sexta-feira, 14 de agosto de 2020

A síndrome Bilac da PSP

Daqui:


O Cartoon é este, do desenhador Nuno Saraiva, aliás um magnífico artista no género:



Na PSP um iluminado/a qualquer viu o cartoon e achou-o ofensivo para a corporação.
Só por si tal atitude revela logo a manifesta inadequação do/a responsável para estar à frente da corporação.

Por outro lado, mesmo que fosse ofensivo, haverá sempre o direito de o desenhador exprimir a sua opinião, mesmo que seja apalermada ou ofensiva.  É a isso que se chama liberdade de expressão que o/a responsável pela PSP não entende e por isso deve sair do lugar que ocupa. Está a mais...

ADITAMENTO:

Tendo em conta esta reacção do apalermado director do tal Inimigo Público, fico a matutar se esta táctica não é já concertada: fazer o mal e depois a caramunha.

E por isso a pergunta que se impõe, será...quem foi o indivíduo/a que fez queixa crime por algo que nunca deveria fazer e deveria saber muito bem que não deveria ser feita?  Que personagem é esta, da PSP que assim actuou?

As minhas dúvidas assentam na circunstância de tudo isto- desde a manifestação do cu clux clan até às pretensas ameaças de um grupo de extrema-direita inexistente e subsequentes reacções em cadeia, imediatas e estranhas- me cheirar a esturro esquerdista, de agitação e propaganda, aliás muito mal orquestrada.

Dou comigo, pela primeira vez a pensar em teorias de conspiração.

O MºPº saberá fazer o trabalho que se impõe? Duvido muito, a começar pelo triste exemplo de uma Cândida que é Vilar.




Sem comentários: