sexta-feira, janeiro 03, 2014

Sócrates: será este o ano em que se fará Justiça?


Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...
Abraham Lincoln

8 comentários:

Anibal Duarte Corrécio disse...

Nem sequer bom entertainer consegue ser na TV.

Recordo-me dele jovem adulto,a pé nos Restauradores, atufalhado de magazines, que ia comprar a uma loja estreita perto do Palácio Foz.

Nunca deixou de ser um comediante medíocre.

Contribui com a sua parte para nos ajudar a entalar mais a todos e para ser rico sem se esforçar muito.

josé disse...

Bom retrato do indivíduo. Como Sócrates, o PS tem mais uns tantos.

São pessoas que alcançaram um patamar de vida irreal para o que valem pessoal e profissionalmente e que já não passam sem o "standard".

Hoje deve andar nos 15 mil euros por mês, para manterem o standard. Como não podem ser funcionários públicos, encostaram-se ao Estado em várias actividades subsidiadas de vária forma, pelos amigos que foram conhecendo.

Parece-me este um retrato do país que temos e somos actualmente e que no tempo em que eles apelidam de fassismo, seriam corridos e teriam que trabalhar a sério.

josé disse...

Vivem quase todos na mesma zona de Lisboa...

josé disse...

O caso de Sócrates é mais grave porque passou todas as marcas e julgou-se invencível nesta choldra.

O grande mistério é por que razão ainda se não fez Justiça, porque os rabos de palha são tantos que não se percebe.

foca disse...

Oh josé
Então quer mandar para o desemprego o chofer da mãe do homem?
Deixe lá o rapaz que ele vai dando negócio à Armani e a mais umas lojas da Avenida!

josé disse...

É outra característica dessa malta que é toda muito próxima e conivente: terem "chófer".

Curioso. Indivíruos que saíram da pinderiquice mais chá, terem agora chofer só porque são figuras do partido...

josé disse...

chã que chá é o que nunca tiveram em pequenos...

Anibal Duarte Corrécio disse...

"Como Sócrates, o PS tem mais uns tantos."

Não vem a propósito mas fez-me lembrar os antifassistas do PC quando deram à luz com a abrilada.

Conheci um que por ter vivido na clandestinidade achava que o Estado deveria conceder um subsídio a todos aqueles que manifestamente dizia "sofreram na pele o fascismo".

Uma espécie de subsídio de integração na chamada vida democrática, pelos "sacrificios pessoais" que tiveram que fazer ao combater a ditadura.

Por aqui se vê um dos aspectos da mentalidade de esquerda.

Tal como o PC, o PS tem históricos que vivem como se a Nação tivesse que os carregar às costas até ao fim das suas vidas e lhes fosse assim permitido um estatuto com honrarias, benefícios e previlégios especiais.

Esta mentalidade está em linha com o princípio geral de esquerda que o que interessa é o presente -o prazer - pois o futuro - a realidade - há-de alguém um dia resolver.

É assim que se constroem bancarrotas, com a contribuição dos democratas abrilescos do bloco central, àvidos em fazer fortuna a qualquer preço, por cima ou por baixo da mesa do Estado.



Gente nova e velha