terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O malhadinhas

A notícia é do Correio da Manhã de hoje e já nem escandaliza assim tanto, porque o abuso do erário público parece que era norma no governo de José Sócrates.
Até um malhador da direita se tornou um malhadinhas a crédito.
Esta pouca-vergonha parece não ter limites. E parece que não há ninguém para investigar isto.

26 comentários:

zazie disse...

Isto é uma vergonha. E dizem-se estes tipos de esquerda, defensores dos pobrezinhos.

rita disse...

E tb parece que a ninguém serão pedidas contas... Isto é uma pouca vergonha!!!

Mani Pulite disse...

Estão todos a dançar a Kizomba!

Anónimo disse...

Se a lei e o catálogo de crimes são bons como disse há dias o nosso querido PGR, então o problema está nas pessoas. Mais precisamente, nas pessoas que fazem de conta que não vêem o que se está a passar. Deve ser um problema oftalmológico.

JC disse...

Todos fazem de conta que nada vêem.
É uma vergonha.
Porque é que o DIAP de Lisboa não pega nesta noticia do CM e não abre de imediato uma investigação?

E registo também que o CM foi o único jornal a pegar no assunto.
Os outros caladinhos que nem ratos.
E das televisões nem vale a pena falar.
Ou será que me escapou alguma coisa, o que até é bem possível?

Karocha disse...

Vergonha e a justiça não funciona !

Floribundus disse...

malhou tanto nos contribuintes que até a minha carteira está cheia de equimoses

hajapachorra disse...

Já sabemos qual era o plafond, agora mais importante era sabermos quanto cada caramelo gastou. E se foi em caramelos ou caramelas. Esses 'jornalistas' ficams-e sempre pela metade fácil. Interessa-me saber quanto é que o inútil perestrelo gastou dos nossos impostos. Outra coisa é impedir definitivmente estas prebendas e rendas. Nem é por nada, só para não habituar mal estes marmanjolas que mal saem de adjuntos e secretários querem conselhos de administração para manter o trem de vida ou emigrar para Putécia.

Carlos disse...

É a nova classe de "governantes". Os homens de estado, foram substituidos pelos ladrões do estado. Sejam a coberto das rotulagens de esquerda, direita, liberais, etc., etc..
O dinheiro e o abuso na sua apropriação, não tem ideologia. Ladrões serão sempre ladrões.

zazie disse...

Não terá ideologia mas é muito estranho que quem mais rouba e saca é quem mais critica o nepotismo da perigosa "direita capitalista".

zazie disse...

A famosa "superioridade moral da esquerda" dá-lhe para isto.

Para ter impunidade no saque.

Carlos disse...

"O pior cego é aquele que não quer vêr". E, para além d'estes, também os há do tipo "Penafiel"(só vêem para um lado).

zazie disse...

É, vêem para aquele de onde cagam sentença.

O truque de protecção da escardalhada é sempre o mesmo:

«ah, pois e tal e coisa, mas isso são todos, é por srem políticos qeu ficam assim. A teoria é uma boa teoria, só se estraga é com a prática.

Mas, o estrago é até menor que o estrago dos outros porque os outros nem boa teoria têm».

ahahahahaha

zazie disse...

Se há coisa que encanita é andar-se a vender o peixe à conta de uma mentira que só se sustenta por classificarem os outros de "Direita" e se dizerem eles mesmos de "Esquerda".

Porque, isto serve sermpre para vender a peninha com os pobrezinhos e a preocupação social, e o anti-capitalismo desumano e mais não sei quantos.

E com a patranha que é com esta conversa que existe progresso e mais riqueza para todos.

Tenho pó a esta hipocrisia escardalha.

E eles é que as pedem. Se não andassem nesta rábula não se lhes cobrava mais.

Mas, se não andassem com esta rábula nãoi existiam. Não havia causa a vender.

Miguel M. Ferreira disse...

Até se saber quais foram os gastos efectivos do cartão de crédito não se pode malhar no "malhadinhas"...

josé disse...

Os gastos efectivos sabem-se através de documentos comprovativos, nomeadamente facturas.

Parece que não existem...

josé disse...

Evidentemente também se saberão- e ainda melhor- através da análise dos movimentos do cartão.

E como os titulares não eram propriamente entidades privadas embora achassem que sim, será possível ao MºPº, se houver inquérito, pedir extracto bancário do movimento de tais cartões.

E aí é que seria o bom e o bonito...

hajapachorra disse...

Pois é isso, extractos, que é preciso pôr cá fora. Tanto jornalista mal empregado e não um que estampe essas continhas?! Do MP népias, que a dona Cândida e a dona Morgado têm outras coisa com que se entreter e o beirão só quer chegar à reformazinha e não ser despedido antes do tempo.

Miguel M. Ferreira disse...

Não se sabendo os gastos efectivos, conhece-se a posição de princípio do "malhadinhas" (aliás expressa no último parágrafo da noticia:"Como o plafond não diz nada em relação ao uso do cartão, autorizo o Ministério a divulgar".

Para bom entendedor isto basta. O tipo, muito provavelmente, andou a gastar "à grande e à francesa"...

Karocha disse...

José
Explique ao hajapachorra que os jornalistas não o podem fazer, levantamento de sigilo bancário só o M.P!!!

hajapachorra disse...

Não, essa frase significa o contrário, que o Augusto nem teme nem deve. E acredito. Já o inútil perestrelo e outros desse nível nunca diriam tal coisa. O Augusto pode ser detestável, mas não do género socretino que não tem onde cair morto.

hajapachorra disse...

Os extractos estão nos ministérios e aí há muito gente que os pode passar, embora não deva, mas isso, é verdade, só com outros figurantes, pois estes figurões têm protecção da ordem jornalistas. E, minha senhora, quando quiser explicar 'algo' não se reprima nem apoquente quem sabe: farei um esforço para entender.

josé disse...

Sigilo bancário?

Quem é o titular da conta sobre a qual os cartões foram descontados?

O Estado. Logo, este governo que no caso representa o Estado pode, a meu ver, levantar tal sigilo.

Karocha disse...

Tem toda a razão José, o estado.
A mim fizeram-me um levantamento de sigilo bancário, não me esqueço mais Luísa quitela procurou me pelo pais todo, banco 7, quando todos sabiam que eu morava no Gemini e, e foi o Dr. José António Barreiros que resolveu o assunto!

bruno disse...

Trabalhei numa empresa multinacional americana que nem o presidente corporativo ( o mais alto nivel ) tinha cartão de crédito da empresa. Estes canalhas do governo do miserável pais Portugal têm direito de pernada sobre o idiota e analfabeto capado povo portugûes. Que nojo de país.

Streetwarrior disse...

Mas qual sigilo bancário?
Então mas o estado é alguma entida Privada?
As contas dos ministérios não deveriam ser publicas? Se não o são, deveriam merda!!
mas que raio de merda é esta que são fincionários publicos com o estatudo de "Entidade privada"'
O Cidadão não pode pedir consulta destes dados? Tem que ser o M.P ?
Se assim é, Caramba...que raio de conotação que a palavra Publico passou a ter.