sexta-feira, 24 de julho de 2020

Já Chega: há um elefante no meio da sala!

Público de hoje que não consegue disfarçar a vontade de ostracismo e censura que anima os jornalistas formados nas madrassas.

O resultado mais espectacular da sondagem publicada está à vista e é um autêntico elefante no meio da sala que essa canalha mediática ( porque ainda não cresceram intelectualmente...) se recusa a ver: o Chega passou em poucos meses de uma votação residual para uns expressivos 7%, idênticos ao do BE.

O título do jornal a comentar a sondagem é patético, para dizer o menos..porque as evidências gritam a censura que os anima e a vontade de ostracizar quem detestam. Comportamentos anti-democráticos, ensinados nas madrassas do jornalismo das escolas de comunicação pelos ai-a-tola do pensamento correcto.

No entanto, a Catarina Martins, o Louçã e outros bloquistas encartados nos media, particularmente no Público têm uma representatividade mediática absolutamente desproporcionada e censuram agora, activa e permanentemente ( ver a entrevista do bobo do sistema...) a voz ao Chega e a André Ventura.


Por outro lado no mesmo Público, o advogado Teixeira da Mota interroga-se sobre o fenómeno de ainda não serem conhecidos os jornalistas avençados do BES e que são perfeitamente conhecidos pelos ai-a-tola do Expresso.

Evidentemente percebe-se porquê: estão entalados.


Sem comentários:

Golpe palaciano na Justiça