segunda-feira, 1 de março de 2021

Sarkozy nunca seria condenado em Portugal...

 Daqui, Sapo24:





Segundo se escreve, a prova que serviu para condenar Sarkozy pela prática de um crime semelhante ao de prevaricação, ou seja conluio entre certos magistrados e detentores do poder político no sentido de auxiliarem estes últimos a ganharem eleições  através de investigações cirúrgicas e dirigidas, seria inválida em Portugal. 

Não se admitiria a validade de escutas entre suspeitos e seus advogados nem se admitiria extrair certidão de outros processos para valerem como prova de crime em processo diverso. 

Pelo menos este seria o entendimento do juiz de instrução que é notícia no "correio indiscreto" do CM de hoje e que antevê uma decisão polémica e ao jeito do JIC Rosa, acerca de um ex-primeiro ministro ( como Sarkozy) suspeito de ser corrupto e ter sido ajudado por magistrados altamente colocados ( tal como por cá). 


Em Portugal há muita gente que se julga impune e por isso mesmo é que o suspeito desta notícia não se pôs ao fresco logo que soube que andava a ser investigado e aceitou vir para cá em voo manhoso, de Paris. Provavelmente tinha a ideia de que nunca seria acusado fosse do que fosse, com provas válidas. 

Se fosse hoje nem sequer seria preso. E isso é mais que certo. 



Sem comentários:

Os escombros do apocalipse