Páginas

quarta-feira, 9 de maio de 2012

O Pingo Doce paga pouco

Alexandre Soares dos Santos, da Jerónimo Martins está a ser entrevistado na SICN por José Gomes Ferreira. Disse há bocado uma coisa que me impressionou: o Pingo Doce paga pouquinho aos seus empregados. Admitiu isso e tal é uma honestidade que não é vulgar ouvir num empresário.

8 comentários:

Floribundus disse...

quando ouvi falar pela primeira vez no 'Pingo Doce' pensei que era ppp criada por sócrates.

admiro o Senhor.
é diferente dos 'merceeiros' que por aí andam a aldrabar tudo e todos

a auto-denominada esquerda é o pingo amargo e por vezes a pinga

Carlos disse...

Não ouvi a entrevista desde o principio. Mas do que ouvi, registei: "toda a campanha foi programada sem o recurso a qualquer contacto com os fornecedores" "tudo foi feito de modo a surpreeder" - Foi noticia de capa no "Sol": S.S. não sabia de nada.
"Alteramos o nosso objecto de negócio da indústria para a distribuição, porque percebemos que era por aí que o dinheiro ía correr".
Mudamos a sede da empresa para a Holanda(núcleo familiar), porque aí está salvaguardada aos riscos que o país enfrenta e nomeadamente, com a possível saída do euro (estranho patriotismo).
"Pagamos pouquinho aos nossos empregados, mas em contrapartida, temos um serviço social de tamanho doméstico" para ocorrer aos possíveis suícidios sociais- digo eu!

Sejamos claros: este católico, trata da sua vidinha fazendo-se passar por um tipo de "vanguarda" do capitalismo. Não vejo só malificios nesta gente, mas entendo que é preciso saber enquadrar os mesmos. E aqui, tem o estado um papel que deve sobrepôr, o da REGULAÇÃO.

P.S.: tal como: "o dinheiro a verdade cala" aqui, também a honestidade é encoberta a papel bancário.

Carlos disse...

"malefícios"...esta pressa!

Carlos disse...

Fora do "post"

O Lino parece que fez o pino!...

Streetwarrior disse...

O Sr Soares dos Santos, pode muito bem estar a tratar da sua vidinha, não o condeno e provavelmente (assumindo boa fé ) não estará a agir dentro da ilegalidade... mas Pff, deixe-se de demagogia barata.

Eu quero lá saber do honesto reconhecimento dele que paga pouco aos seus empregados... os funcionários querem é receber bem, não reconhecimento do patrão.

Depois ouvi o mesmo a dizer que o dia não foi planeado...não foi my ass, então, quer me dizer que tal como muitos foi apanhado de surpresa!
Isto entre outras postas de pescada que mandou em relação ao Dia do Trabalhador e sua simbologia.

Fiquei de boca aberta com algumas tiradas da figura mas...ok, a lei permite-lhe e ele aproveita.

mujahedin مجاهدين disse...

Eu quer-me parecer que o José não estaria a fazer juízos de valor (se S.S. é bom ou mau por ser honesto), mas apenas a referir um facto que, por ser invulgar em Portugal (é invulgar que empresários admitam que pagam pouco aos empresários), se torna digno de referência...

A minha opinião, no entanto, é que mais vale ser honesto que não ser...

Streetwarrior disse...

Ok Mujahedin...
Gostaria de saber como se sentiria de receber pouco, sabendo que o patrão lhe podia pagar mais mesmo que em condições laborais mas que o mesmo, todos os dias lhe desse uma palestra a dizer...sabe, eu sei que lhe posso pagar mais mas não o farei...ao menos, sou honesto consigo, não acha.
E O caro Mujahedin, come e paga as contas dessa honestidade dele depois, certo?
Certo?

Streetwarrior disse...

O Minipreço, paga quase mais 300 euros aos empregados do que Soares dos Santos...já para não falar de condições de trabalho que deixam o Pingo doce e continentes num chinelo.
pergunte a qualquer empregado do Minipreço.