sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Cid, o melhor cartoonista português

O cartoon de Cid no Sol de hoje demonstra a evidência que dura há mais de 40 anos: Augusto Cid é o melhor cartoonista português, desde os tempos do Observador no início dos anos setenta. E há sinais de desenhos seus em publicidades, em jornais como o Diário Popular ou revistas como a R&T.
É pena que em Portugal os cartoonistas e desenhadores de imprensa sejam tão poucos. Em França são às dezenas e de uma qualidade impressionante. Nos EUA, há revistas ( New Yorker) que vivem graficamente dos desenhadores e cartoonistas.
O cartoon de hoje, no SOl é fabuloso porque explica num simples desenho o que se passa com "as secretas".

16 comentários:

Floribundus disse...

'CID, el Campeador'

desenhos 'del mio CID'

zazie disse...

ehehehe Grande cartoon.

hajapachorra disse...

O Cid é genial, é o César das Neves do cartoon (ver posta seguinte).

Streetwarrior disse...

eh eh eh ...granda Cartoon, sem duvida.

Carlos disse...

Não concordo com o José.
Para mim o melhor cartoonista português é o António, sem qualquer dúvida!

Mas gosto de quase todos os que conheço e nomeadamente o Cid.

Lembro ainda, quando muito jovem, que a 1ª página que via no JN era a última (Humor de Miranda)

josé disse...

Carlos:

Em termos puramente técnicos e artísticos o CId é o melhor. Obviamente nasceu com talento. O António é um jacobino que além disso não tem o talento natural para o desenho que o Cid tem.

O Cid tinha lugar como ilustrador em qualquer revista americana. O António não.

josé disse...

Mas acima deles todos está o João Abel Manta. Tecnicamente é um portento. Politicamente um comunista. Quand même.

Carlos disse...

José,

Quanto ao Abel Manta, ok! de acordo (visita obrigatória ao museu em Gouveia).

Quanto à qualidade técnica no desenho, o António, para mim, está a milhas do Cid.
Já viu caricaturas do António e do Cid?

josé disse...

Já. O António ao pé do Cid não sabe desenhar, passe o exagero.

Cid tem um estilo único e de verdadeiro artista. António é muito esforçado, melhorou com os anos mas fica a milhas da capacidade natural de Cid.

Se já viu os desenhos de Cid no Observador de 1972 sabe o que quero dizer. Já nessa altura tinha um domínio perfeito do estilo.
Cid é um artista acabado.

Carlos disse...

Não concordo com o José e penso que há até, aqui, algum preconceito relativamente ao António. Quanto a falta de cartoonistas em Portugal, também não é bem verdade. Lembro alguns a quem reconheço muito valor: Bandeira, Miranda, Luís Afonso, Vilhena, Onofre Varela, Rafael Bordalo, Abel Manta, Sam, Cid, António (que estará sempre entre os melhores), etc., etc..Poderia ainda citar alguns poucos conhecidos, mas que nada ficam a dever a muitos dos já referidos. Como por exemplo: Ferreira dos Santos, Zé dos alicates (um caso à parte), Sárria, etc., etc..

josé disse...

AO longo dos anos não houve falta de bons cartoonistas, em Portugal. Poderia acrescentar José de Lemos, do Diário Popular.

O que há falta é agora comparativamente a outros lados como a França. Mas este país também só serve de exemplo do óptimo ( que é inimigo do bom) porque é uma terra de desenhadores e onde ainda se vende muita banda desenhada( ainda tem duas ou três revistas de grande qualidade, actualmente).

O preconceito relativamente ao António baseia-se no gosto, subjectivo, claro.
O desenho do Cid é mais escorreito e original. O António tem um estilo que pode ser encontrado noutros desenhadores americanos. É o estilo de quem se esforçou para conseguir um estilo. De quem trabalhou muito para lá chegar.

O Cid é aquilo. Parece que lhe sai dos dedos.

Carlos disse...

José,

Uma opinião técnica: para mim, o desenho do António sai de um conjunto de traços livres e fluentes. Quanto ao desenho do Cid é mais um conjunto de riscos contraídos - é a minha opinião.
Quanto à mensagem, que o cartoon sempre trás, ambos têem qualidade.

josé disse...

Pois eu acho exactamente o contrário dos desenhos de cada um.

E costumo desenhar.

Carlos disse...

José,

O risco, é a minha profissão.

josé disse...

Arrisco dizer que o estilo e o gosto é com cada um.

Carlos disse...

E arrisca pela certa!