Páginas

domingo, 6 de maio de 2012

Mário Soares e a polícia ao seu serviço...


Vêm de longe as histórias que se contam sobre o modo intempestivo como Mário Soares destrata os agentes policiais. A última notícia célebre foi avançada em primeira-mão pelo CM no passado dia 3 de Abril e descrevia a descasca que Soares deu aos polícias que mandaram parar o carro em que seguia na A8 a 199 quilómetros por hora.
Por tudo isto, há muito boa gente que se espanta com a quantidade de elementos de segurança oficial que continuam destacados ao serviço do antigo Presidente da República. Como dizia muito bem humorada uma alta patente policial ao Correio Indiscreto "se há alguém que está a salvo de qualquer golpe de Estado é o dr. Mário Soares".
Vamos então aos números de agentes envolvidos na ‘operação Guardar as Costas' ao líder histórico do PS. Segundo fontes fidedignas, a Polícia de Segurança Pública (PSP) presta serviço a Soares na moradia do Vau, com quatro elementos em turnos diários de 6 horas.
No Campo Grande, são mais quatro em igual horário. Por último, ainda no que diz respeito à PSP, há mais dois agentes para o seguir por todo o lado, alternadamente.
Mas o assunto, pelos vistos extremamente grave - e dispendioso -, da segurança pessoal de Mário Soares, não se fica por aqui. Assim, a Guarda Nacional Republicana está de serviço permanente à simpática residência de Nafarros - só aqui são mais quatro agentes da GNR que se revezam em turnos de 6 horas.
Feitas as contas, Mário Soares tem ao seu serviço 14 elementos destacados. Como alguém dizia esta semana, é quase como se existisse uma esquadra ou um posto de polícia às ordens de sua excelência.

Não sei se estes números e referências estão certos. Se estiverem é apenas uma pouca-vergonha e um escândalo que merecia ser referido no Parlamento. 
Por uma vez, passei no Campo Grande e reparei que havia junto à casa do indivíduo um agente da PSP num carro. Parado e estacionado com o agente lá dentro. 
Também não sei se Ramalho Eanes ou Jorge Sampaio têm idêntico tratamento, mas se tiverem é igualmente escandaloso. 
Portugal ainda suporta estes escândalos sem nada dizer ou fazer.

9 comentários:

Carlos Silva disse...

O link que colocou para o CM no seu post não parece estar a funcionar.
Fica aqui:

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/policias-as-ordens-de-mario-soares010106810

josé disse...

Obrigado ( duas vezes). Foi preciso ir ao link original para funcionar.

rita disse...

Ramalho Eanes tb tem, mas penso que é apenas um, pelo menos na casa da Madre Deus.
Continuaremos a ser chulados por estes pseudo deuses que têm enfiado Portugal no buraco negro.

mujahedin مجاهدين disse...

Bom, enquanto isto, as pessoas continuam a ser atacadas, agredidas e aterrorizadas por gangues de "jovens" na linha de Sintra, como se dizia num artigo que alguém aqui pôs...

Pergunto-me quando se irão as pessoas fartar disto e começar a zelar pela sua própria segurança...

Streetwarrior disse...

oh meus amigos tsss tsss, então, com as patifarias que o senhor Márócas fez á nação, claro que tem que se sentir bem protect, afinal de contas, quem tem cú, tem medo.
E nem me admiraria nada que a CIA, também em caso de National emergency,lhe providencia-se um safety place no caso de ele ter q dar de frosques devida a " convulsões sociais ".
O Dr Ramalho Eanes, nada tem a temer, pois deverá estar de consciencia mais ou menos limpa.

Luis disse...

Os números estão errados porque pecam... por defeito. Com turnos a 6 horas, para cobrir 24h/dia, não podem ser apenas 4 os agentes. É que nesta matemática temos de contar com, pelo menos, mais um agente que está de folga. E isto para cada local de serviço. Mas nesta mesma matemática tem ainda de pensar-se que haverá sempre mais um agente ou de férias ou de baixa. O que significa que por posto são destacados à volta de 6 agentes. Multiplique-se agora pelo número de locais onde há posto fixo e teremos o numero de agentes empenhados.
Por isto é que, em esquadras de 60 agentes, apenas há meia dúzia (se houver) de agentes em serviço na sua área a cada momento. Repito... se houver. Houve um momento em que, quando um ex-director nacional da policia era comandante duma divisão da periferia rica de Lisboa, me disse que havia alturas que apenas tinha um carro de patrulha a circular na área. A coisa não mudou muito desde então.

lusitânea disse...

Vão gastar papel e tinteiros para quê?Para atestarem que nada se passou?
Volta Silva Pais!!!

lusitânea disse...

Este comentário é para o post seguinte, mas prontos talvez o Mário durma mal...

Carlos Silva disse...

http://2.bp.blogspot.com/-uEmuO-ULF3A/T6gA8X3d2rI/AAAAAAAAFNs/UCVJsjKJZgc/s1600/Jornal_1845_CAPA.jpg