segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Missão cumprida

Expresso-Economia:

O ex-ministro das Obras Públicas deixou hoje a presidência da Mota-Engil, grupo que liderou num período de aprofundamento da internacionalização. Hoje o grupo está presente em 20 países, estando Angola, Moçambique e o Brasil entre os mercados mais relevantes.
Em comunicado, a construtora refere que Jorge Coelho decidiu renunciar, "por razões de ordem pessoal", às funções de presidente da comissão executiva e de vice-presidente da administração da Mota-Engil. Em sua substituição na presidência da comissão executiva foi nomeado Gonçalo Moura Martins, que está há 23 anos no grupo e que ao longo destes anos exerceu funções de liderança executiva e de alta direcção em todos os segmentos de negócio da Mota-Engil.

Se as tais razões pessoais não forem de saúde, a conclusão a tirar é apenas uma: acabou o papel de Jorge Coelho na empresa. Deixou de ser importante. O país está na ruína económica e o indivíduo foi um elemento chave para a empresa assegurar um futuro risonho. Cumpriu a sua missão e vai à vidinha. É compadre de Dias Loureiro...e tal como este não há inquérito que lhes chegue. São demasiado espertos para serem corruptos em modo criminal. "Ambos os dois" são o mais perfeito exemplo de que a ética é simétrica da legalidade estrita. E se a lei não ajuda, muda-se a lei.

O que os sociólogos do ISCTE deveriam estudar era este tipo de espécie de portuga, mas creio que a matéria é mais do âmbito da literatura. Desgraçadamente, o escritor Lobo Antunes não está para aí virado porque se estivesse...ai se estivesse...sairia obra prima melhor que as do Eça.

4 comentários:

Vivendi disse...

Será que ainda vai a tempo de umas férias no copacabana?

Floribundus disse...

as auto-estradas parecem um deserto.
não dá para ver a luz ao fundo do tunel do Marão.

no iscte preocupam-se tanto com o socialismo que cheguei a pensar que funcionava no largo dos ratos.

o Lobo está mais virado para 'os cus de Judas'.
à solta e às 'escancaras' andam por aí alcateias e Judas que nos enforcam.

os coelhos andam com mixomatose ou
'mudam-se os tempos, mudam-se ... os coelhos'

Joaquim Pereira disse...

Isto é uma vidinha! O Coelho agora não tem acesso ao Estado, não rende e, para não parecer mal, foi-se embora, mas só até que um dia o PS volte à glória e, claro, ainda ele seja alguém no PS!

Kaiser Soze disse...

Não sei se é das coisas que actualmente ando a ler mas, para mim, a explicação que consta do post e dos comentários até agora não chegam.
Para mim, há mais algum lodo no cais...

Afinal, as pessoas que largam o poder (económico, político ou outro) sem serem, de alguma forma, obrigados contam-se pelos dedos de uma mão.
Ainda vai aparecer uma Parvalorem ou coisa parecida por aí...

As achas das rachas