, nas décadas seguintes e mostravam as idiossincrasias italianas entre o comunismo e o catolicismo de um modo que por cá, em Portugal nunca tivemos. Era um retrato do nacionalismo rústico à italiana...

Talvez por isso em Portugal o comunismo se transformou rapidamente numa pequena religião, logo após aquela manhã de Abril. Os apóstolos já tinham aberto os caminhos para tal e nunca faltaram profetas da seita que promete sempre o paraíso na terra desde que se tire aos ricos para dar ao Estado que depois dará aos pobres, se calhar e sobrar alguma coisa. 

Em Itália, no tempo daquela manhã de Abril de 1974, estava prestes a desenrolar-se um drama que acabou em tragédia, em 1978, com o assassinato de Aldo Moro, um político da Democracia Cristã que estava disposto a fazer uma geringonça com o PCI, da época.

Se em Portugal tivesse existido oportunidade de aparecer um Guareschi, talvez que o PCP nunca fosse o que foi nem tivesse a importância que teve, durante a década dos anos setenta, do século que passou. Teria perdido toda a importância nas décadas anteriores e não haveria um forte de Peniche a servir de referencial a qualquer mito contemporâneo.

O sinal mais evidente de tal fenómeno foi o modo como em Portugal se encarou determinados acontecimentos ocorridos nos países comunistas de então.

Nessa década de setenta praticamente ninguém falava, discutia ou poderia mesmo assistir a discussões abertas e públicas sobre a verdadeira natureza do comunismo de Leste que o PCP tão bem representava.  E menos ainda os vários comunismos que apareceram depois, em alternativa trostkista e maoista.
Assim, em 1974 quando em Itália o PCI já nem era um partido comunista ortodoxo como o era o PCP em Portugal, este apareceu em toda uma virgindade  pública que escondia uma natureza corrupta e firmemente ancorada ao que os demais partidos comunistas europeus tinham já abandonado depois dos acontecimentos históricos dos anos sessenta e cinquenta ( Checoslováquia e Hungria, fundamentalmente).
O PCP por força de uma censura efectiva do que representava politica e ideologicamente e que foi promovida pelo regime anterior, beneficiou imediatamente desse obscurantismo politico-ideológico de tal forma que deveria estar sempre agradecido ao antigo regime que assim o protegeu objectivamente, de todos os confrontos ideológicos que se foram travando pela Europa democrática nesses anos.
Imagine-se por um momento que nos anos 40, no auge do cinema português em forma de comédia, num filme como o Pai Tirano ou O Pátio das Cantigas o enredo metesse um comunista internacionalista, adepto do estalinismo mais duro, como de facto era o PCP. Um comunista na figura de um António Silva em contraponto a um Vasco Santana bonacheirão e dado à destituição do ridículo. Seria fatal.

É esse o significado simbólico de Giovanni Guareschi: através da comédia dessacralizou-se o comunismo. Por cá, a ausência de visibilidade tornou-o em seita religiosa, laica,

Uma das oportunidades mais flagrantes de confrontar o comunismo português com a ideologia pró-soviética que sempre defendeu,  ocorreu no início de 1974, com o caso Soljenitsine, já por aqui tratado diversas vezes.

A história de Soljenitsine e o modo como por cá foi relatada é exemplar da estupidez da Censura.

Em meados de 1973 houve conhecimento, no Ocidente ( França e EUA) de que o escritor russo Soljenitsine  fora ameaçado de  morte pelo regime soviético, de modo sério. Não porque andasse a fazer bombas para estourar em locais escolhidos, mas apenas porque escrevera um manuscrito que escondera durante anos e que denunciava as condições dos campos de trabalho soviéticos, os gulag.
O manuscrito fora entregue a uma amiga, o KGB soube e torturou-a durante vários dias para saber onde estava tal manuscrito. A jovem Elizabete Voronianskaia cedeu e contou onde o tinha guardado. Ao chegar a casa, não aguentando o peso do acto, pendurou-se, suicidando-se.

Estes factos não foram contados assim, por cá, nem em 1973, nem em 1974 nem depois disso,  que se saiba.

