Páginas

quinta-feira, 10 de maio de 2012

A principal razão para o caso das secretas...

Repristina-se aqui um postal já antigo sobre a guerra das toupeiras:

O problema das "secretas" explicado a neófitos, hoje no Público, com uma entrevista de três páginas ( com honras de a directora do jornal ser uma das entrevistadoras, de resto duas mulheres a fazerem perguntas) ao presidente da Ongoing, Nuno Vasconcellos.

" Está a ver aquela pilha de jornais? São Expressos. Desde há dois anos, quando propus um aumento de capital a Balsemão, que a SIC e o Expresso não tem parado de fantasiar e criar factos sobre a Ongoing. Até lá, a Ongoing era assim tão falada? Não era.
E porque começou a ser falada? perguntam as entrevistadoras.
"Porque há um senhor, esse sim, que tinha e tem um projecto de poder, que pediu 400 milhões de euros a pequenos accionistas. O que é feito dos 400 milhões, 11 anos depois? Sabe quanto valem hoje? 40 milhões. O normal é dizer: investi 400 milhões, hoje tenho dois mil milhões. Se tivessem multiplicado até era pouco. E quanto houve de dividendos? Zero. Quando fiz a proposta, Balsemão estava no seu direito de dizer que não e eu disse: então vou para a TVI. E aí caiu o Carmo e a Trindade."

Foi assim que começou a "guerra das secretas" e por isso lemos as cretinices que lemos durante meses a fio. Nuno Vasconcellos explica assim: " As notícias começaram no Expresso ou na SIC Notícias, e depois o Público pega, depois o Correio da Manhã."

4 comentários:

Floribundus disse...

tal como a dívida da Madeira et al.
são 'abcessos de fixação'
favoráveis ao fugitivo que na sua companhia fez 'sku' na Suiça

P. disse...

Just because you're paranoid doesn't mean they aren't after you

Wegie disse...

O Isaltinho lá prescreveu...coitado!! Ganda MP!

josé disse...

Essa do Isaltinho já tem barbas como ele. Ainda assim, dá para requentar a notícia e apresentá-la a ferver...