quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Quem mandava na Independente...

O Correio da Manhã mostra hoje com a quinta transcrição de escutas entre José Sócrates e Luís Arouca quem verdadeiramente mandava na universidade. E depois de isto se saber, tudo continua como dantes. Os restantes media estão ausentes..."isso agora não interessa nada, pá!"

20 comentários:

Floribundus disse...

o gajo que desgraçou os contribuintes era dono da independente e do rectângulo.
este sebastião também vai voltar numa 'manhã de nevoeiro' com mais um canudo na mala.

por 'aqui se vê a força' do socialismo

ditadura do 'politicamente correcto'

Mani Pulite disse...

Isto já é demasiada areia para o burro do Monteiro carregar.Um dia destes a besta arreia e a areia entorna-se toda.

Wegie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Colmeal disse...

Mais um esqueleto deixado no armário por este artista e pela Milu Rodrigues :

Governo paga indemnização de 4,5 milhões à NovaBase

Carlos disse...

Isto, começa a ser obsessivo, Embora com interesse, o facto é que as supostas irregularidades do anterior governo, eventualmente até criminosas, continuam intocáveis e não se vê vontade deste governo em alterar a situção-porque será?...

Entretanto, já foram confiscados alguns dos bens dos ladrões de gravata?

Já foram revitos os contratos das PPP?

Já foi esclarecido a rentabilidade dos negócios entre amigos?

Já foi identificado o Jacinto L. C. Rêgo?

E quem meteu dinheiro ao bolso com os submarinos?

E na justiça, já afastararm alguém por conivência, ou incompetência?

Então!...onde está a diferença?

josé disse...

Carlos:

São tudo notícias velhas. E quase todas em andamento processual, excepto essa mesmo: a responsabilização criminal dos anteriores governantes por actos que lesaram o erário público em biliões de euros.

É o caso das SCUT em PPP. E outras PPP.

Os beneficiários mai-los seus advogados continuam por aí e um até está em Paris a gozar rendimentos que nem se conhecem.

Enquanto isso não for devidamente apurado temos de manter a chama da indignação acesa e não apagá-la, como parece pretender.

Carlos disse...

NÃO, caro José!

Eu, não pretentedo apagar nada. Não quero é que em contraponto se pretenda ocultar a atitude e comportamento dos actuais governantes. Em tudo igual aos anteriores.

Carlos disse...

Volto à carga:

A cobardia da OE, pelo silêncio em todo este processo, só pode ofender todos os verdadeiros engenheiros e revelar com inútil tal corporação no reconheciento do título.
Já o disse e repito as vezes que forem necessárias.

Lembro também, em repetição, que o antigo bastonário da OE, faz parte da equipa do ministério da justiça deste governo.

josé disse...

O Bastonário dos engenheiros só pode fazer o que pode fazer.

A sindicância do curso de engenharia que o dito (não) tirou não está dentro das suas competências.

A não ser que lho comuniquem depois de os factos estarem investigados. E é isso que ainda falta.

Quanto ao actual governo estou plenamente de acordo.

muja disse...

Carlos, quer-me parecer que se há aqui alguém querendo ocultar o comportamento de governantes, não é o José.

Vejamos. Em 8 meses, conseguiu perscrutar a "atitude e comportamento" dos actuais governantes, que clama serem iguais às dos anteriores.No entanto, quanto tempo demorou a chegar a essa conclusão sobre os tais anteriores?

Mais, se as atitudes são tão semelhantes, penso que o bom senso dirá que devemos tratar dos que já lesaram o estado e continuam impunes, por duas razões; a primeira sendo que uma condenação dos governantes anteriores teria possivelmente um efeito dissuasor sobre os que neste momento governam - o contrário não se aplica, obviamente; a segunda razão consiste no facto de os actuais governantes estarem cobertos pela legitimidade democrática clara e inequívoca conferida por uma maioria absoluta obtida há apenas 8 meses e, consequentemente, em não havendo indícios de comportamento criminoso, investigar-se-ia o quê?

Portanto, a mim, isso soa-me às cantigas do costume, mas diluídas num pouco de indignaçāo à la mode...

PS: A questão da licenciatura pouco ou nada tem a haver com a OE. Acho que toda a gente se está nas tintas para o título que o vigarista arvora. Eu próprio tenho formação em engenharia, e não me podia estar mais nas tintas para isso. O relevante é por que meios obteve ele a licenciatura, e se usou da influência como detentor de cargo público para a obter. E isso apenas para este caso. Faltam os outros todos.

Kaiser Soze disse...

Os Monty Python não fariam melhor, é daquelas coisas que se não fossem trágicas seriam engraçadíssimas!

O que mais me incomoda é a falta de coragem colectiva.
Não tenho dúvidas que o Governo actual tenha uma imensa vontade de sangrar o Sócrates, como acontece com a maioria dos portugueses, o que acontece é que todos temem abrir a caixa de pandora: hj o Sócrates, amanhã eles.

Carlos disse...