No entanto, a revista L´Express de 7 de Janeiro de 1974 contava-os, tal e qual. Alguém do Expresso, entretanto com um ano de existência, deveria ter lido. Ou na A Capital; ou no Diário Popular; ou no Diário de Lisboa; ou no Século, ou no Diário de Notícias, Primeiro de Janeiro, Comércio do Porto ou Jornal de Notícias. Até no famigerado Jornal do Fundão, bastião do antifassismo beirão, devem ter lido...mas nada foi noticiado, que se saiba.

Seria interessante perguntar ao sabe-tudo de então, o ilustre professor  Marcello se leu, ouviu ou soube. E o que fez na redacção do Expresso onde se encontrava.

Seja como for, aqui fica a história toda de então e que não passou nas notícias. De certo que a Censura nada teve a ver com isso. Ou teve?


 Soljenitsine era já um nome conhecido em Portugal nessa altura. Em 21 de Janeiro de 1974, portanto depois da data daquela publicação até o Diário Popular deu destaque a outro livro de Soljenitsine, Agosto 1914. O escrito de Manuel Poppe denota ainda um conhecimento do que se tinha passado mas é apresentado em elipse que faz desconfiar de intervenção da Censura.

Quem não lia imprensa estrangeira, como era a esmagadora maioria dos leitores do DP nem se apercebia do assunto.

Esta castração cultural foi fatal ao país, nessa época e se o comunismo apareceu de rompante, dali a meses, a culpa não foi apenas do povo ignaro destes acontecimentos. Foi também de quem não permitiu que fosse devidamente informado disto e de muito mais.



33 comentários:

altaia disse...

Podiam ter publicitado naquele programa de rádio que dava aos domingos «Alerta Alerta Rádio Moscovo não fala Verdade e assim nunca soubemos nada.!

josé disse...

E o Rádio Moscovo publicitou alguma coisa para se poder dizer que não era verdade?

Floribundus disse...

sociais-fascistas do meu tempo (58-9)

«Enrico Berliguer (Sássari, 25 de maio de 1922 — Pádua, 11 de junho de 1984) foi um político italiano e secretário nacional do Partido Comunista Italiano (PCI) de 1972 até sua morte.»
era marquês e o seo comité central de 159 membros só tinha um operário

«No fim de 1954 fundou a Giangiacomo Feltrinelli Editore. O primeiro livro lançado pela editora foi a autobiografia do então primeiro-ministro indiano Nehru.
O editor milanês comprara os direitos do romance de Pasternak em 1956, em Berlim, e confiara a tradução em italiano a Pietro Zveteremich. O livro foi publicado em 23 de novembro de 1957 e três anos depois, em abril de 1960, alcançou a marca de 150.000 exemplares vendidos. Doutor Jivago daria a Pasternak o Prêmio Nobel de Literatura em 1958.
Che Guevara, Diário na Bolivia, que será um dos best-sellers da editora.»
morreu ao preparar atentado

lia semanalmente a revista Candido de Guareschi

por cá os citadinos de esquerda não passam de pigmeus e bosquímanos
não servem nem para funcionários públicos

Zephyrus disse...

No dia em que saiu no i a entrevista ao Boaventura estava por terras de Santa Maria de visita a familia. Recordo que vinha um artigo de um comuna qualquer a elogiar Gramsci. Tambem comprei o Publico e o DN. E abissal a diferenca entre o conteudo dos artigos e a linguagem dos jornais portugueses e ingleses. Ou espanhois. Os nosso, excessivamente pro comunistas, uma vergonha.

A Direita tambem e um bando de totos capados por ter deixado as coisas chegarem a este ponto. Os dois pecados capitais de que sofrem, a vaidade e a inveja, tambem nao ajudam...

Zephyrus disse...

Agora que o Guterres esta fora e nao volta, e que Mario Soares partiu, veremos os cripto-comunas do PS a saltar da cartola como coelhos.

E que faz a Direita? Acordos...

joserui disse...

A direita? Dos Tavares, Lopes e outros — do Rio (me parece) e todos os antifassistas do Observador? Faz o trabalho da esquerda. É um trabalho sujo, mas alguém tem de o fazer.

joserui disse...

