terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

A argumentação sobre o mata-bicho

 No Corta-Fitas há um texto de Henrique Pereira dos Santos que vou partilhar por uma de várias razões: o autor contesta verdades assumidas como tal por outros que se pronunciam sobre o mesmo assunto. Não usa argumentos de autoridade e apenas se limita a raciocinar sobre a argumentação, dando atenção a factos. 

Já tem sucedido ter-se enganado e reconhecido o erro. Já tem sucedido que reconhece ignorância e não se arroga certezas, mesmo quando parece tê-las. É assim que prefiro opiniões. 

Ah! E não é autoridade, não tem dever de responsabilidade e o que escreve pode ser contrastado e refutado. 

 O texto que segue é uma carta aberta ao provedor do Público que hoje tem um artigo sobre o caso do fecho das escolas como razão para a baixa rápida dos "casos", ou seja da estatística conhecida.

O artigo do Público é este: 









Entretanto sabe-se que na China não se sabe de onde veio o bicho e a informação da OMS que foi lá ver o que a deixaram ver é que "é extremamente improvável" que tenha saído à má fila do laboratório de Whuan. Pois...extremamente improvável é que as teorias de conspiração não continuem, depois disto. 




Sem comentários: