terça-feira, 4 de dezembro de 2012

As rosas negras de Soares

As pessoas andam um pouco confusas na memória do tempo que passa.  Mário Soares foi agredido ( ao de leve e apenas uns cachaços sem importância alguma em termos físicos...) na Marinha Grande, em...1986. Já não era primeiro-ministro e apenas candidato presidencial.  As agressões a Soares foram como rosas negras: muito raras e sem importância por aí além. De resto serviram-lhe às mil maravilhas para armar em vítima e disso tirar dividendos políticos.

aqui um relato interessante e pessoal sobre o acontecimento.
De resto, os jornais escreveram já sobre o assunto, como o i em 4 de Maio de 2009. E lembra outra agressão verbal, em Barcelos, já posteriormente.

Durante as eleições presidenciais de 1986, Mário Soares deslocou-se Ó Marinha Grande numa acção de campanha, acabando por ser agredido por manifestantes no local. As imagens dos acontecimentos correram o país e este dia 15 de Janeiro acabou por ser um momento de viragem nas eleições. Mário Soares começou apenas com 8% dos votos e ele próprio admitiu que, "a partir daí, a campanha nunca mais deixou de subir." Na primeira volta teve 25% e acabou por derrotar Freitas do Amaral na segunda volta. 
 Em 2005 voltaria a ser vítima de um acontecimento similar em Barcelos, quando um homem o agrediu e o chamou de "vigarista" devido ao seu papel na descolonização. Soares perdeu as eleições. 

Quanto a agressões verbais, Mário Soares foi insultado em Coimbra, já num remoto tempo em que era primeiro-ministro. Quem contou o episódio foi...Marinho e Pinto, o actual bastonário da Ordem dos Advogados, então jornalista do Expresso e de um jornal do Centro no qual lhe fez um retrato "à maneira", já aqui contado:

 "Em Coimbra, onde veio uma vez como primeiro-ministro, foi confrontado com uma manifestação de trabalhadores com salários em atraso. Soares não gostou do que ouviu (chamaram-lhe o que Soares tem chamado aos governantes angolanos) e alguns trabalhadores foram presos por polícias zelosos. Mas, como não apresentou queixa (o tipo de crime em causa exigia a apresentação de queixa), o juiz não teve outro remédio senão libertar os detidos no próprio dia. Soares não gostou e insultou publicamente esse magistrado, o qual ainda apresentou queixa ao Conselho Superior da Magistratura contra Mário Soares, mas sua excelência não foi incomodado.
Na sequência, foi modificado o Código Penal, o que constituiu a primeira alteração de que foi alvo por exigência dos interesses pessoais de figuras políticas.
Soares é arrogante, pesporrento e malcriado.
" - Marinho e Pinto que actualmente se dá muito bem com  o antigo presidente da República. A memória das pessoas é muito curta, como dizia o outro...

3 comentários:

Floribundus disse...

nunca tive a mínima consideração pelo boxexas. já pensei em oferecer-lhe um soutien para segurar as ditas cujas.

se fosse mal mal educado chamar-lhe.ia todos os palaVRÕES que terminam em ão e outros igualmente apropriados

a propósito dos que insistem diariamente com o fim da austeridade
recordo o ditado
'as cadelas apressadas parem os filhos cegos'

Floribundus disse...

para descontrair uma quadra de pé quebrado de Coimbra no inicio dos anos 50

'fui ao palácio de Nero,
vi as pernas às beldades;
vi a camisa a Petrónio
só não fui ao Quo vadis'

Silva disse...

-" Soares é arrogante, pesporrento e malcriado " e mais alguma coisa mais !