As missas e serviços religiosos, as aulas de religião e moral e outras actividades da igreja, não falavam sobre o assunto? No meu 10º ano, em religião e moral o professor, que não me lembro se seria padre, falava do comunismo e maçonaria em termos que não deixaram dúvidas a ninguém. E a um cristão muito menos.
Onde foram parar os Cristãos deste país no pós 25A? Se antes não se falava, depois podia-se falar. Não quero ser injusto para a igreja e para os esforços que foram feitos em 1975, para este país não cair na mão desses retardados. Mas e depois? Que é feito da igreja? Porque não vamos à missa e não assistimos a denúncias contundentes desta escumalha?
É difícil é prometer o céu no céu, quando esses retardados prometem o céu na Terra. E a natureza humana tem particularidades que encaixam na perfeição em todas essas promessas. Um admirável mundo novo em cada amanhã que canta.

Zephyrus disse...

A Igreja... deixou-se infiltrar por alguma gente vermelha e cozinheiros com aventalinho de cozinha. E algum arco-iris para aqueles que sao alegres...

Alem disso acomodou-se ao dinheiro do Orcamento de Estado que flui para as IPSSs e alguns colegios. A Igreja perdeu os bens na guerra civil no seculo XIX e nunca mais os recuperou, tal como outras instituicoes, sendo que a Universidade de Coimbra era uma delas. Agradecam ao jacobinismo...

A Igreja esta em parte nas maos do Estado porque carece de algo que perdeu: terras e casas que lhe deem rendimentos sob a forma de rendas, e gente que invista depois esses rendimentos na industria e nos servicos. Esses bens foram vendidos a preco de pataco em nome dos amanhas liberais que cantavam contra os miguelistas.

Alem disso a Igreja nao tem uma coisa... meios de comunicacao social e jornais com audiencia vasta. A Renascenca e mansinha, domesticada...

Quantos comentadores de Direita crista temos? O Prof. Joao Cesar das Neves e um deles. Algum mais?

Zephyrus disse...

Portugal e uma maquina de destruicao macica de elites.

Deram cabo da burguesia com a Inquisicao nos seculos XVI e XVII.

Expulsaram os Jesuitas. Mataram os Tavoras num processo ignobil. Meio pais andou a matar-se na guerra civil entre liberais e miguelistas. Recentemente, com o PREC, espatifaram a economia.

A maquina continua activa ja tem novos alvos. Os pequenos e medios empresarios do turismo, os proprietarios de habitacao, e as novas empresas de servicos tecnologicos.

Portugal continua sem emenda e continuara a ser o pelintra da Europa Ocidental por muitos e longos anos.

Zephyrus disse...

Em termos relativos a grande convergencia com a Europa ocorreu apos e Segunda Guerra e no marcelismo. Depois andou-se a reboque e com crescimentos manipulados a base de endividamento. Pelo meio, uma chuva de fundos comunitarios...

Continuamos com um PIB per capita baixo... muito inferior ao espanhol, metade do que ocorre para la dos Pirineus. Tal como no inicio do Estado Novo. E com uma divida mais alta que na bancarrota parcial de 1892. Em termos relativos voltavamos onde estavamos e como diz o povo, passamos de cavalo a burro.

A pseudo Direita portuguesa tornou-se uma amalgama de interesses diversos que comem do Orcamento de Estado e que manipulam leis e regulamentos para favorecer os seus em prejuizo do Bem Comum. Pelo caminho perderam os valores tradicionais e abracaram o marxismo cultural. Nao ha recta intencao e isso era logo notorio nos tempos do cavaquismo...

Zephyrus disse...

Vamos a caminho de dez anos da bancarrota socratina. O que mudou? Pouco...

Puseram travao na obras publicas e refinaram a maquina fiscal para aumentar as receitas. Pelo meio houve um milagre no turismo em parte gracas ao trabalho de um secretario de Estado do CDS.

De resto... tudo pior! Pagam-se mais impostos, o custo de vida subiu, as legislacoes e regulamentacoes continuam estupidamente complexas e castradoras, a natalidade continua baixa, o peso das pensoes no Orcamento de Estado continua elevado, ha um ambiente asfixiante de caca a multa que destroi muitas pequenas e medias empresas, as leis laborais estao desligadas das necessidades do mercado de trabalho, os portugueses continuam a endividar-se...

