quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

A mentira tem pernas curtas...

Económico:

Teixeira dos Santos responde no ETV a Olli Rehn, que ontem disse ter abordado o governo português sobre um resgate um ano antes do pedido oficial.

"As declarações do comissário são compreensíveis. Ele é o rosto da orientação dessas políticas de austeridade que têm vindo a ser seguidas na Europa. Ele tem que defender a 'sua dama', como é evidente", afirmou Teixeira dos Santos no seu habitual programa semanal Conta Corrente, no ETV.

Acrescentou que: "A Comissão queria que nós enveredássemos por um programa 'à grega'. Eu estou convencido que teria sido desastroso para nós, nessa altura, termos enveredado por um programa 'tipo à grega'. Porque acho que..., primeiro, estaríamos colados à Grécia quando penso que, apesar de tudo, a situação de Portugal não é mesma a situação grega e aí as autoridades europeias reconheciam isso e faziam essa diferenciação."


Teixeira dos Santos acaba de confirmar o que disse Olli Rehn e desmentir o Mentiroso que todos os Domingos, (no exercício escandaloso que a RTP lhe proporcionou ) continua a aldrabar os portugueses que ainda fazem eco do que diz.

6 comentários:

Carlos disse...

José,

Claro como a água. E esvazia até, o argumento dos sucessivos PECs, como salvação possível.

Dudu disse...

"A sua dama deve" ser a chanceler Merkel. O PEC 4 deveria ser o 4º segredo das aparições em Fátima.

Carlos disse...

"...deveria ser o 4º segredo das aparições em Fátima."

Não Dudu,

O 4º segredo, vai ser revelado no próximo dia 18.05.

João Miguel disse...

Bom, não me vão apanhar a defender o Mentiroso, mas a verdade é que a Espanha, há dois anos, para muitos entendidos era o seguinte da lista a entrar em insolvência, com toda a certeza, e afinal não passou de um palpite mal feito. Lembro-me que a Itália também não devia escapar e a seguir toda a zona € ia colapsar em breves semanas, dizia-se em Maio ou Junho de 2011. Noutra versão Portugal ia voltar ao escudo! Por isso, concluindo, no tempo dos PECs havia um grande grau de incerteza e não é muito honesto estar agora a falar desses dias como se na altura houvesse certezas ou caminhos claros a seguir.

Carlos disse...

João Miguel,

Percebo o seu ponto de vista. No entanto, já estava-mos de PEC em PEC.
Ou seja, cada novo PEC, mais não significava que o falhanço do PEC anterior. E assim sendo, de PEC em PEC, tinha-mos que desaguar no resgate final. Ou não?

O problema com o mentiroso (esse mesmo),é que nos transmitiu sempre que as suas soluções foram as sugeridas por Bruxelas, o que agora se desmentiu - tão só.

josé disse...

O que me espanta é que um suposto "direitista" ( que o não é obviamente) Lobo Xavier, tenha dito que afinal o PEC IV poderia ser uma solução...

Isso é que me espanta mas já nem tanto, afinal.

O dinheiro cega as pessoas.