quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

artures baptistas da silva

 Daqui:

«A verdade é que o défice, sendo inferior a 5%, face às previsões que eu própria disse aqui, que estava à espera de um défice real de 6%, sabe-se agora que se ficará pelos 5%...»
Constança Cunha e Sá, TVI 24

«Eu, que escrevi várias vezes que seria quase impossível que Portugal regressasse aos mercados em 2013, reconheço sem qualquer problema que com estas regras Portugal está em condições de o fazer. Mais relevante, a estratégia negocial de Vítor Gaspar foi a correcta, sobretudo nos prazos em que jogou as suas cartas.»
Ricardo Costa, Expresso on line

Como já escrevi várias vezes, este Costa apresenta-se como um cretino. E como tal, admite sempre sem qualquer rebuço que as cretinices que avança de mangas arregaçadas foram brincadeiras para passar o tempo.
Mas que autoridade é que disse ao indivíduo que "seria quase impossível que Portugal regressasse aos mercados em 2013"?  Sim, quem? Um deles foi o inenarrável Artur Baptista da Silva, de quem o indivíduo bebia as palavras em tom barítono. Quem é este Costa e que formação tem para se armar em sabe tudo tipo compadre do banqueiro e outros? Porque é que estes cretinos não fazem uma cura de desintoxicação jornalística? Porque é que não se retiram para cuidar de hortênsias?
Com a quantidade de barretes que aquele já enfiou, quase sempre até aos pés, nem sei se as hortênsias o respeitam...
Porque carga de água é que este indivíduo faz estas figuras ridículas e não tira as devidas ilações?

A Constança Cunha e Sá não é tanto assim, mas escusava de fazer figura.

Custa muito dizer "não sei"? É assim tão custoso dizer que não se percebe de uma disciplina que quase ninguém percebe e os que percebem enganam-se muitas vezes? Porque é que não se apresentam os factos e as opiniões detalhando-as e apresentando as várias versões ou verdades particulares? Que saber tem estes jornalistas cujo curso é de tudologia acelerada tirado em universidades piores que as do Relvas? Porque é que não são humildes e em vez de andar por aí a bitaitar disparates ou a ouvir palermas, não dizem simplesmente às pessoas: não sei e quem sabe diz isto e isto. Mas por mim, fico na reserva e apenas apresento as ideias de quem julga saber. E que no fim de contas é capaz de saber tanto como nós...

17 comentários:

Vivendi disse...

Quem é este Costa e que formação tem para se armar em sabe tudo tipo compadre do banqueiro e outros?

É o irmão do outro Costa. Há mouro na Costa.

JC disse...

É impressão minha ou nota-se uma certa desorientação nos jornalistas e nas "forças democráticas de esquerda" com este sucesso no regresso de Portugal aos mercados e no défice atingido em 2012, inferior ao que era exigido pela Troika?

Floriano Mongo disse...

«««Eu, que escrevi várias vezes que seria quase impossível que Portugal regressasse aos mercados em 2013, reconheço sem qualquer problema que com estas regras Portugal está em condições de o fazer. Mais relevante, a estratégia negocial de Vítor Gaspar foi a correcta, sobretudo nos prazos em que jogou as suas cartas.»»»»




Ricardo Costa, bitaiteiro chefe do Expresso, afirmando que apesar deste engano, de economia e de todos os assuntos em geral ele entende, deixando no ar que se errou na previsão do regresso aos mercados foi por culpa do Artur Baptista da Silva.

AL disse...

Constança, a estérica; Ana Lourenço, a cuspideira de ódios; o homem do laço- Nicolau Santos; josé Alberto de Carvalho + Judite de Sousa, com a mente vendida, são bem representativos de um certo jornalismo partidário que, mais do que informar pretende formar as mentes. Sem foguetes, porque a vida vai ser difícil, ainda bem que o Povo sabe e percebe o que é jornalismo tendencioso e falso.

JC disse...

"Estérica"?

Floriano Mongo disse...

NEURÓNIO SOLITÁRIO

«««A verdade é que o défice, sendo inferior a 5%, face às previsões que eu própria disse aqui, que estava à espera de um défice real de 6%, sabe-se agora que se ficará pelos 5%...»»»»



Constança Cunha e Sá,o neurónio solitário da TVI, afirmando que de previsões económicas ela entende,reforçando a suspeita que no futuro o método infalível para não errar é anunciar exactamente o contrário do que pensa.

Capitalista Facista disse...

Nao fosse os estivadores, teria ficado perto dos 4% !

Mentat disse...

"A Constança Cunha e Sá não é tanto assim, mas escusava de fazer figura."

Caro José

Permita-me discordar.
O Costa irrita-me mas ainda o ouço.
A Constança agonia-me...

Eu sou de Lisboa (mas não de gema) e já vi e ouvi peixeiras do mercado da ribeira com um falar mais "delicado"...
.

hajapachorra disse...

Ah, mas o melhor de todos é o Prof. Garamba, esse, o gato com guizo.

Apache disse...

