Páginas

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Decisão histórica! Robalos mais caros que atum rabilho...apre!

 Observador:

O Tribunal da Relação do Porto negou o recurso e mantém a pena de cinco anos de prisão efectiva a Armando Vara, no âmbito da condenação no caso Face Oculta, de acordo um acórdão divulgado esta quarta-feira. A partir deste recurso, Vara só pode voltar a recorrer fundamentado em matéria de direito e não de facto. O advogado do ex-dirigente do PS já anunciou que irá recorrer para o Tribunal Constitucional.

Acabou o forrobodó?  

12 comentários:

netus disse...

Caro José.
Muito boa noite.
Regozijo-me com esta decisão. É um sinal de esperança.
Mas, fim do forrobodó............era bom.
A par desta importante decisão temos arquivamentos e arquivamentos.......
António Cabral

José Domingos disse...

Ainda é cedo para fazer a festa, os aventais, podem deixar cair um para safar outro, mais importante.
O pessoal do avental não descansa, Portugal está filado pelo pescoço, estão em todo o lado a destruir o legado dos nossos antepassados.
Vamos ver

Terry Malloy disse...

Podemos estar a assistir à Mudança.

Aguardemos.

Floribundus disse...

sabem perfeitamente para onde podem recorrer

este tribunal é politico

JC disse...

Com recurso para o Constitucional, vamos ter pelo menos mais 2/3 anos de forrobodó... e vamos lá a ver que decisão irão tomar os senhores constitucionalistas... a pressão, as influências e sabe-se lá o quê mais sobre eles vão ser tremendas...

josé disse...

Sobre a prisão, nada podem fazer.

A única coisa que poderão resolver é alguma inconstitucionalidade que inquine todo o processo.

Veremos,mas não estou certo que tal efeito seja conseguido.

O mais provável é o non liquet habitual que resulta de dizerem que não se pronunciam sobre o que não têm competência...

josé disse...

Ou seja, hoje devem ter soado todas as campainhas de alguns entalados, mormente os do marquês.

Já estão a ver com o que podem contar.

contra-baixo disse...

Alguém, como o josé, é capaz de explicar como é que neste processo foi possível, investigar, acusar, pronunciar, julgar, proferir e confirmar decisão em tempo aceitável e noutros mais parece que o que estão a fazer é a produzir um Santo ....

josé disse...

Huummm...desde a decisão do tribunal de primeira instância passaram três anos. É exemplo, isto?

E esse tempo todo foi apenas para ler prova recolhida em autos. Nada mais.

A comparação é injusta.

contra-baixo disse...

Referia-me sobretudo ao que se passou em Aveiro - investigação, julgamento e sentença.
O que já me passou pela cabeça é se não valeria a pena retirar o DCIAP de Lisboa e colocá-lo bem longe de Lisboa. Em Aveiro, por ex, la produz-se mais!
Quanto ao tempo que a Relação do Porto demorou, também nao percebo; imagino que os magistrados tenham outros processos com que se ocupem.

josé disse...

Bem, as primeiras notícias do Face Oculta apareceram em Outubro de 2009 após a eleições legislativas.

Foi aí que se soube do escândalo dos procedimentos do PGR Pinto Monteiro e do pSTJ Noronha Nascimento.

Porém, os factos já vinham de trás e nunca tinha existido violação de segredo de justiça, nem interna nem externamente.

A primeira violação gravíssima, a maior alguma vez ocorrida em Portugal num processo desta dimensão, que se saiba, ocorreu no dia 24 de Junho de 2009.

Havia suspeitos e nada se conseguiu apurar. A investigação parou à porta de alguém. E isso acho que se pode dizer para nossa grande vergonha.

Portanto, desde 2009 até à acusação demorou ainda um tempo porque o julgamento começou em Outubro de 2011.

E já estamos em 2017.

Como dizia o outro é só fazer as contas.

joserui disse...

Ainda há dias tivemos o Dias Loureiro estarrecido, acha que acabou o forrobodó? Ainda não estou convencido que o 44 vá ter o que justamente merece. Fora os outros.