quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Não apaguem da memória!


O governante José Sócrates, actualmente fugido em Paris a estudar não se sabe bem o quê,  deixou este rasto de brilho intenso na sua governação, segundo uma mensagem de correio electrónico recebida:

- Dívida Pública aumentou 90.000 milhões de euros entre 2005 e 2010.

- Nacionalizou o BPN, com o contribuinte a pagar, aumentando o seu buraco em 4.300 milhões em 2 anos, e fornecendo ainda mais 4.000 milhões em avales da CGD que irão provavelmente aumentar a conta final para perto de 8.000 milhões, depois de ter garantido que não nos ia custar um euro.

- Derrapagem de 695 milhões nas PPPs só em 2011.

- Aumentou custo do Campus da Justiça de 52 para 235 milhões.

- A CGD emprestou 300 milhões a um amigo do partido para comprar acções de um banco privado rival, que agora valem pouco mais que zero.

- Injectou 450 milhões no BPP para pagar salários dos administradores.

- Desbaratou 587 milhões do OE de 2011 em atrasos e erros de projecto nas SCUTs Norte.

- Desapareceram 200 milhões de euros entre a proposta e o contrato da Autoestrada do Douro Interior.

- Anulou e deixou prescrever 5.800 milhões em impostos.

- Perdeu 7.200 milhões de fundos europeus pela incapacidade do governo de programar o seu uso.

- Enterrou 360 milhões em empresas que prometeu extinguir.

- Contratou 60.000 milhões em PPPs até 2040.

- Usou Reformas para financiar a dívida de SCUTs e PPPs.

- Deu de mão beijada 14.000 milhões aos concessionários das SCUTs na última renegociação.

- Deixou agravar o passivo da Estradas de Portugal em 400 milhões em 2009.

- Deu 270 milhões às Fundações em apenas dois anos.

- Pagou à EDP, em rendas excessivas, 3.900 milhões tirados à força da vossa factura da electricidade.

- Deixou os sindicatos afundar as EPs em 30.000 milhões de passivo para os camaradas sindicalizados com salários chorudos e mordomias, pagos pelo contribuinte.

- Aprovou um TGV que já nos custou 300 milhões só em papelada, e vai custar outro tanto em indemnizações

- Mais todos os milhões enterrados no Aeroporto fantasma de Beja, totalmente inoperacional, inaugurado à pressa antes das eleições para fechar logo de seguida.


Depois disto a pergunta que se impõe, é esta:

Este indivíduo vai safar-se assim, sem mais?

2 comentários:

Floribundus disse...

o sôzé fugitivo deixou no rectângulo uma imensa récua de asnos que o irão proteger e sustentar porque irão sempre recear a possibilidade de o dito cujo 'por a boca no trombone'.

ainda um dia o irão receber em triunfo ao aeroporto de Bêja

Vivendi disse...

O maior atestado de burrice de um povo e das suas elites foi ter permitido a governação a bel prazer de Sócrates ao estilo 3º mundista. Os pacóvios gostaram das grandes obras agora incham.

A Amazónia há trinta anos