sexta-feira, 13 de março de 2009

Os desorientados

O animador da causa vai para o PE. Mas antes disso, escreve furiosamente em nome das causas políticas e arranja sempre as ideias mais adequadas. Como esta:

O principal problema do PSD é a total desorientação política e ideológica.

Como quem diz: o PS é um partido totalmente orientado politica e ideologicamente. Pacificado e de uma profunda coerência política e ideológica.

A prova começa logo nas medidas de esquerda deste governo do PS, tipicamente: a ajuda indesmentível aos banqueiros; a política económica amplamente aplaudida pelos partidos da Esquerda, como o PCP. Acaba depois em figuras tão notórias como Manuel Alegre , Ana Gomes e o próprio animador da causa.

No PS, a Esquerda é de rigor! Pela mão do líder que escolhe os nomes para os lugares certos. Por exemplo, o Parlamento Europeu.

4 comentários:

Tino disse...

Estes mestres da juspsicologia também precisam de uma bússola ou GPS...

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=1169363

Jorge Oliveira disse...

O animador da Causa acerta numa e falha noutra.

Acerta na primeira. De facto, o PSD encontra-se numa total desorientação política. Porque Manuela Ferreira Leite não tem percepção do mundo para além da contabilidade e finanças. É muito pouco. Se o mundo, hoje, está em crise por causa das finanças, o funcionamento do mundo suporta-se na ciência e tecnologia. Não é preciso ser cientista nem inventor para definir uma orientação política, mas não se consegue definir uma orientação política sem ter um pingo de sensibilidade científica e tecnológica.

Falha na segunda No PSD não existe desorientação ideológica. Porque o PSD não tem ideologia. Felizmente! As ideologias já mataram mais gente do que todas as epidemias juntas.

josé disse...

A senhora Ferreira leite é uma líder á imagem de um Pacheco Pereira: sabe pouco de tudo, quase nada do essencial, mas tem uma ideia: a autoridade resolve a maior parte dos problemas.

Tem um bónus, no entanto, relativamente a estes desgraçados que nos governam: não quer desperdiçar dinheiro em fantasias.

Não querer, no entanto, não significa que não o venha a fazer...

Tino disse...

Aprendam como se elabora um Tratado de Direito Educativo, e por um módico preço:

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1369252&idCanal=58