sexta-feira, maio 28, 2021

A realidade portuguesa dos últimos anos é esta, sem tirar nem pôr...

 Artigo de Eduardo Dâmaso na Sábado: 


Complemento no Público de hoje com a crónica do advogado F. Teixeira da Mota: 



O advogado fala expressamente nas "secretas" como tendo feito parte do esquema de assalto ao erário público e às trafulhices bancárias e empresariais agora bem explícitas e inacreditáveis. 

Com as "secretas" quer certamente referir-se a um tal Silva Carvalho, mas é preciso que se diga que as "secretas" tiveram magistrados a dirigi-las e que estão colocados em lugares de serviço de judicatura. 

Por outro lado a explicação do que se passou no BES e depois no Novo Banco continua envolta num nevoeiro que a incipiente informação, mesmo a do Público da jornalista Cristina Ferreira, a mais especializada nestas questões, não dissipa por desconhecimento por vezes básico do funcionamento do sistema bancário e do direito que lhe é inerente. 

Os economistas estão mal preparados para lidar com estas questões e menos ainda para as explicar de modo a todos entenderem. Como a maioria das pessoas não entende patavina destas matérias ficam apenas as atoardas e declarações bombásticas, por vezes de quem fala apenas de cor e é pena. 

Vale a pena ler a entrevista ao tal Costa Pinto do BdP, no Público do passado dia 25 de Maio,  para se perceber a limitação dos economistas em explicar num português que toda a gente entenda o que se passou com  o Bes/Novo Banco e o Fundo de Resolução.




Lendo o artigo de Eduardo Dâmaso fica-se com a ideia nítida sobre o que se passou em Portugal nos últimos 15 anos, embora a história tenha que se contar desde há alguns anos antes, praticamente desde o início dos anos 2000, incluindo alguns personagens do governo de Cavaco Silva. 

E fica-se igualmente com a ideia que não será possível averiguar o que se passou se tal não for reunido em conjunto coerente, pelo que os que defendem a divisão dos processos, particularmente o processo do Marquês, não sabem do que falam e incluo neste lote o ex-presidente do STJ, Piçarra que deveria estar calado sobre este assunto. 

Quem conhece melhor toda esta história é...o juiz Carlos Alexandre. Por isso o querem afastar de tais processos, porque é a última barreira com que os entalados contam, antes de poderem ir a julgamento pelos respectivos crimes que são claramente enunciados no escrito de Eduardo Dâmaso e no do advogado Teixeira da Mota. 

 Portanto quem quiser saber o que se passou tem este guião acima escrito. Quem quiser saber os nomes, pode ler mais, até aqui neste blog. Basta colocar os nomes e vão lá ter...


Sem comentários:

Mário Ferreira: eis os porquinhos!