domingo, 15 de março de 2009

A direita pacóvia e a esquerda inteligente

No Público de hoje, Domingos Lopes do BE, candidato à Câmara do Porto, depois de se referir à sua candidatura como sendo contra a "direita pacóvia", diz assim:

"Se for eleito, como vou ser, lutarei pelo Porto. Se não for, lutarei pelo Porto." Inteligente e esperto, este Lopes.

O Primeiro-Ministro, nos rádios e em reacção à manifestação de ontem, reunindo perto de 200 mil pessoas:

" Os números não são argumentos. Há quatro anos que me chamam mentiroso".

Esta frase impecável, acompanhada de outras ainda mais, tem passado durante a manhã, nos rádios. O número de 200 mil pessoas a manifestarem-se contra o Governo, não são argumento. Não interessam ao PM. O que lhe interessam, putativamente, são argumentos. Os factos que se lixem.
E quanto ao facto de lhe chamarem mentiroso, o argumento é o de que pouco ou nada lhe interessa.

E tem razão: a falta de vergonha é um facto, não um argumento. E como diz o povo, contra factos...não há argumentos.

3 comentários:

Anónimo disse...

Não estou certo que o nosso PM esteja no seu pleno, e não é uma questão de insulto. Se está, não parece, ou então é um grande actor.

Miguel M. Ferreira disse...

É realmente triste a vida politica andar pelas ruas da amargura...mais triste é o baixo nivel de governo e oposição. NÃO HÁ ALTERNATIVA.

Correndo o risco de plagiar Medina Carreira, mais vale fazer as malas e mudar de sitio....

Colmeal disse...

Realmente é uma expressão que o deve deixar indignado ... talvez prefira que se afirme que o primeiro-ministro (por enquanto) deste País é um indivíduo com grande propensão para faltar à verdade e que produz muitas afirmações que depois se verifica que não são verdadeiras - isto para mim é um indivíduo MENTIROSO, para ele e grande parte dos políticos que por aí abundam, é um modo de vida.
Pontos de vista é o que é ...

Finito, Fernando Esteves