Páginas

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O dinheiro mudo que esconde a verdade

Notícia do i de hoje:


E uma notícia da Sábado de hoje:


Estas duas notícias estão relacionadas. A do i relata que a família de Ricardo Salgado, designadamente o primo Ricciardi tem dúvidas que o GES tenha recebido a totalidade dos 85 milhões de euros que aquele afiança terrem sido recebidos.

O advogado Proença de Carvalho, segundo a Sábado, recebeu do BES, só entre os meses de Setembro 2013 e Abril de 2014, cerca de 246 mil euros para pagamento de "serviços prestados", mormente em Angola e através de actividades de "facilitação", não de serviços jurídicos.

Para além disso, o PCP era cliente do BES e parece, segundo tudo indica que o banco falido facilitou uma verba muito caladinha de 11 mil euros, "a fundo perdido", inserida num contrato normalíssimo de prestação de serviço de multibanco. O Público de hoje titula na primeira página: " BES aprovou donativo proibido por lei à Festa do Avante".
É altura de indagar a moral do PCP em andar a fazer e frei tomás...porque o Público explica que tal donativo escondia uma chico-espertice: inclui-lo nas contas da prestação de serviço, pagando o PCP apenas parte do preço...

Quanto a Júdice, ou seja a Quinta das Lágrimas,  ser devedor do BES, é uma  banalidade, Quem não tem créditos bancários? Isso significa alguma coisa? Pode significar que agora é preciso cobrá-los...

4 comentários:

JReis disse...

Nem o Partido Comunista escapa ao escândalo. Até estes fósseis miseráveis raparam do tacho que foi o BES. Esperemos pelos comentários do seu líder serralheiro com a profissão em suspensão por motivos de serviço político.

josé disse...

Esperemos pelo defensor do vínculo que virá dizer que é mais uma falsidade. O Jerónimo afinador que desde a Constituinte que anda a desafinar, vai inventar uma manhosa para se livrar da ignomínia. Para já a responsabilidade é do contabilista...como se as contas do partido fossem mais sérias que as demais.

Veremos.

josé disse...

Segundo o Público o esquema era de falcatrua.

Como era ilegaro financiamento inventaram uma instalação de várias máquias de multibanco no recinto da Festa, a cargo do BES.

Preço? Vai-se já ver no postal...

Floribundus disse...

diz-se que aos camaradas que trabalham na festa do 'há vante' são pagas horas extra-ordinárias pelas autarquias

o prec conti-nua com a mãozinha no rés-bes Campo de Ourique

prefiro o Gerónimo (Apache), um dirigente com dignidade