Zephyrus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zephyrus disse...

Em Lisboa um hostel ja esta mais caro que em Londres... agradecam as taxas turisticas e as iluminadas do Bloco ainda acham que estao baixas! E de doidos!

Floribundus disse...

nunca leio comentários antes dar a minha opinião porque ninguém a compra

depois começo por ler em diagonal para ver o interesse

aparece aqui somente um januário boaventurado
pepone nas horas vagas

don camelos não faltam

pensava eu que o dia do trabalhador se prolongava 365 vezes com descanso de mais um dia nos bissestos

'fazem o favor de ser felizes'

Floribundus disse...

lapsus vistae
bissextos

o TS freud via libido nos lapsus

só por engano vejo telejornais
não suporto os manos dupont e dupond (tó das mortes)

Ricciardi disse...

Oh zhephi eu não pago mais impostos. Pago ate ligeiramente menos.

Repete comigo: as taxas de impostos desceram (Iva restauração, sobretaxas etc).

A carga fiscal aumentou pela simples razão de que mais gente passou a pagar menos impostos. Mais 300 mil empregos por exemplo, de gente que não pagava impostos porque nao tinha rendimentos e passaram a pagar.

É. Subiu a carga pelas bias razoes o que permite melhor consolidação orçamental e redução da dívida como vimos em 2017.

É depois falas besteira acerca da taxa turística comparativamente com Londres. Hello, também a têm por lá.

Cereja em.cima do bolo, dizes tu que o turismo subiu por causa do Adolfo Mesquita. Para um comunista ainda deixava passar porque vê na intervenção estatal qualquer sucesso econômico eventual. Mas tu pá?

Então os turistas vieram para cá por causa do Mesquita ?

Ainda se tivess3 aumentado turismo gay ainda me calavas.

Não estas bom da cachola.

O turismo vem crescendo paulatinamente desde o ano 2000. Um dos motivos mais importantes para isso foi a chusma de pessoal que deixou de ir para destinos como o magreb, médio oriente, egipto etc.

O mesquita não foi mau mas também não é preciso exagerar. Homens providenciais só há um, Salazar e mais nenhum. Sebastião também, pronto.
.
O turismo ainda vai crescer mais mas é preciso retomar alguns investimentos que foram parados pelos que foram mandados borda fora. Aeroportos, mais museus temáticos etc.

Rb


Ricciardi disse...

Lisboa esta caro, dizes tu.

Pois esta. Estará caro enquanto houver procura. Quando os preços atingirem um nível acima do que aquilo que os turistas estão dispostos a dar, eles descerao. É o mercado a regular-se pá. O Capitalismo.

Let it be, let it flow.

Rb

Pedro disse...

Nos anos 70 não se podia criticar o comunismo ?

Só tretas.

Partidos como o PS-PSD-CDS sempre criticaram o comunismo e o jornal mais primariamente anticomunista da nossa história, o Diabo, apareceu em 77.

Aliás esse jornal é que faz censura nas suas caixas de comentários, à boa maneira salazarista.

Pedro disse...

Está enganado senhor José.

O que provoca a subsistência do PCP como partido relativamente importante em Portugal não é a falta de nenhum humorista.

São os factos sem graça nenhuma de termos os salários mais baixos, o estado social mais fraco e os menores direitos sociais da Europa ocidental.

Miguel Dias disse...

Pedro disse "(...) de termos os salários mais baixos, o estado social mais fraco..."

Agradeçam às políticas/ideias de Esquerda implementadas pós-25 de Abril de 1974 responsáveis por esta realidade.

zazie disse...

O imbecilóide nem ler sabe- se tivesse tido antes do 25 de Abril, cretino!

Antes do 25 de Abril- palerma!

zazie disse...

Esta comunada é tão ignara, tão besta, que mete impressão.

Floribundus disse...

tão pindéricas manifestações sindicais
mostram o ''estado a que isto chegou''

josé disse...

Reduzam-no à inexistência...

Floribundus disse...

admiro-me de não fabricarem

«Triperóxido de triacetona (peróxido de acetona, peroxiacetona, TATP, TCAP) é um peróxido orgânico e um alto explosivo primário. Ele toma a forma de um pó cristalino branco com um destacado cheiro acre.

