quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Os jornalistas feitos juizes em causa própria...

 Sobre o caso que envolve dois jornalistas do grupo Cofina (um deles já saiu para a concorrência da TVI do Ferreira dos barcos no Douro) já escrevi ontem e pouco mais há a dizer, a não ser mostrar o julgamento em causa própria dos jornalistas visados e que me parece algo "empolado" para dizer o menos e citar a actual ministra da Justiça, para se livrar de responsabilidades políticas óbvias.

No CM o jornalista saído para a TVI do Ferreira escreve um artigo ignominioso, ressabiado, estúpido até,  que só o deslustra e mostra, se calhar,  porque foi para a TVI do Ferreira: 


Na Sábado, Carlos Lima escreve uma página citando a PIDE e até o Hoover da polícia americana dos anos de brasa e filmes a condizer. Neste caso, fitas em excesso e cultura popular, é o que dá. E a Pide também dá sempre para tudo, no capítulo do horror caseiro.  Totalmente escusado porque passa ao lado do essencial: um Ministério Público em Portugal,  desorientado e com líderes muito fracos e perigosos. 


Quanto à temática de fundo temos o editorial do director, Eduardo Dâmaso, também demasiado inflamado e por isso estéril de consequências. 

Afinal, o grupo Cofina não pode andar a fazer o mal, cometendo sucessivos crimes de violação de segredo de justiça, em nome apenas de um valor, o do sensacionalismo mais populista ( é mesmo isso...) e do lucro editorial imanente e depois vir chorar baba e ranho, lamuriando-se nas caramunhas expostas: 


Melhor seria avaliar o Ministério Público que temos nestas instâncias de investigação criminal...

Sem comentários:

Os escombros do apocalipse