terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Síndrome vale e azevedo

Sol:
O alegado especialista da ONU Artur Baptista da Silva, que foi denunciado como impostor por vários órgãos de comunicação social, queixou-se de ser vítima de um “julgamento sumário”, em que lhe foi aplicada a pena de “linchamento de carácter”.
Artur Baptista da Silva, num sms enviado à agência Lusa, a partir do seu telemóvel, lamentou ter passado o Natal “no pelourinho da praça pública”, num "julgamento sumário, seguido de aplicação imediata da pena de linchamento de carácter”.


Há mais gente em Portugal, com notoriedade, que sofre deste mesmo síndrome: apesar de carregados de justo opróbrio, pelo que fizeram a outros,  nem dão por isso e continuam a comportar-se como se ainda fossem vítimas de uma injustiça para com as suas excelsas personalidades.
Há um exemplo ainda mais notório que este pobre Artur. Anda por aí, fugido a responsabilidades.

7 comentários:

Karocha disse...

Pois!!!

Maria disse...

Este Artur Baptista está protegido. Estranhamente ou não, ele sempre se moveu nas altas esferas. Li num outro Blog que ele jantou há tempos com a Maria Barroso e mais não sei quem importante.
Ora aqui está como por muito burlão que o homem seja tem as costas bem quentes. Pois se, segundo as notícias, já em tempos havia praticado traficâncias de vária ordem, corrupção activa e mais não sei quantas malfeitorias e, por isso mesmo, até já tinha estado preso, não venham dizer que quem convidou o homem para jantares no G.L., para conferências e debates políticos/económicos, entrevistas em jornais, rádios e programas de televisão, em todas elas apresentado como um renomado 'economista', ex-consultor (ou coisa parecida) da ONU e ex-detentor de mais uns poucos cargos de excepção, não sabia de que massa ele era feito!?
Por amor de Deus! De histórias mirabolantes como as que este trafulha protagonizou, está o país cheio e todas desempenhadas por personagens conhecidas da sociedade e por políticos de todos os quadrantes. Este foi só a excepção que fugiu à regra. Um não político com as mesmas práticas ultra corruptas e, não por acaso, íntimo dos políticos mais embusteiros deste infeliz país.


Ainda um dia, não muito distante no tempo, protegido que está e naturalmente à espera da paga pelos favores prestados a gente poderosa do sistema e mais burlona do que ele próprio, depois de uns tempos recuado para um qualquer lugar recôndito, voltará com o registo criminal limpinho e em beleza, para ocupar um lugar de topo num organismo do Estado ou, quem sabe, no próprio partido socialista. Ou não tivesse ele almoçado com a mulher do político mais corrupto e criminoso (por interpostas pessoas) que Portugal jamais conheceu. E este (aparente) simples facto indicia muito mais do que se possa pensar.

aragonez disse...

Deu-me muito mais gozo a "burla" deste artista de regime, do que aquela que vitimou o Mensurado que Deus tenha em Sua glória.
É que esta convinha à dialética da Intoxicação Social que temos.
Ajudava à missa...
E esteve bem: aves da mesma pena agrupam-se, mas mesmo assim algumas aves servem-se melhor que outras quando dançam com os vampiros nos pinhais que pagamos.

Floribundus disse...

estive fora em casa da escassa família
também cansada de ver e ouvir aldrabões que passam por ex-PM, ex-PR, ex e actuais políticos, joralistazecos com público convocado expressamente para o indecoroso espectáculo diário, de preferência com lacinho que não tem culpa de quem o compra

'enquanto houver um aldrabão, a revolução socialista continua'

Fernando João Fernandes Oliveira Martins disse...

Brilhante post - só devia ter outro título: "Síndrome josé sócrates"...

José Domingos disse...

Este povo miserável, já está habituado a mentirosos. A começar no durão, que foi para Bruxelas, como moço de recados, o pm do pantano, o monsieur pinto de suza, além de mentiroso é um bom coveiro, e agora este,que faz lembrar o anterior, a dizer que a crise já passou, embora esse tal de artur, não tivesse dito nada, que os tudólogos cá do burgo, não tivessem já dito.
Curioso estou com a nova diáspora, engendrada, por outro coveiro, que vão tentar vender, um produto Portugal), considerado o segundo mais corrupto da união europeia.
Estou para ver.

Karocha disse...

E pelos vistos, qualquer borra-botas pode ser membro do grémio literário!!!

A viagem da Apolo 11 nos media