Materiais:* 4ml de acetona* 4ml de peróxido de hidrogênio a 30% (vulgo água oxigenada)* 4 gotas de ac. Hidroclorídrico concentrado(Ácido de bateria(H2SO4) (erro) Destilado* tubo de ensaio de 30ml(ou qq recipiente de vidro)
Procedimento:Ponha os 4 ml de acetona, e os 4 ml do peróxido de hidrogênio no tubo de ensaio,depois pingue devagar as 4 gotas do ácido dentro do tubo depois de uns 10-20 minutos, vai comecar a aparecer uma pasta sólida no fundo.
Deixe essa reação ocorrer por mais 2 horas, então centrifuge a pasta, e filtre ela com filtro de papel mesmo, entao deixe secar por mais duas horas e está pronto»

quem não tiver os cuidados que não digo, tem o mesmo fim de Feltrineli

Ricciardi disse...

Pedro, bem vindo.

Por aqui só se consegue falar à vontade inexistindo.

Se existisses tinhas de te sujeitar a pensar aquilo que o homem da loja pensa senao... levavas tau tau.

Vê lá tu, pá, que até mensagens privadas são enviadas para exortar a carneirada pisca pisca a abster-se de comentar comentários daquele que inexiste.

O que me vale para manter a brincadeira e a palhaçada (imaginar o muja a espumar é uma experiência transcendental) é um funcionário meu que tem pouco que fazer e até já apanhou alguns tiques literarios meus na perfeição .

Eu próprio acho piada aos (meus) comentários. E avalizo-os todos. Sem excepção. Se bem que o rapaz é demasiado impulsivo. Não há gente perfeita, não é.


Rb

Paulo Moreira disse...


Cos'è il nazionalismo rustico italiano?

Zephyrus disse...

Tenho uma vaga ideia, mas posso estar enganado, que o partido comunista italiano, decadas atras, chegou a ter perto de 30% das intencoes de voto no Sul de Italia. A coisa agora mudou, e esse eleitorado virou ao Centro, e votou no partido do palhaco, o Movimento Cinco Estrelas.

josé disse...

C´e l´ironia dello scritto di Araújo di malomil...

Che no lo sa, domanda perchè?

Floribundus disse...

Pour une neuroscience de la personne humaine
Professeur Jean-Pierre Changeux Neurobiologiste, membre de l’Académie des sciences


Le nouveau-né possède donc un ensemble de dispositions dont beaucoup se trouvent propres à l’espèce humaine et dont l’origine est évidemment génétique. On pourra objecter à cela qu’il va de soi qu’en France on parle français, en Allemagne allemand ou dans le Maghreb, arabe. Est-ce que tout cela est génétique ? Bien sûr que non. Alors que se passe-t-il ? Il existe une enveloppe génétique pour les dispositions « universelles » à acquérir le langage, certes, mais d’importants processus non génétiques, d’origine culturelle, interviennent. Le cerveau du nouveau–né est très immature. La masse du cerveau augmente 5 fois après la naissance pour atteindre la masse de l’adulte. La période de maturation qui suit la naissance est très développée chez l’espèce humaine comparée à celle d’autres espèces : elle dure plus de 15 ans.

não faltam adultos que se comportam como Peter Pan porque se recusam a crescer

Paulo Moreira disse...

pergunto, porque gosto do dom Camilo. ensinou-me a falar italiano e nunca o achei rústico. era a preto e branco na rtp marcelista...outra querida que me ensinou o italiano foi a laura antonelli no sessomatto...
Estou a a ouvir o urgent dos foreigner no tidal master com auscultadores asus e placa de som intel. nao tenho guito para ouvir o harvest dessa forma...mas lá que gostava gostava.
Gosto do Chico Viegas. Acha ele, e eu, que a serra do Reboredo é fantástica. Y, em castelhano, por lo demás, es portista. Sempre a considerar.pm.

Paulo Moreira disse...

Malomil. Claro. Desde sempre. Mama sume.

Paulo Moreira disse...

passei do roads dos portishead para o my my hey hey (out the blue) e agora para o heart of gold e agora para o pastor da teresinha salgueiro. ao largo ainda arde....

O juízo do STJ