José:

"...não está dentro das suas competências" !!!??? como não?
Não competiria, no mínimo, revelar a não inscrição daquele sujeito na Ordem e como tal não poder usar o título? Isto, após ser público este facto, obviamente.

mujahedin:

A que governos anteriores se refere?

"efeito dissuasor" teriada, de facto, esclarecer, julgar e condenar/absolver, casos como:
-Portucale;
-Freeporte;
-Licenciatura do mentiroso;
-BPN e seus muxachos;
-BPP;
-Invstimentos com alto rendimento garantido;
-Submarinos;
-Cova da Beira;
-Operação furacão (entretanto reduziu a intensidade para ligeira brisa);
-PPP (ex-SCUT);
-Face oculta, etc, etc..

Como vê os casos por esclarecer abrangem vários governos e outro tipo de "inginharias".
Quanto à legitimidade "democrática" o "inginheiro" também a teve, ou não?

Kaiser Soze: cá está o espírito da coisa "temos de ser uns para os ouros".

Que fique claro para todos: Não defendo nem protejo nenhum(a) fdp responsável pela situação a que chegamos.

muja disse...

Eu referia-me a quaisquer governos anteriores. Mas não seria honesto se não dissesse que considero de especial relevância os dois anteriores a este. Penso que não valerá muito a pena elaborar sobre o porquê, mas posso fazê-lo, se quiser.


E. com efeito, o ex-PM teve a legitimidade democrática da maioria absoluta. Mas a invulnerabilidade à justiça prolongou-se por bem mais do a legitimidade democrática de que dispunha. Tanto, aliás, que ainda agora continua.


Diz que não defende nem protege nenhum dos responsáveis. Bom, para já, convenhamos que os responsáveis são os eleitores. Mas supondo que se refere aos governantes desonestos que actuaram em prejuízo da Nação, convém também notar que não são todos iguais. Comecemos pelos piores, portanto.

Mas agora a moda é a indignação, e o dizer "são todos iguais". O que é suspeito, porque razões para a indignação há-as já há muito tempo, mas ninguém queria saber disso, porque "ia chovendo". E dizer que são todos iguais é uma tolice porque então não andamos a fazer nada quando votamos. Para além do mais isto tende apenas a acontecer sempre que determinado grupo abandona o poder...

Carlos disse...

mujahedin:

De acordo com este último comentário.
No entanto, não faça juízos sem conhecer o histórico das minhas posições, aqui, e noutros locais de interesse.

Considero-me de esquerda (já aqui expliquei, o meu conceito de esquerda) e acérrimo defensor do regime democrático (ás vezes com mágoa)

muja disse...

Carlos,

diz V. que é "de esquerda (já aqui expliquei, o meu conceito de esquerda) e acérrimo defensor do regime democrático".


Logo aí, V. se encarrega de qualificar o seu histórico de certa forma. E abriu-me a curiosidade: qual é o seu conceito de esquerda? Em que é difere dos demais?


Quanto à democracia, eu não sou defensor acérrimo. Acho que às vezes funciona, às vezes não. Cá acho que raramente funciona, se é que alguma vez funcionou. A mim o que me dá mágoa foi o que sacrificaram para obter essa tal democracia que raramente funciona, e o que se continua a sacrificar para a manter não-funcionando...

Carlos disse...

Continuemos, pois!...

AF disse...

Caro mujahedin مجاهدين ,

"Diz que não defende nem protege nenhum dos responsáveis. Bom, para já, convenhamos que os responsáveis são os eleitores."

Lamento discordar. Os eleitores são responsáveis por escolher os seus representantes. Os ditos representantes são responsáveis pelas suas actuações enquanto tal. Daqui não me parece legítimo concluir que os responsáveis pelas actuações dos eleitos são os eleitores.

"Mas agora a moda é a indignação, e o dizer "são todos iguais". O que é suspeito, porque razões para a indignação há-as já há muito tempo, mas ninguém queria saber disso, porque "ia chovendo". E dizer que são todos iguais é uma tolice porque então não andamos a fazer nada quando votamos."

Não embarcando em modas, para o que realmente interessa, grosso modo, e salvo raríssimas excepções, são de facto todos iguais. Se calhar não são todos "iguais" como indivíduos, mas inseridos no nosso sistema partidário, acabam por resultar basicamente todos iguais. E há quem já queira saber disso há muito tempo, com chuva ou sem ela. É que de facto, no nosso sistema actual, não andamos mesmo a fazer nada quando votamos. A mudar as aparências, se tanto. A refrescar, porque passado algum tempo, o verniz novo estala e a podridão vem ao de cima.

Cumprimentos

Carlos disse...

AF:

Cristalino como a água.

Sbscrevo por inteiro o seu comentário.

Karocha disse...

José

Talvez lhe interesse isto!

http://www.ionline.pt/portugal/pinto-monteiro-partida-quem-sera-proximo-pgr

Luis disse...

Dizia alguém que tinha poderes de rainha de Inglaterra.
Pelo contrário, o que tem é poderes do Rei-Sol, autêntico absolutista que consegue impor que se não investigue quem ele não quer.
Veja-se este caso e outros, como o do processo-queijo. Mais uma vez, sempre com a mesma personagem da politica.