domingo, 10 de setembro de 2017

A viscosidade do sistema que gera consensos

No Sol de ontem,  o perfil do advogado Proença de Carvalho traçado por Nuno Ramos de Almeida, catalogou as empresas onde o mesmo exerce funções na Assembleia Geral.
Numa lista de 26 grandes empresas nacionais, a maior parte delas de capitais privados, não ocorreu ao jornalista perguntar ao dono de alguma delas ( sócios maioritários, por exemplo) algumas das razões da preferência deste advogado para o exercício do cargo. Não se explica ao leitor qualquer razão plausível para tal, a não ser a alegação de um dado inefável repetido ao longo do artigo: a excepcional inteligência deste meco vindo da Soalheira que costumava tocar guitarra em tandem com Dias Loureiro.
Ao contrário da viscosidade que aparentemente liga o indivíduo aos cargos exercidos, o argumento não cola assim tanto por ser tão fluido e inconsistente. Inteligentes há muitos e entre advogados ainda mais...e não será este esperto que sobreleva nessa qualidade os demais.
Há outras razões, por isso mesmo, para que este personagem arribado à democracia vindo do antigamente de um limbo oposicionista situado dentro do próprio regime com um pé lá e outro cá, tenha prosperado no âmago do sistema. Em primeiro lugar o facto de o país ser muito pequeno e o dito espertalhão ter conseguido surfar todas as ondas democráticas que se lhe apresentaram. Em primeiro lugar, a oposicionista a Marcello Caetano, com um olho a piscar ao comunismo clandestino, marcando logo um ponto importante no tabuleiro político vindouro, mesmo fincado no terreiro do capitalismo monopolista de Champallimaud e afins onde jogavam também os demais espertos do regime deposto e vindouro. Os advogados socialistas nunca desprezaram os detentores do capitalismo monopolista e isso é tão válido para este esperto como para os demais, em que se incluem os Mário Soares e outros AlmeidaSantosVascoVieiradeAlmeidaSalgadoZenha e até um Godinho de Matos ou um Magalhães e Silva co-fundador do PS.
Nunca algum desses se incomodou com a promiscuidade de princípios porque no fim de contas a similitude era evidente: poder, dinheiro e influência, são esses os valores no jogo que todos sempre jogaram.
Este advogado trazia uma vantagem: é manhoso e provavelmente matreiro. Os princípios eram os mesmos e  os fins os mesmos eram. Passar de Champallimaud para Ricardo Salgado é um passo dentro da mesma dança. Defender "o senhor",  como advogado, até ao ponto em que se prenuncia a desgraça do dito, é absolutamente previsível, mas cum gano salis: manter a porta do escritório aberta com o filho lá dentro, para o que der e vier, não vá o diabo tecê-las e o diabo tece-as mesmo, como provavelmente se verá um dia destes.

O articulista, para além de copiar imagens alheias, teve um lampejo de lucidez ao entrevistar outro advogado, agora retirado no seu Algarve, mas colega de escritório da raposa em causa: Godinho de Matos que tem muito que contar e eventualmente vontade de o fazer. Já contou o essencial da separação: o tempo é outro e a descendência da espécie carece de adaptação aos novos tempos.
Godinho de Matos conhece os truques todos, a podridão completa e a desgraça em que este país se transformou. Podia contá-la em livro ou a quem de direito que ele sabe muito bem quem seja e faria um serviço ao país, não traindo ninguém a não ser a Mentira com que colaborou dezenas de anos.

Espero que não morra sem o fazer porque seria o maior serviço que poderia prestar ao nosso país e a sua completa redenção.

Entretanto aqui ficam mais páginas do artigo insípido e medroso.



Em complemente mais outro exemplo do funcionamento do sistema apontado, do CM de hoje: o embaixador Seixas Santos agraciado com várias comendas honoríficas e de renda certa em prol da sua actividade pro bono. Miserável! E andamos nós por aqui a falar em corrupção...




5 comentários:

José Luís disse...

Li hoje de manhã este artigo e não queria acreditar!!! Estes súcias são todos iguais.
E estava certo de que o José iriia publicitar este artigo para que, quem não lê o CM, tomasse conhecimento deste despautério !!

Manuel disse...

O seixo da costa está demasiado rolado pois é conhecedor das melhores marés.

Floribundus disse...

o carvalho por parte do pai
lembra-me um figura de cartas de jogar da minha longínqua juventude
'o diabrete'

José Domingos disse...

Muito parda, esta figura.É dono de um armário com muitos esqueletos, que foi guardando ao longo do tempo.
Na minha terra, diz-se,que sabe de muitos rabos de palha, não se distrai e parece-me que não é amigo de ninguém.
Poderá, eventualmente, ter ligações a ...........

osátiro disse...

Curioso
Esse tal Nuno ramos de almeida que teve a distinta lata de dizer em tempos..
"tive a sorte de nascer na Checoslováquia".....
ou seja, nasceu num país comunista naqueles berços de ouro reservados aos comunas exilados (covardemente fugidos..), com vidas de luxo capitalistas.......teve sorte pronto
e agora labe botas das elites corruptas, xuxialista/capitalistas "deste país"...................

O TCIC é para acabar...