Telegraficamente, dada a hora:
Sim, os artures baptistas enganaram-se (todos), Portugal voltou “aos mercados” e colocou 2,5 mil milhões “sindicados”, a 5 anos, a juro próximo dos 5%, com procura cerca de 4 vezes superior à oferta. Constatou-se o que já sabíamos (sejamos artures baptistas ou não), que as previsões económicas são idênticas às meteorológicas: prever as próximas horas não é difícil, acertar no que vai acontecer daqui a uma semana é que é um “bico-de-obra”, normalmente só por sorte, ambos os sistemas são caóticos.
Voltar “aos mercados” é bom porque marca “o fim” da dependência da troika ou mau porque estes juros são mais altos que os da troika?
Voltar “aos mercados” é bom porque nos podemos financiar ou mau porque aumenta a nossa dívida pública?
Porquê esta euforia (não me refiro ao autor do texto) no regresso “aos mercados”? Nos tempos que correm, 5% não é um juro demasiado alto para as nossas carteiras?
Porquê esta euforia (não me refiro ao autor do texto) no regresso “aos mercados”? Quando foi a última vez que lá estivemos? Há dois meses [http://www.publico.pt/economia/noticia/portugal-vende-2-mil-milhoes-de-euros-de-divida-a-juros-mais-altos-1573376] ou menos, que a hora não é propícia a “navegações”?
Qual é dificuldade em ir “aos mercados” se de há oito meses para cá temos fiador (o BCE)?

Capitalista Facista disse...

O facto de Portugal ir aos mercados nao significa obrigatoriamente que a Divida Publica aumente. Parte serve para pagar Divida anterior que chegou ao seu termo. Como esta que acabou de ser emitida, que por daqui a 5 anos tem que ser novamente refinanciada, a juros mais altos ou mais baixos. Por ultimo, a dificuldade de ir aos mercados prende-se com o facto de ter que haver compradores interessados. E esses foram na sua maioria de origem dos US e UK, nao o BCE.

josé disse...

"As previsões económicas são idênticas às meteorológicas: prever as próximas horas não é difícil, acertar no que vai acontecer daqui a uma semana é que é um “bico-de-obra”, normalmente só por sorte, ambos os sistemas são caóticos."

É por isso que a humildade em dizer "não sei" é de rigor, excepto para aqueles que vivem da confiança da proclamação, ou seja, os negociantes.
Percebo que um governante tenha sempre um discurso a puxar para o positivo, nesta matéria, e percebo que a oposição tenha o discurso oposto. O que não percebo é que os jornalistas alinhem sistematicamente por um dos lados, normalmente e neste caso pelo lado da oposição.

Cretinos é o nome apropriado.

Kaiser Soze disse...

José, não sei se teve a oportunidade de ver uma reportagem ontem (julgo que na RTP) onde foi revelado, pasme-se, que os portugueses que andam na rua não entendem o que são os "mercados" e a "importância do regresso aos mercados".

No seguimento do seu post, quase posso jurar que o resultado seria o mesmo se a pergunta fosse colocada no estúdio.

josé disse...

Aconselho toda a gente a ler o artigo de TOm Wolfe na Newsweek online (única disponível actualmente) e que explica bem o que são os tais mercados.

Mas que jornalistas é que vão ler uma coisa dessas quando têm vários artures baptistas da silva que lhes explicam e vários louçãs que o endrominam com casca e tudo?

Capitalista Facista disse...

RTP ?!! Esses quando apresentam o numero da nossa Divida Publica, faltam sempre 3 zeros. Nao é por isso surpresa quanda as pessoas da rua comparam a parte do emprestimo vindo da Filandia com latas de sardinha.

Apache disse...

“O facto de Portugal ir aos mercados não significa obrigatoriamente que a Divida Publica aumente.” [Capitalista Fascista]
Não significa que aumente na totalidade do valor dos títulos de dívida emitidos mas aumentar um pouco é quase inevitável pois, mesmo que se conseguisse que esta “nova” dívida tivesse juros mais baixos que a que agora vence, a diferença de taxas dificilmente compensaria as comissões bancárias e o custo da operação (relativamente alto uma vez que se tratou de acto sindicado).

“Por último, a dificuldade de ir aos mercados prende-se com o facto de ter que haver compradores interessados.” [Capitalista Fascista]
O Governo também achava que isso era uma dificuldade daí ter optado por sindicar o acto para garantir interessados. Comprovou-se que esse risco era baixo (a oferta foi 4 vezes superior à procura) porque o risco para os investidores também era baixo.

“E esses foram na sua maioria de origem dos US e UK, não o BCE.” [Capitalista Fascista]
Não disse que o BCE comprou dívida. Disse que já lá vão 8 meses desde que o BCE tomou a decisão (correcta na minha perspectiva de não especialista em economia) de ser “fiador” destas operações.

“É por isso que a humildade em dizer "não sei" é de rigor, excepto para aqueles que vivem da confiança da proclamação, ou seja, os negociantes.
Percebo que um governante tenha sempre um discurso a puxar para o positivo, nesta matéria, e percebo que a oposição tenha o discurso oposto. O que não percebo é que os jornalistas alinhem sistematicamente por um dos lados, normalmente e neste caso pelo lado da oposição.
Cretinos é o nome apropriado.” [José]
Totalmente de acordo!

Capitalista Facista disse...

Nao vejo em que parte existe contradicao com o que disse anteriormente.