segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

O vírus Joacine já se espalhou: o racismo é o meio...

Tal como diz André Ventura já estamos em pleno "síndrome Joacine". Ou seja, as atitudes ( ulular como os macacos contra um jogador preto)  de uns tantos energúmenos que sempre existiram, transformados em causa magna a legitimar toda a luta anti-racismo, exacerbada ao limite de serem plenamente admissíveis os comentários racistas dos visados. Estão desculpados ipso facto e já nem se fazem rogados:  podem dizer o que quiserem...como aliás dizem. Os energúmenos ganham sempre e agora são outros a fazerem o respectivo papel.

Esta é a nova causa, depois da violência doméstica contra o juiz Neto de Moura e outros. O Observador já se encarregou da bandeira...




O presidente quando se lembrar de condecorar o agora retirado Arménio Carlos, um comunista ortodoxo, do tempo fossilizado do estalinismo, devia recordar isto, que aliás está na ordem do dia: irá condecorar um "racista" segundo os critérios de normalidade actuais...e não mais um energúmeno, como aqui foi este Arménio.


Sem comentários:

Mais do mesmo de há 48 anos.