Páginas

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Jorge Coelho anda numa fona...

Jorge Coelho, o Miguel Relvas do PS, está na RTP2 a falar sobre tudo e o habitual par de botas políticas. Estranho. Durante anos ausentou-se da pantalha. Agora fala, aparece, mostra-se.

Manhoso como é, devemos desconfiar desta atitude. Ou já fez alguma ou está para a fazer, como se dizia dantes da canalha pequena quando estava muito caladinha. Aqui é o contrário...
Ponhamo-nos a pau.

4 comentários:

Karocha disse...

LoooLLL José!
E está a falar do bacalhau cosido com todos?
eheheheheheh!!!

Karocha disse...

LooooLLL malvado do bacalhau ;-)))

Zephyrus disse...

Não tenho acompanhado as notícias. Por isso a minha teoria tem um valor praticamente nulo. Mas aqui vai...

Parece que uma sondagem recente dava uma subida ao PS. Ora em França venceram os socialistas, e para o ano na Alemanha vencerão provavelmente os sociais-democratas. A política de «austeridade» da luterana Merkel cairá parcialmente por terra.

E o que sucederá por cá? Os socialistas, com novo líder, provavelmente António Costa, dirão que o governo sacrificou os portugueses em nome de uma política errada. Prometerão a reposição dos subsídios de férias e de Natal, e mil e uma outras coisas. Poderão assim vencer, sem maioria absoluta. Coligar-se-ão provavelmente com o CDS-PP.

O PS sabe que o estado de graça do PSD está a chegar ao fim. Além de cortes aqui e acolá e do aumento da reforma fiscal não há reformas visíveis. O Superior continua medíocrezinho, tal como o resto do ensino; a Justiça lenta, e madrasta para as classes médias; a carga fiscal insustentável; a electricidade cara; a reorganização do mapa do poder local por fazer; e por aí fora.

Algo me diz que não tarde muito e surgirão «escândalos» ligados ao Governo, e há muito por onde pegar. E algo também me diz que o alvo será o PSD e não o CDS-PP.

Paulo Portas é obediente e sabe mover-se no labirinto. Também sabe quem controla o rectângulo, e que ao mínimo deslize muito do seu passado seria exposto na comunicação social, levando ao fim da sua carreira em Portugal. Em Lisboa dentro de certos círculos comentam-se as coisas.

Costumava almoçar na adolescência no Largo de São Mamede ao Caldas. Para mim, muito do que veio parar nos últimos anos à comunicação não foi surpresa. Naquelas mesas fiquei a conhecer o que se dizia sobre a vida privada de imensos políticos do PS, PSD e CDS, bem como as suas fontes de riqueza.

O velho homem de elite, religioso, austero, culto, generoso, morreu. Isto está podre, e como qualquer regime podre irá cair. Cairá aqui e cairá pela Europa toda. A globalização é insustentável, e está a causar o empobrecimento da Europa, enquanto uma plutocracia disseminada por todo o planeta enriquece anualmente de forma absurda.

A classe média está a desaparecer em parte da Europa por pura incompetência das classes políticas. Os plutocratas do dinheiro sem pátria e os comunistas agradecem.

Carlos disse...

Zephyrus,

Gostei, e tendo a concordar completamente com o seu comentário.