Páginas

quarta-feira, 26 de abril de 2017

O comunismo racista e eugénico

Quem abrir a Wikipedia no termo "eugenia" pode ler o que é e logo a seguir a referência ao nazismo, onde se diz que veio a ser parte da ideologia da pureza racial que culminou no Holocausto.
Como exemplos de países onde se praticou de algum modo tal efeito para tornar as pessoas "melhores e mais puras" aparecem alguns países, mas não a antiga URSS.

Para colmatar tal lapso, certamente devido a ignorância atávica, apareceu agora um livro muito instrutivo, com 530 páginas  e da autoria de Simon Ings que pelo nome pode ser próximo da raça perseguida por aqueles durante o nazismo.


Simon Ings, porém, relata o que sucedeu logo a seguir à Revolução de Outubro e durou todo o tempo de Estaline, até 1953: a procura do Homem Novo através da eugenia.

A diferença com o nazismo? Os soviéticos queriam ampliar a raça humana existente, melhorá-la, cientes que havia raças inferiores e superiores e não apenas exterminar uma parte, a má, toda encostada aos judeus, ciganos e outros marginais, como pretendiam os nazis...

O resultado, porém, poderia ir dar ao mesmo, a partir do momento em que se admite a superioridade de genes em relação a outros,  atribuídos a determinadas classes de indivíduos.


2 comentários:

lusitânea disse...

Deve ser para se limparem que agora a classe operária e camponesa cientificamente orientada pelos internacionalistas só querem cá mais e mais africanidade.Depois de tudo terem entregue e que tinha preto com uma virtuosa limpeza étnica dos brancos e sem bens.Com a discriminação positiva a classe operária e camponesa vai ter capatazes escurinhos e ter a subida honra comunista de entregar a filhinha à diferença.A raça mista é o tal Homem Novo...

lusitânea disse...

Os ciganos são uns contra-revolucionários porque andam a sabotar a raça mista lá no bairro social.Casam as miúdas , entre eles,logo aos 13 anos...