sexta-feira, 11 de setembro de 2020

A Banca da parlapatice

Há dias comprei este livro, para consultar de vez em quando porque tem muitas páginas para ler e não é especialidade que seja muito atraente.


Achei curiosa esta parte do sumário:


Folheando as pouco mais de meia dúzia de páginas sobre a história da "Banca" lemos isto:






Hoje no O Diabo aparece este artigo do Professor Soares Martinez, que percebe do assunto, e que retrata assim o que sucedeu aos bancos portugueses no mesmo período histórico: o reino da parlapatice, como dizia Champalimaud.


Quem era o maior parlapatão de tal reino? Mário Soares...


O que deu a parlapatice a Portugal? Bancarrotas. Continua a dar.

O contrário da parlapatice é isto que aqui vem enunciado, no O Diabo de hoje:


Sem comentários: